Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A Camera Fotografica

A Camera Fotografica

Ratings: (0)|Views: 169|Likes:
Published by Saulo Valley

More info:

Published by: Saulo Valley on Apr 06, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

01/14/2013

 
1
A CÂMERA CINEMATOGRÁFICA
por Filipe Salles
O princípio das câmeras de cinema, desde sua invenção até hoje, permanece o mesmo,com diferenças apenas na comodidade e praticidade no uso e manuseio dos equipamentos. Issosignifica que uma câmera fabricada a 50 ou 60 anos atrás ainda é capaz de produzir, se em bomestado de conservação mecânica e ótica, imagens de qualidade sem que se possa diferenciar oresultado de uma câmera fabricada há alguns meses. É importante frisar que o mesmo nãoacontece com a tecnologia de vídeo, que a cada geração aumenta a definição e qualidade daimagem, colocando as câmeras mais antigas em estado obsoleto.Existem muitos tipos de câmeras, e que variam segundo qualidades e facilidadestecnológicas, devendo o fotógrafo conhecer os principais modelos para poder escolher acâmera mais adequada, durante a pré-produção de um filme. Os critérios para escolha damelhor câmera variam de acordo com a necessidade e o orçamento, mas em relação aoproduto final, é preciso ter em mente que as câmeras se dividem basicamente em função dotamanho da BITOLA (ver o texto sobre bitolas).Existem 3 bitolas ainda em uso no Brasil: Super-8 (raro), 16mm e 35mm. O Super-8 possuicaracterísticas especiais, de maneira que reservamos um apêndice só para ele. Vamos por horaesmiuçar os mais comuns:
35mm
A Arriflex II C (Fig. 7) é uma das mais antigas câmaras elétricas de 35mm ainda em uso. Seusistema de trão é extremamente simples, com apenas uma grifa e sem contra-grifa, com rodasdentadas apenas no chassi, mas mesmo assim mantém uma estabilidade invejável.Apesar do design antigo, umadelas em bom estado é capaz de filmarcurtas e longa-metragens sem que senote diferença entre ela e uma câmaramais moderna.Sua única desvantagem é acaptação de som: barulhenta e commotor oscilante, exige que seja usado um
blimp 
próprio, cuja função é vedaracusticamente a mera e fornecer umpulso do motor para o gravador NAGRA,podendo assim manter sua velocidadesincronizada à da câmera.
Fig. 7
– (Esquerda)Arriflex II-C 35mm (1958)
 Fig. 8 – 
(Abaixo)
 
Câmera Aaton 35mm
Bem mais moderna é a Aaton 35-III,de 2002, compacta e moderna,incorporando todas as facilidades da maisavançada tecnologia: Além de silenciosa,leve e possibilitar tanto janela 35 standardcomo também o Super-35, ainda roda com3 ou 4 perfurões.
 
2
16mm
Abaixo, um esquema da famosa câmera ARRIFLEX 16 S, ou 16 ST (standart), cujo design éda década de 50, mas usada largamente até hoje na cinematografia 16mm, é ágil, versátil esimples de operar. Permite o uso com chassi de 400 pés (120 metros), com 11 minutos de filmagemcontínua, ou com carretéis de 110 pés (30 metros) com 3 minutos de filmagem, sem uso do chassi(os carretéis se encaixam no próprio corpo). Neste tipo de câmara, a lada (ver adiante) é feitano corpo e não no chassi.Possibilita também o uso de um anel giratório com 3 bocais, que comporta até 3 objetivassimultaneamente, para que o operador possa escolher a que mais lhe convém em cadasituação. No caso de seu usar uma objetiva Zoom, não necessidade de girar o anel.
 
Fig. 9 – 
Câmera Arriflex 16 ST
Partes de uma Câmera Cinematográfica
Todas as câmaras de cinema possuem partes comuns, que são:1. Corpo2. Chassi3. Objetiva4. Mecanismo de trão (Grifa/obturador) – ver catulo 1
 1.CORPO
O corpo é o sustentáculo da câmera, onde se localiza sua empunhadura (que serve parasegurá-la; jamais segure uma câmera pela objetiva ou pelo chassi), os encaixes das longarinaspara conter o pára-sol e as aberturas que permitem o encaixe do chassi (gate e janela) e o daobjetiva, este último denominado bocal.É fundamental que o corpo permita a vedação completa da luz exterior em seu interior;que possua um sistema de enquadramento eficiente (visor), bem como um sistema de transporte
 
3
contínuo do filme, formado pelas rodas dentadas e pelo sistema de tração, o mecanismogrifa/obturador. Este sistema de transporte do filme que é responsável pela captação ordenadade um determinado número de fotogramas por segundo, que, quando projetados, dão asensão de movimento.Outros acessórios, que não são obrigatórios mas são muito úteis, como a unidade dedeo-assist, fotômetro e ajustes de velocidade e metragem digitais, estão presentes basicamentenas câmeras mais modernas, que incorporam sistemas eletrônicos à sua estrutura. O
vídeo-assist
éuma unidade de vídeo, com um CCD acoplado, que se utiliza da mesma imagem formada pelalente que vai ao visor, permitindo a geração de um sinal de vídeo e a gravação da imagem queestá sendo filmada. Foi criado para facilitar a visualizão das tomadas na publicidade, e nadécada de 80 foi incorporada tamm ao cinema. Apesar de prático, é preciso tomar cuidadopara não criar uma relão de dependência. A dirão, a arte e a produção podem fazer bomuso dele, mas para a fotografia sua existência é absolutamente desnecessária. Quase o mesmo sepode dizer dos fotômetros embutidos, que só devem ser usados em caso de documentário ouemerncias, pois o fotômetro de o do fotógrafo é o parâmetro prioririo.A maioria dos corpos de câmera são muito semelhantes em termos de mecanismo,bastando apenas ao fotógrafo se familiarizar com suas funções através da leitura de seu manual econtato prévio (antes da filmagem), ou mesmo aprendendo com outro fotógrafo ou assistenteque domine seu manejo.Entretanto, em termos de design, as câmeras variam enormemente, e isto pode causarcerta confusão sobre onde e como cada função em determinada câmera é acionada. Por isso,apesar de simples, é fundamental o conhecimento de cada câmera que se vai operar comantecedência, valendo esta regra também (e até com maior ênfase) no caso da fotografia emvídeo.A título de comparação, a figura abaixo apresenta o corpo de 2 câmeras 16mmmodernas, a Aaton XTR Plus e a Arriflex SR3. Quase todas as funções são comuns a ambas, e nelasse pode perceber a brutal diferença entre os designs. A Aaton é muito mais prática e compacta,enquanto que a SR3 é mais robusta e pesada, sendo esta última preferível em filmagens deestúdio ou em filmagens que comportem grandes acessórios de maquinaria. A Aaton é maisindicada para documentários e cenas ágeis de câmera na mão:
Fig. 10
Abaixo, esquema do corpo da Aaton XTR plus

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->