Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
4Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Direito Administrativo II

Direito Administrativo II

Ratings: (0)|Views: 247 |Likes:

More info:

Categories:Business/Law
Published by: Suelen Cristina Medeiros Mendes on Apr 06, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/10/2014

pdf

text

original

 
11/02/2008 – 2ª feira/2ª aula
DIREITO ADMINISTRATIVO II – ISABELLE BATISTA
CALENDÁRIO – 1º BIMESTRE – 1ª PROVA 04 DE ABRILNO LUGAR DA SEGUNDA PROVA – TRABALHO PARA DIA 28/04 –ATÉ QUARTA FEIRA NO BLOG. Quem tirou 3 o exercício vale 3,quem tirou 4 o exercício vale 2...)2º BIMESTRE – 2ª PROVA 20 DE JUNHO
11, 15, 18, 25 e 29/02 – Unidade I (Licitações)03, 10, 14 e 17/03 – Unidade II (Contrato Social)24/03 – 1ª Prova Bimestre (valor: 10 pontos)04, 07, 14 e 18/04 – Unidade III (Agentes Públicos)28/04 – 2ª Prova 1º Bimestre (valor: 10 pontos)
Livros:
Celso Antônio Bandeira de MelloJosé Santos Carvalho FilhoMaria Sylvia Zanella DiPietroMarshall Justen FilhoDiógenes Gasparini *
UNIDADE I – LICITAÇÃO (Lei. 8.666/93,
leitura obrigatória, e emmãos
)
É o meio em que a administração pública compra, contrata, adquire...é uma procedimento (fase a fase) diferente da do particular. Parahaver um contrato administrativo tem que haver uma licitação prévia.É o antecedente lógico do contrato administrativo, e o contratoadministrativo é o conseqüente lógico da licitação.
I) CONCEITO:
José dos Santos Carvalho Filho, diz que: ”Licitação é oprocedimento administrativo vinculado (não há margem deinterpretação), por meio do qual os entes da administraçãopública e aqueles por ela controlados, selecionam a melhor proposta entre as oferecidas pelos vários interessados com 2objetivos: a celebração do contrato e a obtenção do melhor trabalho, técnico, artístico ou científico.” 
II)
OBJETOS:
Art. 2º da Lei 8.666/93:
o
obras,
o
serviços (inclusive publicidade),
o
compras,
o
alienações,
o
concessões,
ELABORADA POR SUELEN CRISTINA MEDEIROS MENDES –suelencmm@hotmail.com
 
o
permissões, e
o
locações.Ressalvadas as hipóteses da Lei.15/02/2008 – 6ª-feira/1ªaula
1) Conceito2) Objeto
3)
Finalidades
A finalidade maior é fazer realizar a melhor contratação, poisassim, o que está sendo protegido é o bem público. Atingir asmetas de probidade, fazer concorrência...
4)
Normatização-
Art. 22, XXVII, CFSomente a União pode legislar sobre as normas gerais.
-
Art. 37, XXI, CFPregão estabelece uma modalidade nova de licitação. Incidesobre todo território nacional.
-
Normas Específicas: qualquer ente pode legislar.Principio da obrigatoriedade de licitação.
-
Normas Gerais, para todos os Estados, Distrito Federal,Municípios... :
Lei 8.666/93
, alterada pelas Leis 8883/94,9648/98, 11107/05, 11196/05, 11445/07, 11481/07, 11484/07e:
LEI 10520/02 -
Lei do
5)
Natureza Jurídica
Procedimento administrativo, é um procedimento porque é umasucessão de fases, e é administrativo por que ocorre dentro domeio administrativo.
6)
Sujeitos à Licitação (Art. 1º, §único da Lei 8.666/93)
Quem tem que licitar?- Administração direta- Administração “indireta” (Empresas Públicas, Autarquias,Sociedade de Economia mista, Fundações publicas. Ressalvaart. 173, § 1º, III CF)- Fundos Especiais (fundo é uma conta bancária, isso é umaimpropriedade do legislador, pois, como uma conta podelicitar?)- Entidades controladas ao Poder Público (se trata das OS,OSCIPS e Senac, Senai... em relação as OS (organizaçõessociais) e OSCIPS, o que se exige licitação é o contratoprincipal, eles são privados, possuem autonomia da vontade, omáximo que eles fazem é uma licitação para escolher oparticular, a empresa a ser contratada, mas para comprar obens não há necessidade. É um processo de licitação bem maissimples.
ELABORADA POR SUELEN CRISTINA MEDEIROS MENDES –suelencmm@hotmail.com
 
7)
Princípios (MUITO IMPORTANTE – PROVA)- Princípios Gerais:a)
Legalidade (art. 4º, Lei 8.666) – Na licitação a legalidade dizque é assegurado o direito subjetivo aos licitantes, às partesque participam da licitação, que os agentes públicos, osgestores, o presidente, não criarão procedimentos que nãoaqueles previstos em Lei. Qualquer cidadão pode participar deuma sessão.
b)
Impessoalidade – é assegurado aos licitantes que se evitaráo favoritismo, benefícios, tendenciamentos, perseguições...
c)
Moralidade e Probidade Administrativa – aquele que estaconduzindo a licitação deve se basear na ética, moral...
d)
Igualdade entre licitantes (art. 37, XXI, CF; art. 3º e 90; Lei8.666/93) – é assegurado aos licitantes, que todos os licitantesestão entrando no procedimento em igualdade de condições. Ébasicamente o Princípio da Isonomia positivado na Lei 8.666/93.Veda-se qualquer tipo de exigência que a Lei não fala.
e)
Publicidade dos atos (art. 3º, 73º e art. 4º) – pressupõe-seque usar vários atos da licitação pública tem que ser públicos,tem que se dar o devido conhecimento a sociedade de quemesta sendo contratado... A licitação não é sigilosa, os atos sãopúblicos. Qualquer cidadão pode participar das sessões (semperturbar). O resumo do edital, e da licitação tem que serpublicado, quem esta sendo contratado, qual serviço será feito,quando se dará a sessão para contratação, onde está o edital, ea autoridade competente, obrigatoriamente, quem venceu, oCNPJ, o valor do contrato, o objeto, o que comprou, o valor docontrato, e a autoridade competente. As empresas têm que serintimadas quando da designação de nova data, novosrecursos...
15/02/08
Princípios Específicos:
a)
Vinculação ao instrumento convocatório (art. 3º, 41,“caput”) – Tanto a administração pública, quanto oslicitantes, precisam se submeter ao que determina oedital que é a Lei interna (lá possuem todos osrequisitos, termos necessários para a contratação),tanto para um quanto para o outro. Em relação aoconvite o nome do instrumento convocatório é a cartaconvite (mesma coisa que edital). Se houver algumamudança relevante no edital, a administração devecorrigir seus próprios erros através de uma errata,modificando os prazos para entrega das propostas,mas se não for algo relevante, deve haver a errata,mas os prazos continuam os mesmos.
b)
Julgamento objetivo (art. 44 e 45) – as propostaencaminhadas pelos licitantes devem ser julgadas pela
ELABORADA POR SUELEN CRISTINA MEDEIROS MENDES –suelencmm@hotmail.com

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->