Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
2Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Plug-Ins Sonar 7 Pt 2

Plug-Ins Sonar 7 Pt 2

Ratings: (0)|Views: 123|Likes:
Published by prettycool2
TECNOLOGIA | SONAR

Olá Pessoal, na última edição comecei a apresentar os novos plug-ins que vêm junto com o pacote do Sonar 7, explicando sobre o equalizador de fase linear e alguns conceitos por trás dessa nomenclatura. Nesse mês, apresentarei o novo limiter chamado Boost 11 (lê-se “bust eléven”) e explicarei quando e como usá-lo

do Sonar 7 P
Parte 2
ara que você possa entender como e quando usar um limiter, é preciso antes entender o que ele faz. Em poucas palavras, poderia dizer que o limit
TECNOLOGIA | SONAR

Olá Pessoal, na última edição comecei a apresentar os novos plug-ins que vêm junto com o pacote do Sonar 7, explicando sobre o equalizador de fase linear e alguns conceitos por trás dessa nomenclatura. Nesse mês, apresentarei o novo limiter chamado Boost 11 (lê-se “bust eléven”) e explicarei quando e como usá-lo

do Sonar 7 P
Parte 2
ara que você possa entender como e quando usar um limiter, é preciso antes entender o que ele faz. Em poucas palavras, poderia dizer que o limit

More info:

Published by: prettycool2 on Apr 10, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/21/2013

pdf

text

original

 
TECNOLOGIA | SONAR
70
www.backstage.com.br
Daniel Farjoun é produtor musical, tecladista,arranjador, compositor e mixador. Trabalhacom mixagens via internet pelo site:www.opoderdamixagem.com.br
Olá Pessoal,na última ediçãocomecei a apresentaros novos plug-ins quevêm junto com opacote do Sonar 7,explicando sobre oequalizador de faselinear e algunsconceitos por trásdessa nomenclatura.Nesse mês,apresentarei o novolimiter chamado Boost11 (lê-se “busteléven”) e explicareiquando e como usá-lo
ara que você possa entender comoe quando usar um limiter, é precisoantes entender o que ele faz. Empoucas palavras, poderia dizer que olimiter é um limitador de volume em umsinal de áudio, como o próprio nome su-gere. Nele, você estipula o volume máxi-mo que um som pode ter.O Boost 11, assim como outros limiters,tem uma característica um pouco dife-rente do que a de apenas não deixar que osinal passe de determinado volume: vocêtem a opção de definir um novo volumefinal. É como se em um primeiro momentovocê estivesse dizendo ao sinal de áudio:“ei, pode ir parando por aqui!” e em segui-da: “agora vem comigo”.De uma forma geral, o uso do limiter se dácom a finalidade de ganho de volume final.A idéia é cortar os picos de onda para que se
P
PLUG-INS
do Sonar 7do Sonar 7
Parte 2
possa alcançar um volume médio maior, semclipar (distorcer) o sinal. Imagine uma ondaem que o volume médio está em -15dB e ospicos vão até -2 dB. É possível dar um ganhode volume de, por exemplo, 6 dB sem deteri-orar a qualidade do áudio. Basta aplicar umaredução somente a partir do volume que ospicos aparecem, para não “danificar” toda amúsica. Veja a Figura I.Assim, os picos são “limitados” no pon-to onde está indicado pelo threshold e,no final, você pode aumentar o volumegeral sem que os picos ultrapassem 0 dB.Para os que ainda não sabem (porquetodo mundo que trabalha com áudiotem que saber), ultrapassar o volume de0 dB significa clipar o sinal.Você deve estar se perguntando: “maso que é clipar um sinal?” Fazendo umaanalogia aos tão famosos e usados “clips”
De uma forma geral, o uso do limiter se dá com afinalidade de ganho de volume final. A idéia écortar os picos de onda para que se possaalcançar um volume médio maior, sem clipar (distorcer) o sinal
Figura I
 
TECNOLOGIA | SONAR
72
www.backstage.com.br
para prender papel, você já reparou quequando prendemos algumas folhas comclip por algum tempo, as folhas ficammarcadas onde o clip estava? O mesmoacontece com o áudio. Clipar um sinalsignifica deixar o volume passar de 0 dB.Como não existe representação gráficapara volumes acima de 0 dB, o resultadoé o corte brusco no formato da onda, dei-xando permanentemente uma marca nosinal de áudio, cuja característica é adistorção.A distorção aparece toda vez que ovolume de um sinal ultrapassar 0 dB. Noanalógico, o clipping gera um ceifa-mento do formato da onda, com um re-sultado sonoro muitas vezes amigável.No digital isto não acontece. O resultadoé, na maioria das vezes, completamenteindesejável. Veja, na Figura II, a repre-sentação gráfica de um sinal clipado.Lembre-se de que em 24 bits, o volu-me pode variar de -144 dB até 0 dB. Aci-ma desse valor acontece o clipping mos-trado na Figura II. Em outros limiters quenão o Boost 11, o normal é você estipularo threshold, que é o volume em que olimiter começará a atuar.
BOOST 11
O Boost 11 oferece um resultado finalidêntico aos outros limiters. Reduz os pi-cos e permite o aumento do volume mé-dio final. O que há de diferente é que elenão trabalha com adefinição do Thre-shold, mas sim com aquantidade de ganhoque você deseja, que,afinal, é exatamenteo que se procura.Para entender seu funcionamento, vejaa imagem ao lado.Como você podeimaginar, o caminhodo sinal neste plug-in é da esquerda paraa direita.Vamos analisar os recursos do plug-in de acordo com a numeração indicada naimagem:
1
– Volume de entrada: indica o volu-me original do seu áudio. Lembrandosempre que ele não deve nunca passar dezero dB. No campo abaixo da barra verti-cal, encontram-se dois mostradores nu-méricos. Eles avisam o volume máximo deentrada dos canais esquerdo e direito.
2
– Boost: é aqui que você vai podercontrolar o ganho a ser dado no sinal. Vocêpode rodar o controle ou inserir manual-mente por meio do display numérico logoabaixo do “knob”. Tendo aplicado um
ganho
“X” em decibéis, você pode verificar se háou não redução de picos e de quanto é estaredução no campo a seguir.
3
– Redução de picos: é aqui quevocê pode monitorar a redução que estáhavendo no sinal. Por que falo em redu-ção? Porque o sinal deveria passar, diga-mos, 4 dB de um ponto específico e vocêestá forçando uma redução de 4 dB di-zendo que a partir daquele ponto, nadapassa. Além da barra vertical, você poderámonitorar a quantidade de redução pormeio do display numérico presente logoabaixo da barra vertical. O limite de suaredução deve ser algo próximo de 6 dB.Acima disso você começa a inserir satu-ração ao som, o que é, na maioria dasvezes, indesejado. Logo, sua reduçãodeve ir de 0.1 dB até 6 dB.
4
– Volume de saída: aqui você en-contra o controle para estipular o volumefinal do áudio. Está lembrado do que eu falei antes? Primeiro a gente diz: “ei,pode ir parando por aqui!” e em seguida:“agora vem comigo”. É aqui que vocêdefine o “agora vem comigo”. Todo oáudio que chegou naquele limite, agoraserá movido para o volume que você esti-pular neste campo. A idéia é normal-mente o aumento de volume médio e fi-nal, mas você pode também definir poraqui o volume final do instrumento emsua mix.
O Boost 11 ofereceum resultado finalidêntico aos outroslimiters. Reduz ospicos e permite oaumento do volumemédio final
Figura II

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->