Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Explorações mente e cérebro - Vida, morte e ancoragem

Explorações mente e cérebro - Vida, morte e ancoragem

Ratings: (0)|Views: 4 |Likes:

More info:

Published by: Juliano Ferreira Do Nascimento on Apr 15, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/15/2011

pdf

text

original

 
Explorações mente e cérebro - Parte II
Vida, morte e ancoragem
Mark E. FurmanQuais são os limites de uma âncora?Uma série de experiências realizadas por pesquisadores no campo da psiconeuroimunologia ("PNI") podemnos dar um indício. A primeira série desses experimentos foi realizada com ratos (resumidos por Chopra,1990). O objetivo era estabelecer o fato de que o sistema imunológico poderia ser levado a reagir previsivelmente a um só estímulo apresentado pelos sistemas sensoriais. Os ratos foram divididos em doisgrupos. O grupo 1 foi injetado com ciclofosfomida que é um conhecido imunodepressor. O grupo 2 foi injetadocom Poly IC que é um imuno estimulante popular.Essas injeções foram usadas para induzir os estados imunofisiológicos desejados. Quando as reaçõesesperadas do sistema imuno foram calibradas, os dois grupos de ratos foram ancorados ao mesmo estímulo.Os pesquisadores usaram cânfora como um estímulo olfativo e água com sacarina com um estímulo gustativo,apresentados simultaneamente. Somente essa âncora dupla assegurava que o estado imuno fisiológicopreviamente calibrado não poderia ser acionado acidentalmente pelos elementos comuns que entravam emcontato pelo ambiente.Nesse ponto, os pesquisadores tinham estabelecido uma âncora confiável, que poderia ativar um estado imunodepressivo no grupo 1 e um estado imuno estimulante no grupo 2. (Ader, Felten, Cohen, 1991)O impressionante poder da âncora foi mostrado na fase 2 do experimento. Nessa fase, logo que os indicadoresimuno fisiológicos retornaram ao normal, os dois grupos foram injetados com uma dose substancial de umvírus comum de pneumonia. A âncora era então disparada. Dentro de 48 horas, os ratos no grupo 2(imunoestimulados) apresentavam um pequeno sinal do vírus e dentro de aproximadamente 7 dias não haviamais nada.No mesmo espaço de tempo, todos os ratos do grupo 1 (imunodepressivos) estavam mortos. Um projeto depesquisa mais tarde duplicou esses resultados substituindo o vírus da pneumonia por injeções de células vivasde câncer. Para esses ratos, o que fez a diferença entre a seleção dos estados fisiológicos mais fundamentaisde vida e morte, foi uma âncora. (resumido por Chopra, 1990)Sem dúvida, você já está imaginando as poderosas aplicações biomédicas dessa impressionante ferramenta.Num experimento de pesquisa realizado mais tarde, o poder da ancoragem foi usado para ajudar a cortar ocusto de uma dispendiosa terapia de tratamento do câncer.O objetivo da pesquisa era levar o sistema imuno de uma jovem a produzir Interlukin 2 ("IL-2") que eranecessário em grandes quantidades para combater o seu avançado câncer de fígado. Naquela época, umaaplicação de IL-2 custava $40.000. Junto com a administração de uma simples aplicação, a mesma âncorausada nos experimentos com os ratos foi estabelecida.Os pesquisadores ficaram surpreendidos ao descobrir que disparando essa âncora entre as aplicações,atingiam níveis mais elevados de IL-2 do que os normalmente contidos numa simples aplicação.Por isto eu lhe devolvo a minha pergunta original, "Quais são os limites de uma âncora?" Parece que a únicalimitação que pode existir é a precisão da calibragem. Não somente esses experimentos provaram que asâncoras podem influenciar a nossa simples existência, mas para muitos pensadores produtivos foiestabelecida uma poderosa referência para suportar a crença – Se você pode calibrá-la, você pode capturá-la.
Planejando novos métodos de calibração
Como Practitioners de PNL, nós fomos treinados para calibrar primariamente com os nossos canaissensoriais. Esse método nos limita para calibrar e capturar os distintos estados fisiológicos. Emborainvestiguemos o uso de ferramentas de calibração de última geração, como scans PET, fMRIs e SQUIDS(superconducting quantum interference device), o impressionante poder da ancoragem se tornará virtualmenteilimitado. Entretanto, não é necessário tornar isso tão aperfeiçoado para começar a criar muitas aplicaçõesexclusivas e efetivas para a ancoragem.
14/04/2011 Explorações mente e cérebrogolfinho.com.br//mente_e_cerebro_a1/3
 
Após ter lido a pesquisa mencionada acima, minha mente começou a procurar por mais ferramentas comunsdisponíveis que um practitioner poderia usar para explorar novas possibilidades. Naquela época, meu paiestava sofrendo dos efeitos adversos da medicação para controle da pressão sanguínea e estava interessadoem aprender como influenciar a sua pressão por iniciativa própria.Para executar isso, nós precisávamos de duas ferramentas, um indicador para calibrar continuamente apressão sanguínea e uma ferramenta para influenciar o seu estado. Visto que os estados das ondas cerebraisalfa, teta e delta estão associados com baixa pressão sanguínea, nós precisávamos encontrar uma ferramentaque pudesse atuar como um
 parâmetro de controle
que quando escalado poderia conduzir o cérebro atravésdesses estados coletivos.Muitas empresas hoje produzem uma ferramenta auditiva que pode ser usada para esse propósito. Nósescolhemos uma fita cassete que foi gravada no canal do ouvido esquerdo, um som puro de 100HZ e no canaldireito um de 104HZ. Como esperado, pelo princípio da ressonância forçada, a atividade no background docérebro começa a oscilar a 4HZ (onda delta), que pode ser verificada com o EEG.Uma diminuição correspondente na pressão sanguínea podia ser vista imediatamente no indicador de pressãodo seu novo relógio Casio. Quando ele ouvia a fita, uma oscilação auditiva muito distinta era detectada a 2-4ciclos por segundo. Como ter a fita disponível na hora era restritiva, eu o fiz estabelecer âncoras visuais ecinestésicas que podiam recriar a imagem auditiva e o correspondente estado do cérebro.Com apenas alguns minutos de prática, ele era capaz de influenciar sua pressão sanguínea disparandosozinho a âncora. Mais tarde nós descobrimos pesquisas em que a atividade no background do cérebromudava de beta para alfa simplesmente fechando os olhos por alguns segundos. Quando conveniente, nósincluímos isso como a primeira etapa da estratégia seguida pela audição da imagem auditiva. Esseprocedimento criou uma ampla
bacia de atração
e um acesso mais fácil ao
estado atrator 
da baixa pressãosanguínea. Essa é somente uma das virtualmente ilimitadas maneiras que eu encontrei para começar aexplorar as possibilidades da ancoragem via ferramentas de calibração mais precisas. (Anchor Point, outubro1995 – parte 1 desta série).
Como a âncora funciona
Nesse ponto seria útil ter uma pequena discussão sobre como as âncoras são capazes de influenciar osistema nervoso humano. Quanto mais nós entendermos sobre como as ancoras funcionam, maior flexibilidade nós teremos em planejar novos e efetivos usos. Muitos practitioners em treinamento já ouviram afrase "você não pode, não ancore". Como um cérebro humano testa o seu mundo exterior via seus cincosentidos, uma representação desses eventos externos são codificados pela
modificação sináptica
.Modificação sináptica é um processo no qual o sistema nervoso reforça certos caminhos e enfraquece outros,resultando em exclusivos padrões eletroquímicos de ativação. Em outras palavras, um padrão de ativaçãoeletroquímica codifica a atividade simultânea de todos os cinco sentidos como se fosse uma peça deinformação.Ao mesmo tempo, o cérebro também está testando seu mundo interior, via o córtex somatosensorial ecodificando a reação fisiológica de todo o corpo para o evento externo no mesmo padrão de ativação. Qualquer coisa que reative esse único padrão eletroquímico de ativação também ativa a reação fisiológica do corpo queestava codificada com este padrão.O padrão resultante da ativação pode ser referido como um
estado atrator 
. Quanto mais efetivas se tornam assinapses através da modificação, mais profundo e mais estável fica o atrator. Cada codificação do sistemasensorial desse evento simultâneo, é uma
trajetória
conduzindo para o estado do atrator e capaz de reativar opadrão codificado.O fenômeno resultante é similar ao
campo morfo-genético
(capaz de auto organização espontânea). Apropriedade mais importante desse tipo de campo é que ele é capaz de
regulação
, o que significa que qualquer parte do campo pode ativar todo o campo.O que isso significa para o Practitioner? O que está evidente na pesquisa da psiconeuroimunologia é que cadareação psicofisiológica incluindo a expressão do DNA (resultando em produção de IL-2), é codificada nestepadrão de ativação. Quanto mais exclusiva for a âncora, provavelmente maior será a trajetória que ela seguepara conduzir para o padrão de ativação planejado ou
estado atrator 
.
Âncoras visuais e a tomada de decisão humana
14/04/2011 Explorações mente e cérebrogolfinho.com.br//mente_e_cerebro_a2/3

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->