Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
18Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Tratados e Protocolos Ambientais

Tratados e Protocolos Ambientais

Ratings: (0)|Views: 7,041|Likes:
Published by vitor1331

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: vitor1331 on Apr 17, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

04/24/2013

pdf

text

original

 
Tratados e Protocolos Ambientais
Protocolo de Montreal
O Protocolo de Montreal sobre substâncias que empobrecem a camada de ozônioé um tratado internacional em que os países signatários se comprometem asubstituir as substâncias que se demonstrou estarem reagindo com o ozônio (O3)na parte superior daestratosfera (conhecida comoozonosfera). O tratado esteve aberto para adesões a partir de16 de Setembrode1987e entrou em vigor em 1 de Janeiro de 1989. Ele teve adesão de 150 países e foi revisado em 1990, 1992,1995, 1997 e 1999. Devido à essa grande adesão mundial,Kofi Annandisse sobreele: "Talvez seja o mais bem sucedido acordo internacional de todos os tempos…"Em comemoração, aONUdeclarou a data de 16 de Setembro como o DiaInternacional para a Preservação da Camada de Ozônio.Em 1987 as nações mundiais inauguraram o tratado de Montreal que passou aregular a produção e o consumo de produtos destruidores da camada de ozônio. Aprincipal meta foi acabar com o uso dos 15 tipos de CFC que eram as fontes dedestruição do O3.Foi então comandado estudo para achar uma nova forma de substituir o produtodestruidor por um que não tem malefícios.Neste tratado foi estipulado dez anospara que os países se adequassem a eliminar o uso desse produto clorado. Foientão proposto o uso do que hoje se usa:
e o
, e apresentam umaboa aceitação das indústrias.
Protocolo de Quioto
O Protocolo de Quioto é consequência de uma série de eventos iniciada com a
TorontoConference on the Changing Atmosphere
, noCanadá(outubro de1988), seguida pelo
IPCC's First Assessment Report 
emSundsvall,Suécia(agosto de 1990) e que culminou com a
(CQNUMC, ou UNFCCC em inglês) naECO-92noRio de Janeiro,Brasil(junho de1992). Também reforça seções da CQNUMC. Desde meados da década de 1980 se discutem mudanças climáticas globais naesfera internacional. Tal processo resultou na realização da Conferência dasNações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento – CNUMAD, realizada noRio de Janeiro em 1992, que gerou, entre outros documentos, a ConvençãoQuadro de Mudanças Climáticas - CMC. Passados cinco anos, houve oestabelecimento do Protocolo de Kyoto – PK - que, diferente da Convenção,estabeleceu normas mais claras sobre a redução de emissões de gases de efeitoestufa e metas a serem atingidas por países que emitiram mais gases no passado,arrolados no Anexo I. O objetivo desse texto é analisar as políticas públicasfederais em curso referentes à mitigação das mudanças climáticas no país. Paratal, ele está baseada em análise de documentação oficial. São analisadas políticasanteriores e posteriores à adoção da CMC no Brasil. Palavras-chave: políticaspúblicas, mudanças climáticas, Brasil, Protocolo de Qiuoto.
 
Constitui-se no protocolo de umtratadointernacional com compromissos maisrígidos para a redução da emissão dos gases que agravam oefeito estufa,considerados, de acordo com a maioria das investigações científicas, como causaantropogênicasdoaquecimento global. Discutido e negociado emQuiotonoJapãoem1997, foi aberto para assinaturas em11 de Dezembrode1997e ratificado em15 de marçode1999. Sendo que para este entrar em vigor precisou que 55% dos países, que juntos, produzem 55%das emissões, o ratificassem, assim entrou em vigor em16 de fevereirode2005, depois que a Rússia o ratificou emNovembrode2004. Por ele se propõe umcalendáriopelo qual os países-membros (principalmente osdesenvolvidos) têm a obrigação de reduzir a emissão degases do efeito estufaem,pelo menos, 5,2% em relação aos níveis de1990no período entre2008e2012, também chamado de
 primeiro período de compromisso
(para muitos países, comoos membros da UE, isso corresponde a 15% abaixo das emissões esperadas para2008).As metas de redução não são homogêneas a todos os países, colocando níveisdiferenciados para os 38 países que mais emitem gases. Países em francodesenvolvimento (como Brasil, México, Argentina e Índia) não receberam metas deredução, pelo menos momentaneamente.A redução dessas emissões deverá acontecer em várias atividades econômicas. Oprotocolo estimula os países signatários a cooperarem entre si, através de algumasações básicas:
Reformar os setores de energia e transportes;
Promover o uso de fontes energéticas renováveis;
Eliminar mecanismos financeiros e de mercado inapropriados aos fins daConvenção;
Limitar as emissões demetanono gerenciamento de resíduos e dossistemas energéticos;
Proteger florestas e outros sumidouros decarbono.Se o Protocolo de Quioto for implementado com sucesso, estima-se que atemperaturaglobal reduza entre 1,4°Ce 5,8 °C até 2100, entretanto, isto dependerá muito das negociações pós período 2008/2012, pois há comunidadescientíficas que afirmam categoricamente que a meta de redução de 5% em relaçãoaos níveis de 1990 é insuficiente para a mitigação do aquecimento global.
Lista dos países signatários do Protocolo de Quioto
 
Legenda :
:
Verde
: Países que ratificaram o protocolo.
Vermelho
: Países que não ratificaram o protocolo.
Estados Unidos e o Protocolo de Quioto
OsEstados Unidosnegaram-se a ratificar o
Protocolo de Quioto
, de acordo coma alegação do ex-presidenteGeorge W. Bushde que os compromissosacarretados por tal protocolo interfeririam negativamente na economia norte-americana.ACasa Brancatambém questiona a teoria de que os poluentes emitidos pelohomem causem a elevação da temperatura da Terra.Mesmo ogovernodos Estados Unidos não assinando o
Protocolo de Quioto
,alguns municípios, Estados (Califórnia) e donos de indústrias do nordeste dosEstados Unidos já começaram a pesquisar maneiras para reduzir a emissão degasespromotores do efeito estufa— tentando, por sua vez, não diminuir suamargem delucrocom essa atitude.
Depois de 2012
O protocolo de Quioto expira em 2012, e já há o compromisso daONUe de algunsgovernos para o delineamento de um novo acordo ou o que é mais provável deuma emenda no Protocolo de Quioto, que estabeleceria novas metas a seremcumpridas após2012. As discussões começaram em16 de Fevereirode2007em Washington, os chefes de estado doCanadá,França,Alemanha,Itália,Japão, Rússia,Reino Unido,Estados Unidos,Brasil,China,Índia,MéxicoeÁfrica do Sul  concordaram em princípio sobre o esboço de um sucessor para o Protocolo deQuioto. Eles discutiram, em especial, a criação de um limite máximo para ocomércio dos créditos de carbono, bem como a aplicação de metas de redução dasemissões de CO
2
aos países em desenvolvimento, e se propuseram a delinear talesboço até o término de 2009.Em 7 de Junho de 2007, os líderes na 33ª reunião doG8, afirmaram que as naçõesdo G8 visam reduzir, pelo menos, para metade as emissões globais de CO
2
até2050. Os detalhes que possibilitariam cumprir tal meta de redução seriamnegociados pelos ministros do meio ambiente dos países doG8dentro da

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->