Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
8Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
IBASE - Notas Explicativas 2010

IBASE - Notas Explicativas 2010

Ratings: (0)|Views: 692|Likes:
Published by Ibase Na Rede

More info:

Published by: Ibase Na Rede on Apr 18, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/18/2013

pdf

text

original

 
Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Ecomicas - IBASE
Notas Explicativas às Demonstrações FinanceirasExercício findo em 31 de dezembro de 2010
 
(Em Reais)1 – CONTEXTO OPERACIONAL
O Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas – IBASE, criado em 14 deOutubro de 1980, é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, com sede e foro nacidade do Rio de Janeiro, regido por seu estatuto social e pela legislação em vigor,com prazo de duração indeterminado, e que tem como objetivo odesenvolvimento de atividades de caráter científico e cultural, tais como, estudos,pesquisas, análise e elaboração de projetos sócio-econômicos, estudos políticos,armazenamento e interpretação de dados, preparão e divulgação de estudos erelatórios, edições e publicações, por conta própria ou de terceiros.A Entidade é declarada de Utilidade Pública Federal, conforme publicão no
 
DOU de 25/11/91, e de Utilidade Pública Estadual, Processo Nº E-06/1164/89,conforme publicão no DOERJ de 03/05/1999, com Certificado de Entidade de
 
Fins Filantrópicos – CEFF Nº 28.990.012607/93-46, expedido pelo ConselhoNacional de Assistência Social – CNAS e prazo de validade de 29/04/2007 a28/04/2010. A Entidade em 27/04/2010 protocolou a entrega de documentos noMinistério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, referente ao pedidode renovação nº 71000.050176/2010-31 do Certificado de Entidade Beneficente
 
de Assisncia Social.
2 – APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
As Demonstrações Financeiras foram elaboradas e estão apresentadas emconformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil e de acordo com a Leidas Sociedades por Ações Lei 6.404/76, incluindo, quando aplicável, as alteraçõesintroduzidas pela Lei 11.638/07, associadas às orientações do Instituto Brasileiro deContadores e do Conselho Federal de Contabilidade,
 
adaptadas aos dispositivoslegais e regulamentares, aplicáveis às Instituições sem finalidade lucrativa.
3 – PRINCIPAIS DIRETRIZES CONTÁBEISa) Apurão do Superávit/Déficit do Exercício
As receitas, despesas e custos foram apurados pelo regime de competência deexercícios, conforme legislação em vigor. Especificamente no que se refere àsgratuidades, doações, subvenções, contribuições e aplicações de recursos, ocritério de apuração segue, também, o regime de competência dos exercícios,cujos valores são registrados em contas próprias segregadas das demais contas doIBASE.
 
b) Segregão de Prazos
Os ativos realizáveis e os passivos exigíveis, com prazos de realização ao final doexercício subseqüente, são demonstrados no Circulante. Os que excedem esseprazo são demonstrados no Realizável e Exigível a Longo Prazo, respectivamente,quando aplicável.
c) Aplicações Financeiras
As aplicações financeiras são compostas de Fundos de Renda Fixa e estãoregistradas pelo valor de aplicação, acrescido dos rendimentos auferidos até adata do balanço, que não supera o valor de mercado.
d) Provisão para Devedores Duvidosos
A provisão para devedores duvidosos foi constituída com base na alise dos riscosde realização dos créditos, em montante, considerado pela administração,suficiente para a cobertura de eventuais perdas.Essa classificação leva em consideração, entre outras, uma análise periódica daoperão, a conjuntura econômica e os riscos específicos em relão à operão,aos devedores e garantidores, quando aplicável.
e) Imobilizado
Registrado ao custo de aquisição deduzido da deprecião acumulada, calculadapelo método linear e registrada pelo regime de competência no superávit / déficitdo exercício.
f) Operações Ativas e Passivas
As operações ativas e passivas são registradas pelo valor principal, acrescido dosrespectivos encargos incorridos, inclusive a variação monetária, quando aplicável,sendo observado o critério
 
pro rata dia.
g) Contingências
A Entidade, no curso normal de suas atividades, está sujeita a processos judiciais denatureza tributária, trabalhista e cível. A Administração da Entidade, seguindo asNormas Brasileiras de Contabilidade – NBC-T 19.7, adota o procedimento declassificar as causas impetradas contra a Entidade em função do risco de perda,baseada na opinião de seus consultores legais e, quando aplicável, fundamentadaem pareceres específicos emitidos por especialistas da seguinte forma: (i) paracausas cujo desfecho negativo para a Entidade seja considerado como provável,
 
são constituídas provisões; (ii) para as causas cujo desfecho negativo para aEntidade seja considerado possível, as informações correspondentes são divulgadasem Notas Explicativas; e (iii) para as causas cujo desfecho negativo para a Entidadeseja considerado como remota, somente são divulgadas em Notas Explicativas asinformações, que, a critério da Entidade, sejam julgadas de relevância para o plenoentendimento das Demonstrações Contábeis.
h) Subveões e Incentivos Recebidos
As doações, subveões e contribuições para custeio são contabilizadas em contasde receita. As doações, subvenções e contribuições patrimoniais são contabilizadasno patrimônio líquido.
i) Fluxo de Caixa e DVA
Com o objetivo de se adequar as mais novas normatizações contábeis, a Entidadeoptou por preparar e apresentar as demonstrações dos fluxos de caixa e do valoradicionado relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2009 e 31 dedezembro de 2010, de acordo com as disposições contidas no CPC 03 e CPC 09,respectivamente. A Entidade também optou por não mais apresentar asdemonstrões das origens e aplicões de recursos para os exercícios encerradosa partir de 01 de janeiro de 2009.
4 – BANCOS
O saldo deste grupo escomposto pelos seguintes valores, em Reais:
Descrição 2010 2009
Bradesco c/c 6950-7 (199) 420Itaú c/c Institucional 107765 150 5.735CEF c/c 250-0 - 11CEF c/c 124-4 419 1.183Bradesco c/c 19420-4 Amigos do IBASE 725 1.440Banco do Brasil c/c 17570-6 6.222 11.490Banco Real c/c 1001641-3 556 623Bradesco C/C 33.176-7 41 -
Total 7.914 20.902

Activity (8)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Antonina Abreu de Britto added this note
Bem detalhado, de acordo com as Normas internacionais de Contabilidade.
José Roberto liked this
Marlus Franco liked this
carlosdaprocesso liked this
sinval41 liked this
sinval41 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->