Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
11Activity

Table Of Contents

Figura 1.1: Trecho de programa em linguagem de máquina
1.4 CARACTERÍSTICAS DE C
1.5 C E C++
1.6 O COMPILADOR GCC
/* Estrutura de um programa em C */
Figura 2.1: Estrutura de um programa em C
2.1 VISÃO GERAL DE UM PROGRAMA C
Figura 2.3: Ambiente de programação do C
2.2 UM PROGRAMA UTILIZANDO UMA FUNÇÃO
Figura 2.4: Um programa que utiliza uma função
SINTAXE
Figura 3.1: Programa com instruções básicas
3.2 TIPOS DE VARIÁVEIS
3.2.1 Tipos Básicos
Figura 3.3: Programa com diferentes tipos de variáveis
3.4 OPERADORES
3.4.1 Operador de Atribuição
3.4.2 Operadores Aritméticos
Tabela 3.4: Comandos de atribuição reduzidos
3.4.3 Operadores Relacionais e Lógicos
Figura 3.4: Programa com operadores aritméticos
Figura 3.5: Programa para conversão de pés para metros
Tabela 3.5: Operadores relacionais e lógicos
Figura 3.6: Programa com operadores relacionais e lógicos
3.4.4 Precedência
3.4.5 Operador cast (Modelador)
Tabela 3.6: Nível de precedência dos operadores
Figura 3.8: Programa com exemplo de utilização de operador cast
3.4.6 Operador sizeof
Tabela 4.1: Caracteres de controle da função printf
Figura 4.1: Exemplo de utilização da função printf
Figura 4.2: Tamanho de campos na impressão
Figura 4.3: Arredondamento de números em ponto flutuante
Figura 4.4: Alinhamento de campos numéricos
Figura 4.5: Complementando com zeros à esquerda
Figura 4.6: Formas para imprimir caracteres utilizando a função printf
Figura 4.7: Exemplo de programa que utiliza a função scanf
Figura 4.8: Exemplo de programa que utiliza a função getchar
Figura 5.1: Exemplo de programa que utiliza o comando de decisão if
Figura 5.2: O comando de decisão if com um bloco de instruções
5.2 IF-ELSE-IF
Figura 5.3: Exemplo de um programa que utiliza o comando if-else-if
5.3 OPERADOR TERNÁRIO
Figura 5.4: Exemplo de programa que utiliza o operador ternário
5.4 SWITCH
5.5 LOOP FOR
Figura 5.5: Exemplo de programa que utiliza o comando switch
Figura 5.6: Exemplo de for com apenas um comando
Figura 5.7: Exemplo de for com um bloco de instruções
Figura 5.8: Programa para calcular o valor de
Figura 5.9: Laço de for com duas variáveis de controle
5.6 WHILE
Figura 5.14: Geração de uma tabela de quadrados de inteiros utilizando while
5.7 DO-WHILE
Figura 5.15: Geração de uma tabela de quadrados de inteiros utilizando do-while
5.8 BREAK
5.9 CONTINUE
Figura 5.16: Exemplo de utilização do laço do-while
Figura 5.17: Exemplo simples de utilização do comando break
Figura 5.18: Exemplo de utilização do comando continue
MATRIZES
6.1 MATRIZ UNIDIMENSIONAL
Figura 6.1: Exemplo simples de utilização de matriz
6.2 MATRIZ MULTIDIMENSIONAL
6.3 MATRIZES ESTÁTICAS
6.4 LIMITES DAS MATRIZES
Figura 6.2: Exemplo de armazenamento de dados em matriz unidimensional
Figura 6.4: Exemplo simples de utilização de matriz multidimensional
Figura 6.5: Exemplo de utilização de matriz estática
Figura 6.6: Erro na utilização de matriz
Figura 7.1: Exemplo simples de operação com strings
Figura 7.2: Programa simples que utiliza a função gets
Figura 7.3: Exemplo simples de utilização da função puts
Figura 7.4: Utilização da função strcpy da biblioteca string.h
Figura 7.5: Utilização da função strcat da biblioteca string.h
Figura 8.2: Atribuição de valor a um ponteiro
8.2 MANIPULAÇÃO DE PONTEIROS
8.3 EXPRESSÕES COM PONTEIROS
8.4 PONTEIROS PARA PONTEIROS
8.5 PROBLEMAS COM PONTEIROS
Figura 8.6: Exemplo do erro de ponteiro perdido
9.1 MANIPULANDO MATRIZES ATRAVÉS DE PONTEIROS
Figura 9.1: Cópia de uma string (versão matriz)
Figura 9.2: Cópia de uma string (versão ponteiro)
9.2 STRING E PONTEIROS
Figura 9.3: Uso de um ponteiro no lugar de uma string
9.3 MATRIZES DE PONTEIROS
Figura 9.4: Utilização de matrizes de ponteiros para mensagens de erro
10.1 FUNÇÃO SEM RETORNO
Figura 10.1: Inversão de uma string usando uma função que recebe um ponteiro
10.2 FUNÇÃO COM RETORNO
10.3 PARÂMETROS FORMAIS
10.3.1 Chamada por Valor
10.3.2 Chamada por Referência
Figura 10.3: Função com retorno de inteiro
Figura 10.4: Parâmetros formais de uma função
10.4 CLASSES DE VARIÁVEIS
Figura 10.5: Passagem de valor de uma variável para uma função
Figura 10.6: Função que utiliza passagem por referência
10.4.1 Variáveis Locais
Figura 10.7: Variáveis locais em uma função
10.4.2 Variáveis Globais
10.4.3 Variáveis Estáticas
Figura 10.8: Variáveis globais em um programa
Figura 10.9: Variáveis locais em uma função
10.5 FUNÇÕES COM MATRIZES
10.5.1 Passando Parâmetros Formais
Figura 10.10: Função que utiliza uma matriz
Figura 10.11: Função que opera sobre uma matriz utilizando um ponteiro
Figura 10.12: Função que procura uma substring dentro de uma string
10.5.2 Alterando os Valores da Matriz
Figura 10.13: Alterando valores de uma matriz
Figura 11.1: Programa que recebe uma string na linha de comando
Figura 11.2: Programa que recebe argumentos na linha de comando
12.1 ESTRUTURAS
Figura 12.1: Forma geral de declaração de uma estrutura
Figura 12.2: Declaração de uma estrutura para clientes de um banco
12.1.1 Trabalhando com Estruturas
Figura 12.3: Exemplos de acesso a membros de variáveis do tipo estrutura
Figura 12.4: Exemplos de passagens de elementos de estruturas para funções
Figura 12.5: Exemplo de passagem de uma estrutura inteira para uma função
Figura 12.6: Exemplo de ponteiro para estrutura
Figura 12.7: Exemplo de passagem de uma estrutura inteira para uma função
Figura 12.8: Forma geral de declaração de uma união
12.4 TYPEDEF
12.5 CAMPOS-DE-BITS
Figura 12.9: Declarações de uniões e formas de utilização
Figura 12.11: Exemplo de utilização de uma enumeração
Figura 12.13: Forma geral de campos-de-bits
Figura 12.14: Exemplo de estrutura de campos-de-bits
13.1 ABRINDO E FECHANDO UM ARQUIVO
13.1.1 A Função fopen()
13.1.2 A Função exit()
Tabela 13.1: Modos válidos de abertura de arquivos
13.1.3 A Função fclose()
Figura 13.2: Uso da função exit na abertura de arquivos
13.2 LENDO E ESCREVENDO CARACTERES EM ARQUIVOS
13.2.1 putc()
13.2.2 getc()
13.2.3 feof()
Figura 14.1: Primeiro exemplo de alocação dinâmica de memória
Figura 14.2: Segundo exemplo de alocação dinâmica de memória
15.1 CAPÍTULO 1
15.2 CAPÍTULO 2
Figura 15.1: Capítulo 2: Programa para o exercício 1
15.3 CAPÍTULO 3
Figura 15.2: Capítulo 3: programa para o exercício 1
15.4 CAPÍTULO 4
15.5 CAPÍTULO 5
Figura 15.3: Capítulo 4: Programa para o exercício 1
Figura 15.4: Capítulo 5: Programa para o exercício 1
Figura 15.5: Capítulo 5: Algoritmo para o exercício 3
15.6 CAPÍTULO 6
15.7 CAPÍTULO 7
Figura 15.6: Capítulo 7: programa para o exercício 1
15.8 CAPÍTULOS 8 E 9
15.9 CAPÍTULO 10
Figura 15.7: Capítulo 10: Programa para o exercício 2
15.10 CAPÍTULO 11
15.11 CAPÍTULO 12
15.12 CAPÍTULO 13
15.13 CAPÍTULO 14
A.1 ASSERT.H
A.2 CONIO.H
A.3 CTYPE.H
A.4 ERRNO.H
A.5 LIMITS.H
A.6 LOCALE.H
A.7 MATH.H
A.8 SIGNAL.H
A.9 STDARG.H
A.10 STDIO.H
A.10.1 Algumas funções em detalhe
A.10.2 Entradas e saídas formatadas
A.10.3 Funções (x)scanf
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
tutorialc

tutorialc

Ratings: (0)|Views: 1,933 |Likes:
Published by Patrick Tonelli

More info:

Published by: Patrick Tonelli on Apr 26, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/08/2013

pdf

text

original

You're Reading a Free Preview
Pages 4 to 11 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 15 to 36 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 40 to 59 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 63 to 133 are not shown in this preview.

Activity (11)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Aline Silva liked this
Cinthya Silva liked this
tiago_spana liked this
domi1710 liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->