Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
2Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
avaliação de qualidade de vida e voz de professores

avaliação de qualidade de vida e voz de professores

Ratings: (0)|Views: 393|Likes:
Published by Maelison Neves

More info:

Published by: Maelison Neves on Apr 27, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

02/08/2013

pdf

text

original

 
Rev Saúde Pública 2007;41(2):236-43
Regina Zanella Penteado
I
 Isabel Maria Teixeira BicudoPereira
II
I
Curso de Fonoaudiologia. UniversidadeMetodista de Piracicaba. Piracicaba, SP,Brasil
II
Faculdade de Saúde Pública. Universidadede São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Correspondência | Correspondence:
Regina Zanella PenteadoAv. 41 n.209 ap.62 – Cidade Jardim13501-190 Rio Claro, SP, BrasilE-mail rzpenteado@unimep.brRecebido: 24/2/2006Revisado: 11/9/2006Aprovado: 25/10/2006
Qualidade de vida e saúdevocal de professores
Quality of life and vocalhealth of teachers
RESUMO
OBJETIVO:
Avaliar aspectos associados à qualidade de vida de professorese buscar relações com questões de saúde vocal.
MÉTODOS:
Foi estudada uma amostra de 128 professores de ensino médiode quatro escolas estaduais de Rio Claro, SP, em 2002. Foram aplicados osquestionários
World 
 
 Health Organization Quality of Life/bref 
e Qualidade deVida e Voz e calculados média e desvio-padrão para os escores do primeiroquestionário e da questão de auto-avaliação vocal do questionário Qualidadede Vida e Voz. Utilizou-se o teste de Wilcoxon para comparar os gêneros; o deKruskal-Wallis para as escolas; e o coe
ciente de correlação de Spearman eteste t para veri
car associação entre os domínios da qualidade de vida, a auto-avaliação vocal e idade, e número de períodos que o professor leciona.
RESULTADOS:
A maioria avaliou a voz como boa (42,2%) e o escore médiodo questionário de avaliação de qualidade de vida foi 66, com maiores valores dodomínio relações sociais e menores do meio ambiente. Os aspectos associadosforam oportunidades de lazer, condições
nanceiras, ambiente de trabalho eacesso à informação. O número de períodos lecionados apresentou correlação positiva e signi
cativa com a auto-avaliação vocal. Não houve diferençasigni
cativa entre os gêneros. Houve diferenças signi
cativas no domíniofísico, quando comparados os resultados das diferentes escolas.
CONCLUSÕES
: Apesar de razoavelmente satisfeitos com a voz e a qualidadede vida, os professores mostraram di
culdades na percepção do processosaúde-doença. Evidenciaram-se aspectos desfavorecidos da qualidade devida e necessidades de saúde que podem ter implicações na voz e saúde vocaldocente.
DESCRITORES: Promoção da saúde. Saúde ocupacional. Qualidade devida. Educação. Saúde escolar. Voz.
ABSTRACT
OBJECTIVE:
To evaluate aspects of teachers’ quality of life and describeassociated factors to their vocal health.
METHODS
: A sample comprising 128 high school teachers from four stateschools in the city of Rio Claro, Southeastern Brazil, was studied in 2002.The World Health Organization Quality of Life/bref and Voice-RelatedQuality of Life questionnaires were applied and there were calculated theaverages, standard deviation values for the
rst questionnaire scores and theself-evaluation question of the Voice-Related Quality of Life. The Wilcoxon’s
 
237
Rev Saúde Pública 2007;41(2):236-43
test was used to compare teachers’ genders; the Kruskal-Wallis’s test wasused to compare schools and Spearman’s correlation coef 
cient and t-testwere performed to assess the association between the domains of quality of life, the vocal self-evaluation question and age, and the number of workingshifts by a teacher.
RESULTS
: Most teachers evaluated their voice as good (42.2%) and themean score of the quality of life questionnaire was 66, with the highest scoresin the domain of social relations, and the lowest ones in the environmentdomain. The most affected aspects were leisure opportunities,
nancialconditions, work environment and access to information. The number of hours worked by a teacher had a positive signi
cant correlation with vocalself-evaluation. There were no signi
cant differences between genders.There were signi
cant differences in the physical domain when comparingschools.
CONCLUSIONS:
Although teachers showed to be reasonably satis
edwith their vocal and life quality, they showed misperceptions of their healthdisorder process and evidenced neglected aspects of life quality and healthneeds that may compromise teachers’ voice/vocal health.
KEYWORDS: Health promotion. Occupational health. Quality of life. Education. School health. Voice.
A escola constitui um ambiente importante na con
gu-ração da realidade de vida do professor e dos aspectosrelacionados às condições e organização do trabalhodocente, os quais repercutem sobre os processos desaúde-doença
10
As propostas de escolas saudáveis ouescolas promotoras de saúde
14
são exemplos de esfor-ços canalizados para a transformação da escola emum ambiente favorável à saúde da comunidade que aconstitui. Contudo, estudo
2
mostra que, na maioria delas,o professor é pouco lembrado como sujeito das ações promotoras de saúde, e pouco se sabe sobre as condiçõesde saúde, de trabalho e da qualidade de vida docente.Em contrapartida, observa-se que em determinadasáreas, como a fonoaudiologia, é crescente a preocupa-ção com a saúde do docente, especialmente sua saúdevocal. São realizados investimentos signi
cativos em pesquisas, publicações e eventos que reúnem pro
s-sionais da saúde, sindicalistas, educadores, pesquisa-dores, empresários, políticos, dentre outros segmentosda sociedade. Em todas essas iniciativas, o objetivotem sido compreender o processo saúde–doença nodocente a partir da integração de dados quantitativose qualitativos, sob a visão integral do professor. Oentendimento amplo de saúde é tido como referênciae leva em conta as condições de trabalho e a qualidadede vida.
4,6,7,9-11,15,16,18
 A qualidade de vida tem sido apontada como umacategoria analítica central para promover abordagensintegradoras e interdisciplinares. É compreendida por diversos autores
8
como decorrente de uma construçãosubjetiva, multidimensional, composta por elementos positivos e negativos. Desse modo, amplia o espectrode análise dos processos envolvidos na perspectivada ecologia humana e da investigação das conexõesentre as múltiplas dimensões da relação entre saúdee trabalho.O objetivo do presente artigo foi avaliar aspectos as-sociados à qualidade de vida de professores, buscandorelações com as questões de saúde vocal.
MÉTODOS
A pesquisa foi realizada com professores do ensinomédio das quatro escolas públicas estaduais de RioClaro, cidade de médio porte do interior do Estado deSão Paulo, no ano de 2002. Na ocasião, estas eram asúnicas escolas estaduais do município que funcionavamnos períodos diurno e noturno.Essas escolas possuíam um total aproximado de 238 professores em situação de trabalho (74 professores naescola 1; 60 na escola 2; 82 na escola 3 e 22 na escola4). A partir dessa população foi realizado cálculo daamostra, utilizando-se a amostragem estrati
cada pro- porcional,
5
cada escola representada por um estrato.Considerou-se erro amostral de 0,06, com N=40 paraos professores da escola 1, N=32 para os professoresda escola 2, N=44 para os da escola 3 e N=12 para osda escola 4, totalizando 128 sujeitos.
INTRODUÇÃO
 
238
Qualidade de vida e saúde vocal de professores Penteado RZ & Pereira IMTB
Após contato inicial com a direção e coordenação pe-dagógica de cada escola, foi solicitado um horário parareunião com os professores e aplicação dos questioná-rios. Nas quatro escolas a reunião ocorreu no horáriode trabalho pedagógico coletivo (HTPC). Trata-se dereuniões semanais nas instituições de ensino públicas,com a participação da pesquisadora em diferentes oca-siões, para expor os objetivos, a
nalidade e a propostametodológica do estudo, e convidar os professoresinteressados a participar.A escolha metodológica orientou-se no sentido decontemplar a subjetividade do professor como eixo primordial no levantamento dos dados; daí a opção por instrumentos disponíveis na literatura
1,8,12
que permitissem aos sujeitos se auto-avaliar, a partir de suas percepções. Para tanto, foram utilizados osquestionários
World Health Organization Quality Of  Life/Bref 
(WHOQOL/breve)
8
e o Qualidade de Vidae Voz (QVV).
1,12
 O WHOQOL/breve é um questionário auto-aplicável,com 26 questões que envolvem aspectos diversos davida cotidiana e abordam quatro domínios da qualidadede vida: físico, psicológico, meio ambiente e relaçõessociais. Para cada aspecto da qualidade de vida ex- presso no questionário WHOQOL/breve, o sujeito pode apresentar sua resposta por meio de escores quevariam de um a cinco, sendo a condição pior no escoreum e a melhor, no cinco. Os resultados dos domíniosapresentam valores entre zero e cem, sendo piores osmais próximos de zero e melhores, os mais próximos decem. Dessa forma, um sujeito que apresente valor iguala 50 para determinado domínio pode ser consideradomediano para esse domínio. O cálculo dos domínios padronizados do WHOQOL/breve segue as seguintesexpressões:
8
1) Físico =
1001644718.17.16.15.10.)4.6()3.6(
×
 ⎠ ⎞⎝ ⎛ 
-
×
+++++-
+
- QQQQQQQ
2) Psicológico =
10016446)26.6(19.11.7.6.5.
×
 ⎠ ⎞
⎝ ⎛ 
-
×
-+++++ QQQQQQ
3) Relações sociais =
1001644322.Q21.Qb.20.Q
×
 ⎠ ⎞
⎝ ⎛ 
-
×
++
4) Meio ambiente =
1001644825.Q24.Q23.Q14.Q13.Q12.Qb.9.Q8.Q
×
 ⎠ ⎞⎝ ⎛ 
-
×
+++++++
Foram calculados a média e o desvio-padrão para osescores padronizados dos domínios do protocoloWHOQOL/breve. A comparação entre os gêneros foifeita pelo teste de Wilcoxon. Para comparar osresultados por escola foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis.
20
Para rejeitar a hipótese de igualdade (tantoentre gênero como entre escola) foi considerado nívelmínimo de signi
cância de 5%.O protocolo QVV possui dez itens e a seguinte ques-tão de auto-avaliação vocal: “Como você avalia a suavoz?”, com cinco possibilidades de resposta: excelente,muito boa, boa, razoável e ruim, pontuada de um acinco, sendo um para excelente e cinco, para ruim.Pesquisa
15
que aplicou o QVV em professores mostrouque a inter-relação das questões e problemáticas dequalidade de vida e voz é con
rmada pela correlaçãoentre a questão de auto-avaliação vocal e as demaisquestões. Assim, quanto pior a voz for avaliada na pri-meira, pior e mais negativo é o impacto da voz sobre aqualidade de vida do sujeito.Consideraram-se as respostas à questão do QVV“Como você avalia a sua voz?”, a partir do cálculoda média e desvio-padrão, realizado por gênero e por escola, utilizando também os testes de Wilcoxon paraanalisar a in
uência dos gêneros e o teste de Kruskal-Wallis para a comparação das escolas. O nível designi
cância adotado foi de 5%.A associação entre os domínios da qualidade de vida,a questão de auto-avaliação vocal, idade, e númerode períodos lecionados foram avaliadas por meio doscoe
cientes de correlação de Spearman e utilizado oteste t, adotando-se nível de signi
cância de 5%.Todos os participantes foram informados de que a pesquisa não ofereceria nenhum tipo de risco, tendosido assinado por todos o Termo de ConsentimentoInformado e Esclarecido. A pesquisa foi aprovada peloComitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de SaúdePública da Universidade de São Paulo.
RESULTADOS
Durante a coleta de dados da pesquisa foram identi
-cadas diferenças entre as escolas, expressas nas formasde manifestação dos alunos, nas condições físicas eestruturais dos estabelecimentos e na disposição dosespaços reservados para o corpo docente.
Escola 1 – 
Localizada em bairro afastado do centro, eraa maior em espaço e estrutura física. Apresentava-semal conservada, com iluminação precária, jardins in-ternos descuidados, com plantas e galhos secos jogadossobre o gramado e a passarela de acesso aos prédios. O piso das salas estava desgastado, sem brilho, com tábuassoltas e buracos que possibilitavam tropeços. Haviavidraças quebradas e as paredes da escola estavam pichadas ou cobertas com desenhos realizados pelos

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->