Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
16Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Colonização da América

Colonização da América

Ratings:

3.5

(2)
|Views: 2,681 |Likes:
Caracteristicas básicas do processo de colonização da américa pela espanha, inglaterra e frança.
Caracteristicas básicas do processo de colonização da américa pela espanha, inglaterra e frança.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Dennis Felix da Costa on May 01, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as ODT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/19/2013

pdf

text

original

 
Colonização da América
 Na noite de 3 de agosto de 1492, Colombo partiu de Palos de la Frontera, com três navios: uma naumaior, Santa María, apelidada Gallega, e duas caravelas menores, Pinta e Santa Clara, apelidada de Niña. A Coroa para financiar a empreitada forçou os habitantes de Palos a contribuir para aexpedição. Colombo navegou inicialmente para as ilhas Canárias, que eram propriedade da Castela,onde reabasteceu as provisões e fez reparos. Em 6 de setembro, partiu de San Sebastián de laGomera para o que acabou por ser uma viagem de cinco semanas através do oceano.A terra foi avistada às duas horas da manhã de 12 de outubro de 1492, por um marinheiro chamadoRodrigo de Triana, a bordo de Pinta. Colombo chamou a ilha de San Salvador, enquanto os nativosa chamavam Guanahani. Os povos que ali encontrou, os lucaians, taínos ou aruaques, eram pacíficos e amigáveis. Já em 12 de outubro de 1492 , Colombo escreveu sobre eles em seu diario:"Muitos dos homens que já vi têm cicatrizes em seus corpos, e quando eu fazia sinais para eles paradescobrir como isso aconteceu, eles indicavam que pessoas de outras ilhas vizinhas chegavam a SanSalvador para capturá-los e eles se defendiam o melhor possível. Acredito que as pessoas docontinente m aqui para to-los como escravos. Devem servir como ajudantes bons equalificados, pois eles repetem muito rapidamente o que lhes dizemos. Acho que eles podem muitofacilmente ser cristãos, porque eles parecem não ter nenhuma religião. Se for do agrado de nossoSenhor, vou tomar seis deles de Suas Altezas quando eu partir, para que possam aprender a nossalíngua."Mais tarde, os conhecimentos acerca dos seus acidentes geogficos, clima e populaçãodemonstraram a extrema diversidade do continente. A evolução das sociedades americanas viria adestacar e aprofundar as suas diferenças, apesar das semelhanças dos seus processos históricos.Um dos fatores de diferenciação é a diversidade étnica e cultural das sociedades americanas.Trezentos anos de colonização desencadearam um processo migratório que se prolonga até nossosdias. Às comunidades indígenas, em si tão diversas em termos de desenvolvimento cultural, vieram juntar-se os colonizadores brancos e a grande massa de negros africanos trazidos à força comoescravos. Esse processo contribuiu desigualmente para a formação dos perfis das sociedadesnacionais.Brancos, negros e índios distribuem-se desproporcionalmente de uma região para outra, tanto que se pode falar de uma América branca (a anglo-saxônica e os países do Prata), uma América índia (os países andinos), uma América hispano-índia (as áreas centro-americanas e o Paraguai) e umaAmérica negra (parte das Antilhas), sem esquecer os países de mestiçagem multirracial, como oBrasil.Além de línguas diferentes, os grupos populacionais que vieram para a América trouxeram outros
 
elementos culturais de suas áreas de origem, o que explica a variedade de costumes, tradições eculturas populares do continente.Mas o fator principal de diferenciação das sociedades americanas é, sem dúvida, o desenvolvimentoeconômico desigual, apesar de grande parte do passado colonial comum. O Período Colonial nãomarcou tão profundamente as áreas de colonização de povoamento como o fez com as decolonização de exploração. Mesmo nestas últimas, havia sensíveis diferenças entre as regiões de plantations escravistas e as de encomiendas, o que explica em parte a evolução distinta docampesinato na América contemporânea.
 A colonização espanhola
A viagem de Colombo América em 1492 trouxe à Espanha perspectivas de enriquecimento, poisacreditava o navegador ter encontrado um novo caminho para as Índias. Mesmo nas expediçõessubsequentes, desde o ano seguinte, Colombo manteve a mesma crença e conforme procurava asriquezas orientais fundou vilas e povoados, iniciando a ocupação da América. Na Espanha suspeitava-se que as terras descobertas por Colombo fossem um obstáculo entre aEuropa e as terras do oriente, e essa suspeita confirmou-se com a descoberta de Vasco NunezBalboa, que chegou ao Pacífico, atravessando por terra a América Central. Até a década de 20 osespanhóis ainda procuravam uma nova rota par as Índias, modificando essa política a partir dasdescobertas de Cortez no México.
A estrututa política metropolitana
O processo de exploração da América colonial foi marcado pela pequena participação da Coroa,devido a preocupação espanhola com os problemas europeus, fazendo com que a conquista fossecomandada pela iniciativa particular, mediante o sistema de capitulações.As capitulações eram contratos em que a Coroa concedia permissão para explorar, conquistar e povoar terras, fixando direitos e deveres recíprocos. Surgiram assim os adelantados, responsáveis pela colonização e que acabaram representando o poder de fato nas terras colonias, como Cortez ePizarro que, apesar de incorporarem ao domínio espanhol grandes quantidades de terra, nãoconseguiram implementar um sistema eficiente de exploração, normalmente pela existência dedisputas entre aqueles que participavam do empreendimento. Por isso, à medida que se revelavamas riquezas do Novo Mundo, a Coroa foi centralizando o processo de colonização, anulando asconcessões feitas aos particulares.O primeiro orgão estatal foi a Casa de Contratação, criada em 1503 e sediada em Sevilha, era
 
responvel pelo controle de todo o comércio realizado com as colônias da América e foiresponsável pelo estabelecimento do regime de Porto Único. Apenas um porto na metrópole, a princípio Sevilha, poderia realizar o comércio com as colônias, enquanto na América destacou-se o porto de Havana, com permissão para o comércio metropolitano e anos depois os portos de VeraCruz, Porto Belo e Cartagena. Desenvolveu ainda o sistema de frotas anuais (duas); desde 1526havia a proibição de navegarem os barcos isoladamente.O Conselho das Índias foi criado em 1524, por Carlos V, e a ele cabia as decisões políticas emrelação às colônias, nomeando Vice-reis e Capitaes gerais, autoridades militares, e judicias.Foram criados ainda os cargos de Juízes de Residência e de Visitador. O Primeiro, responsável por apurar irregularidades na gestão de algum funcionário da metrópole na colônia; o segundo,responsável por fiscalizar um orgão metropolitano ou mesmo um Vice reino, normalmente paraapurar abusos cometidos.
A estrutura
 POLÍTICA COLONIAL
 Nas conias o poder dos adelantados foi eliminado com a formão dos Vice-Reinos e posteriormente dos Capitães gerais.O território colonial foi dividido em quatro Vice-Reinos -- Nova Espanha, Peru, Rio da Prata, e Nova Granada -- e posteriormente foi redividido, surgindo as Capitanias Gerais, áreas consideradasestratégicas ou não colonizadas. Os Vice-Reis eram nomeados pelo Conselho das Índias e possuíamamplos poderes, apesar de estarem sujeitos à fiscalização das Audiências.As Audiências eram formadas pelos ouvidores e possuíam a função judiciária na América. Com otempo passaram a ter funções administrativas.Os Cabildos ou ayuntamientos eram equivalentes às câmaras municipais, eram formadas por elementos da elite colonial, subordinados as leis da Espanha, mas com autonomia para promover aadminisrtração local, municipal.ECONOMIA E SOCIEDADE NA AMÉRICA ESPANHOLAA ocupação e exploração da América foi um desdobramento da expansão marítimo-comercialeuropéia e elemento fundamental para o desenvolvimento do capitalismo. A colonização promovida pelos espanhóis deve ser entendida a partir da lógica mercantilista, baseada portanto no Exclusivometropolitano, ou seja, no monopólio da metrópole sobre suas colônias.

Activity (16)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Alessandro Brenner added this note
nossa!
Aniele Vilella liked this
geils liked this
Ellienne Soares liked this
Mariana Hirayama liked this
Lucas Mafra liked this
Rafaela Santana liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->