Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Ministério da Previdência - Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho 2009

Ministério da Previdência - Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho 2009

Ratings: (0)|Views: 761 |Likes:
Published by Francisco Portes

More info:

Published by: Francisco Portes on May 02, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/15/2013

pdf

text

original

 
 
Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho 2009
Seções
 
y
 
Estatísticas de Acidentes do Trabalho 
y
 
I
ndicadores de Acidentes do Trabalho 
y
 
Anexo
I
± Classificação Nacional de Atividades Econômicas e Grau de Risco de Acidente doTrabalho Associado 
y
 
L
ista de Siglas 
y
 
F
ontes 
Apresentação
 Contribuindo com a divulgação de informações estatísticas sobre acidentes do trabalho o Ministério daPrevidência Social e o Ministério do Trabalho e Emprego apresentam o Anuário Estatístico de Acidentes doTrabalho ± AEAT, edição 2009. O AEAT é instrumento essencial de trabalho para os profissionais quedesempenham atividades nas áreas de saúde e segurança do trabalhador, assim como pesquisadores e demais pessoas interessadas no tema. Neste Anuário são apresentados dados sobre acidentes do trabalho, suas principais conseqüências, os setoresde atividades econômicas e a localização geográfica de ocorrência dos eventos. Desta forma, é possívelconstruir um diagnóstico mais preciso acerca da epidemiologia destes acidentes, e propiciar a elaboração de políticas mais eficazes para as áreas relacionadas com o tema. São apresentadas ainda estatísticas sobreacidentes segundo a Classificação
I
nternacional de Doenças ± C
I
D mais incidentes por região.Em função da mudança na metodologia de concessão de benefícios acidentários por parte do
I
nstituto Nacional do Seguro Social ± 
I
 NSS, introduzida a partir de abril de 2007, o AEPS passa a trazer além dasinformações coletadas pelo
I
 NSS por meio da Comunicação de Acidente do Trabalho ± CAT, informaçõesque tem origem nos benefícios de natureza acidentária concedidos pelo
I
 NSS. Pela primeira vez os dadoscoletados dessa fonte contemplam o período de um ano completo.São publicadas ainda estatísticas básicas sobre acidentes do trabalho nos municípios brasileiros,contemplando os acidentes por motivo e o número de óbitos causados por acidentes do trabalho, o que permite um detalhamento maior sobre a distribuição espacial dos acidentes no país.O AEAT 2009 também contém um conjunto de indicadores de acidentes do trabalho por setor de atividade eunidade da federação, que permitem mensurar a exposição dos trabalhadores aos níveis de risco inerentes àatividade econômica, permitindo o acompanhamento das flutuações e tendências históricas dos acidentes eseus impactos nas empresas e na vida dos trabalhadores. Esses indicadores subsidiam estudos sobre o tema eo planejamento de ações na área de saúde e segurança do trabalhador. Os sete indicadores aqui propostosnão são exaustivos, mas são ferramentas que permitem uma avaliação da evolução temporal dos aspectos deincidência, mortalidade, letalidade e acidentalidade.Além da publicação impressa, o AEAT 2009 será editado em CD-ROM contendo dois aplicativos, o AEAT
I
nfo
L
ogo (série histórica dos dados) e o AEAT eletrônico. Também é possível obtê-los por meio da
I
nternet,no sítio do Ministério da Previdência Social (http://www.previdencia.gov.br ) permitindo o acesso a todos oscidadãos, qualquer que seja sua localização geográfica.
Dicas
 1.
 
Para abrir as tabelas você tem que ter os aplicativos excel ouExcel Viewer .2.
 
Para acesso a opção download você precisa do aplicativoWinzip.
 
 Elaboração:
 É produzido sob rigoroso controle técnico, com a participação de técnicos do Ministério da PrevidênciaSocial ± MPS, do
I
nstituto Nacional do Seguro Social ± 
I
 NSS e da Empresa de Tecnologia e
I
nformações daPrevidência Social ± DATAPREV, podendo ser obtido na forma impressa ou eletrônica. Para maioresinformações entre em contato com:
MPS DATAPREV
Secretaria de Políticas dePrevidência SocialDepartamento do RegimeGeral de Previdência SocialCoordenação-Geral deEstatística Demografia eAtuáriaEsplanada dos Ministérios,Bloco
F
, sala 741, CEP70059-900Brasília - Distrito
F
ederalTel: (61) 2021-5115
F
ax: (61) 2021-5020Divisão de
I
nformaçõesEstratégicas Rua Professor ÁlvaroRodrigues, 460 CEP 22280-040Botafogo - Rio de Janeiro - RJTel.: (21) 3578-7382
F
ax: (21) 3578-7356aeps@df.previdenciasocial.gov.br 
 
Seção I - Estatísticas de Acidentes do Trabalho
 
y
 
Subseção A ± Acidentes do Trabalho Registrados 
y
 
Subseção B ± Acidentes do Trabalho
L
iquidados 
y
 
Subseção C ± Acidentes do Trabalho segundo a Classificação
I
nternacional de Doenças ± C
I
D 
y
 
Subseção D ± Acidentes do Trabalho segundo os Municípios Segundo o artigo 19 da
L
ei no 8.213, de 24 de julho de 1991, ³acidente do trabalho é o que ocorre peloexercício do trabalho a serviço da empresa, ou pelo exercício do trabalho do segurado especial, provocandolesão corporal ou perturbação funcional, de caráter temporário ou permanente´. Pode causar desde umsimples afastamento, a perda ou a redução da capacidade para o trabalho, até mesmo a morte do segurado.São elegíveis aos benefícios concedidos em razão da existência de incapacidade laborativa decorrente dosriscos ambientais do trabalho: o segurado empregado, o trabalhador avulso e o segurado especial, noexercício de suas atividades.Também são considerados como acidentes do trabalho: a) o acidente ocorrido no trajeto entre a residência eo local de trabalho do segurado; b) a doença profissional, assim entendida a produzida ou desencadeada peloexercício do trabalho peculiar a determinada atividade; e c) a doença do trabalho, adquirida ou desencadeadaem função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente. Nestesdois últimos casos, a doença deve constar da relação de que trata o Anexo
II
do Regulamento da PrevidênciaSocial, aprovado pelo Decreto no 3.048, de 6/5/1999. Em caso excepcional, constatando-se que a doençanão incluída na relação constante do Anexo
II
resultou de condições especiais em que o trabalho é executadoe com ele se relaciona diretamente, a Previdência Social deve equipará-la a acidente do trabalho. Não são consideradas como doença do trabalho a doença degenerativa; a inerente a grupo etário; a que não produz incapacidade laborativa; a doença endêmica adquirida por segurados habitantes de região onde ela sedesenvolva, salvo se comprovado que resultou de exposição ou contato direto determinado pela natureza dotrabalho.
 
 
 Equiparam-se também a acidente do trabalho:
 
I
 ± o acidente ligado ao trabalho que, embora não tenha sido a causa única, haja contribuído diretamente para a morte do segurado, para perda ou redução da sua capacidade para o trabalho, ou que tenha produzidolesão que exija atenção médica para a sua recuperação;
II
 ± o acidente sofrido pelo segurado no local e horário do trabalho, em conseqüência de ato de agressão,sabotagem ou terrorismo praticado por terceiro ou companheiro de trabalho; ofensa física intencional,inclusive de terceiro, por motivo de disputa relacionada com o trabalho; ato de imprudência, de negligênciaou de imperícia de terceiro, ou de companheiro de trabalho; ato de pessoa privada do uso da razão;desabamento, inundação, incêndio e outros casos fortuitos decorrentes de força maior;
III
 ± a doença proveniente de contaminação acidental do empregado no exercício de sua atividade;
IV
 ± o acidente sofrido pelo segurado, ainda que fora do local e horário de trabalho, na execução de ordemou na realização de serviço sob a autoridade da empresa; na prestação espontânea de qualquer serviço àempresa para lhe evitar prejuízo ou proporcionar proveito; em viagem a serviço da empresa, inclusive paraestudo, quando financiada por esta, dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra,independentemente do meio de locomoção utilizado, inclusive veículo de propriedade do segurado; no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção,inclusive veículo de propriedade do segurado.Entende-se como percurso o trajeto da residência ou do local de refeição para o trabalho ou deste paraaqueles, independentemente do meio de locomoção, sem alteração ou interrupção voluntária do percursohabitualmente realizado pelo segurado. O empregado será considerado no exercício do trabalho no períododestinado à refeição ou descanso, ou por ocasião da satisfação de outras necessidades fisiológicas, no localdo trabalho ou durante este.Para que o acidente, ou a doença, seja considerado como acidente do trabalho é imprescindível que sejacaracterizado tecnicamente pela Perícia Médica do
I
 NSS, que fará o reconhecimento técnico do nexo causalentre o acidente e a lesão; a doença e o trabalho; e a causa mortis e o acidente. Na conclusão da PeríciaMédica, o médico-perito pode decidir pelo encaminhamento do segurado para retornar ao trabalho ou emitir um parecer sobre o afastamento. Nas subseções seguintes são apresentadas informações sobre a quantidade de acidentes com e semComunicação de Acidente do Trabalho ± CAT registradas e acidentes liquidados com detalhamentos por Unidade da
F
ederação e Classificação Nacional de Atividade Econômica ± CNAE, segundo a C
I
D, e ainda,informações de acidentes segundo o motivo e quantidade de óbitos decorrentes de acidentes do trabalho, por município para os anos de 2007, 2008 e 2009.O Anexo
I
, ao final deste Anuário, apresenta os códigos da CNAE, sua descrição e o grau de risco deacidente do trabalho associado. Esse grau de risco determina a alíquota de contribuição de cada empresa para o financiamento dos gastos com benefícios decorrentes de acidentes do trabalho.
A Nova Sistemática de Concessão de Benefícios Acidentários
 A partir de abril de 2007 o
I
 NSS instituiu uma nova sistemática de concessão de benefícios acidentários queteve impacto sobre a forma como são levantadas as estatísticas de acidentes de trabalho apresentadas nessaseção. Apresentamos a seguir uma breve explicação sobre os fundamentos, as alterações implementadas esuas implicações para as estatísticas de acidentes do trabalho.Em 2004 o Conselho Nacional de Previdência Social ± CNPS aprovou a Resolução no 1.236/2004 com umanova metodologia para flexibilizar as alíquotas de contribuição destinadas ao financiamento do benefícioaposentadoria especial e daqueles concedidos em razão do grau de incidência de incapacidade laborativa

Activity (3)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Cláudia Costa liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->