Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
57Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
INTERVENCAO DO ESTADO NA PROPRIEDADE PRIVADA

INTERVENCAO DO ESTADO NA PROPRIEDADE PRIVADA

Ratings:

4.9

(10)
|Views: 18,721|Likes:
Published by HABIBBI

More info:

Published by: HABIBBI on Sep 08, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/17/2013

pdf

text

original

 
N
ÚCLEO
P
REPARATÓRIO
E
XAME DA
O
RDEM
 
P
ROFª
A
NA
P
AULA
M
ATOSINHOS
 
1
INTERVENÇÃO DO ESTADO NA PROPRIEDADE PRIVADA1 - INTRODUÇÃO
 O Estado brasileiro que adota uma política de bem estar social não admite mais a propriedadeprivada com a antiga característica do período liberal de ser absoluta.A Constituição brasileira de 1988 ao mesmo tempo que afirma , em seu artigo 5, ser apropriedade privada um direito individual a condiciona a um uso que cumpra uma função social.
 
Entretanto, é muito comum que as condutas que vão ensejaraocumprimento de acordo com essafunção social sejam traçadas pelo próprio Estado, restringindo o uso da propriedade pelo seuproprietário.
As intervenções estatais são instituídas pela Constituição e regulamentadas por leis federais,por isso, ocorrem de forma limitada pelo ordenamento jurídico, para que sejam respeitadas os direitos e garantias individuais.
A doutrina nos aponta princípios para as intervenções do Estado na propriedade: a) a função
 
social da propriedade e b) a prevalência do interesse público em face do interesse particular.A União é quem detém a competência para legislar sobre o direito de propriedade (art. 22,II) , já acompetência administrativa, ou seja, de regulamentar o uso da propriedade privada,de efetivamenterestringi-la, em regra geral, é de todas as entidades federativas. Portanto, todas as intervenções têm
 
que ser feitas com base em lei.1) TIPOS DE INTERVENÇÃO3.1) LIMITAÇÕES ADMINISTRATIVASDe acordo com Hely Lopes Meirelles, “limitação administrativa é toda imposição geral, gratuita,unilateral e de ordem pública condicionadora do exercício de direitos ou de atividades particulares àsexigências do bem-estar social. Derivam do poder de polícia e se exteriorizam em imposições
 
unilaterais e imperativas, sob a tríplice modalidade positiva (fazer), negativa (não fazer) ou permissiva(permitir fazer)”.Exemplo: lei que institui normas de higiene para hospitais em um município; decreto que impõecomo se deve organizar o recolhimento de lixo de hospitais.
 
N
ÚCLEO
P
REPARATÓRIO
E
XAME DA
O
RDEM
 
P
ROFª
A
NA
P
AULA
M
ATOSINHOS
 
2
2) OCUPAÇÃO TEMPORÁRIA
 
A ocupação temporária é a utilização transitória de bens imóveis particulares pelo Poder Público, paraa execução de obras, serviços ou atividades públicas ou de interesse público.De acordo com José dos Santos Carvalho Filho, são suas características principais: a) são imposições de caráter não-real;b) incidem sobre a propriedade imóvel.Assevera Maria Sylvia Zanella di Pietro que o artigo 3 da Lei 1.021/03 estabeleceu que seriam
 
definidas em regulamento as regras e formalidades para a ocupação temporária de imóveis,quando for indispensável à execução de obras e para a devida indenização aos particulares.Entretanto, não existe um único tipo de ocupação temporária. Algumas são instituídassomente sobre propriedade imóvel, como é o caso do Decreto lei 3.365/41, outras, tambémsobre bens móveis e serviços como ocorre com a ocupação na Lei 8.666/93 e da Lei 8.987/ 95. Por isso, alguns autores, como é o caso do Prof. Hely Lopes Meirelles não identificamsomente os bens imóveis.c) objeto: a necessidade de realização de obras e serviços públicos normaisc) tem caráter transitório; entretanto, somente diante do caso concreto é que será definido oprazo de duração.d)é uma medida auto-executória, ou seja, independe de aquiescência do particular e damanifestação do Poder Judiciário para efetivamente ocorrer.e)Tem natureza gratuita (quando a utilização for por um período muito curto e não causar dano aoproprietário ou estiver vinculada à desapropriação) ou onerosa (como se fosse um arrendamentoforçado).Pode ocorrer quando a Administração Pública precisa colocar equipamentos em um terrenopara construir uma estrada, quando precisa de escolas, clubes para fazer a vacinação de crianças oueleições.2) REQUISIÇÃO ADMINISTRATIVA
 
N
ÚCLEO
P
REPARATÓRIO
E
XAME DA
O
RDEM
 
P
ROFª
A
NA
P
AULA
M
ATOSINHOS
 
3
É uma medida de intervenção estatal que diante de um
perigo público iminente
poderá
 
requisitar bens móveis, imóveis e serviços particulares, gerando direitoàindenização posteriorcaso ocorra efetivamente dano (art. 5, XXV).A grande diferença da ocupação temporária é que nesta a necessidade não se respalda em umperigo público iminente; e para alguns recai somente sobre bem imóvel.São suas características:a) são imposições de caráter não-real;b) incidem sobre a propriedade imóvel, móvel e serviços.c) objeto: evitar ou sanar um perigo público que esteja prestes a acontecer ou efetivamenteocorrendo.c) tem caráter transitório; entretanto, somente diante do caso concreto é que será definido oprazo de duração, que deverá extinguir juntamente com situação de perigo.d)é uma medida auto-executória, ou seja, independe de aquiescência do particular e damanifestação do Poder Judiciário para efetivamente ocorrer.e)Tem natureza gratuitaa) somente haverá direito à indenização quando ocorrer dano.Ocorre quando há um incêndio e o Corpo de Bombeiros precisa de carros, casas e pessoas paraajudar a atender às vítimas.

Activity (57)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Janaina Azambuja liked this
Juliana Mesquita liked this
Biia Guedes liked this
Daiany Oliveira liked this
seth_fx8231 liked this
seth_fx8231 liked this
artfranbat liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->