Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
9Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
2010 - Volume 2 - Caderno do Aluno - Ensino Médio - 1ª Série - Geografia

2010 - Volume 2 - Caderno do Aluno - Ensino Médio - 1ª Série - Geografia

Ratings: (0)|Views: 11,424|Likes:
Caderno do Professor com todas atividades e respostas para uso em dúvidas. Atenção: As respostas contidas aqui tem o objetivo de contribuir para um maior conhecimento e não apenas serem copiadas, já que se for pra copiar e não aprender nada, não perca seu tempo. Assim tire proveito das atividades.
Caderno do Professor com todas atividades e respostas para uso em dúvidas. Atenção: As respostas contidas aqui tem o objetivo de contribuir para um maior conhecimento e não apenas serem copiadas, já que se for pra copiar e não aprender nada, não perca seu tempo. Assim tire proveito das atividades.

More info:

Published by: Anderson Guarnier da Silva on Jun 01, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/01/2013

pdf

text

original

 
GABARITO Caderno do Aluno Geografia 1
a
série – Volume 2
1
SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1A MUDANÇA DAS DISTÂNCIAS GEOGRÁFICAS E OSPROCESSOS MIGRATÓRIOS
Para começo de conversa
Página 3
1. Vários grupos estrangeiros vieram para o Brasil ao longo de sua história e emdiferentes condições. Foi o caso dos italianos. O período de maior imigração italianaocorreu entre 1880 e 1930. Outro grupo marcante que veio ao Brasil foi o de japoneses. A imigração do distante país asiático começou no início do século XX. Não há como esquecer os portugueses que migraram ao longo da história comocolonizadores. Depois da descolonização, somente na primeira metade do século XXa migração portuguesa foi retomada, época em que chegavam 25 mil imigrantes portugueses por ano.2. No final do século XIX, os navios que traziam imigrantes da Europa faziam o percurso em cerca de 30 dias. Já a duração da viagem para os migrantes japonesesera quase o dobro. Por exemplo, o Kasato Maru partiu do porto de Kobe e demorou52 dias para chegar a Santos.3. A distância é de 18 500 km. Essa informação, porém, não deve ser pesquisada etransformada num número que os estudantes repassem. Somente haverá valor na produção dessa resposta se ela for obtida com os alunos fazendo mediçõesdiretamente num mapa-múndi que possua escala. Para isso deverão calcular oscentímetros que separam Brasília e Tóquio (as capitais) e transformar os centímetrosem quilômetros por meio da aplicação de um cálculo que faz uso da escalacartográfica. É provável que não se chegue a essa medida (18 500 km), em razão dasdeformações provocadas pela projeção – a escala é apenas uma referência do índicegeral de redução do mapa, e não tem a mesma correspondência em todas as partes domapa (vide volume 1 do Caderno). A diferença entre a medida obtida e a medida noterreno real é uma boa oportunidade para discutir esse problema da escala.
 
GABARITO Caderno do Aluno Geografia 1
a
série – Volume 2
2
Páginas 4 - 5
1. A viagem durou 52 dias. Nessa época os navios eram movidos por motores a vapor.O Kasato Maru era um navio russo de motores bem lentos se comparados aos naviosmodernos. Outros aspectos também relacionados ao seu
design
indicam a condiçãode meio de transporte mais lento. Seria interessante comparar com uma foto de umnavio moderno.2. Não, pois a viagem era muito demorada e cara, além de o imigrante não ter dinheiro para o retorno. Todas as suas economias haviam sido consumidas na viagem para oBrasil. Apesar da ajuda dos governos, tanto brasileiro como japonês, a maioria dosimigrantes viajava com poucos recursos.3. Atualmente, há mais de 225 mil brasileiros no Japão. A viagem é muito mais curta e bem mais barata do que foi para o imigrante japonês que veio ao Brasil no começodo século passado. Hoje em dia, a viagem de avião dura, em média, 23 horas.4. Alguns tendem a ficar, mas a maioria esmagadora não foi com essa pretensão. São,na verdade, trabalhadores temporários em empregos precários, que somente sãocompensadores aos brasileiros por causa da diferença cambial (do dólar em relaçãoao real). Ou seja, esses imigrantes vão voltar depois de certo tempo. O retorno érelativamente fácil, tanto que alguns conseguem vir passar férias no Brasil e depoisvoltam para mais um período de trabalho.5. A distância geográfica é a mesma em termos de quilômetros, porém ela possui outrovalor para o ser humano. Assim, podemos dizer que, em função da mudança nosmeios de transporte, o Japão ficou “mais perto” do Brasil. Aliás, pode ser dito que omundo “encolheu”.6. Sem dúvida, o fator fundamental foi o desenvolvimento das tecnologias detransporte. As novas possibilidades aumentaram significativamente a mobilidadehumana. As viagens a grandes distâncias foram beneficiadas com a invenção daaviação. Embora viajar de avião ainda seja para poucos (por não ser uma viagemmuito barata), as viagens de navio eram bem mais caras no começo do século XX.
 
GABARITO Caderno do Aluno Geografia 1
a
série – Volume 2
3
Páginas 5 - 7
1. Trata-se da projeção Bertin (Jacques Bertin foi o grande cartógrafo do século XX).Ela é feita de modo a eliminar uma boa parte das áreas oceânicas. Ela é muito boa para representar as novas proximidades e a intensidade dos fluxos entre oscontinentes. Representa melhor o que é o mundo marcado pelo aumento damobilidade do ser humano.2. Os principais fluxos são aqueles representados pelas setas mais largas. Por exemplo:do México para os Estados Unidos; da América Central para os EUA; da Europa paraos EUA; do subcontinente indiano para o Golfo Pérsico. Isso foi possível visualizar sem a consulta da legenda. Os países em tons de vermelho mais escuros são aquelesque visualmente mostram a maior manifestação do fenômeno representado, que nocaso é a maior participação de imigrantes no conjunto da população. É um mapa paraver, pois o que gera significado é a imagem, e não o texto.3.a) O recurso visual utilizado para mostrar o fluxo de imigrantes entre os continentesé a seta. Trata-se de um símbolo de entendimento bem universalizado. Praticamentetodos entendem a seta como uma indicação de direção. Esse é um recurso bastanteadequado para a cartografia, que sempre deve fazer uso de recursos visuais deentendimento claro e generalizado. Em linguagem técnica: os símbolos devem ser monossêmicos, quer dizer, ter um único significado. b) A variável utilizada para mostrar que um fluxo representa mais imigrantes queoutro (maior quantidade) é a variável visual tamanho. No caso, ela está presente nalargura das setas. Quanto mais larga a seta, maior o volume de imigrantes. Quer dizer: há uma relação direta; seta mais larga
fluxo de imigrantes maior. Por outrolado, a variável visual utilizada para mostrar as diferentes participações de imigrantesnas populações dos países é a variável visual valor (vide volume 1 do Caderno).c) EUA, Golfo Pérsico e Europa Ocidental, que atraem imigrantes por diferentesmotivos: – Os EUA são a economia mais poderosa do mundo e há um século é o maior reduto de imigrantes, responsáveis pelo povoamento e pelo vigor do país.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->