Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword or section
Like this
124Activity
×

Table Of Contents

0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Caderno de Direito Penal

Caderno de Direito Penal

Ratings: (0)|Views: 42,520|Likes:

More info:

Published by: Érika Nunes Garajau on Jun 03, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/06/2014

pdf

text

original

 
Direito Penal – OAB 2ª Etapa(Profa. Patrícia Vanzolini)
<www.lfg.com.br/areadoaluno>
Aula dia 05/10/2010
- Sexta-feira: plantão de dúvidas..-
Material
: bibliografia no site.1) Livro Prática Penal (RT é como se fosse nossa apostila, materialessencial do curso – 7 ed.).2) Vademecum. Levar o codigozinho que é mais cil de consultar(verdinho RT tem mais remissões) atualizado e um Vademecum grandecomo complemento.3) Resumos do Elementos do Direito de Penal e Processo Penal, osRemédios Constitucionais e o livro de ECA.-
Esqueleto
(montagem do raciocínio): antes de tudo entender o contextodo problema. Não tentar identificar a peça de cara!1)
Cliente
: é importante verificar se seu cliente é a vítima ou oindiciado.2)
Crime/ pena
: o crime e a respectiva pena que constam dadenúncia ou do respectivo inquérito. Quando vc acha que é outro crime –desclassificação. Às vezes o problema já traz o crime. Outras vezes vc temque identificar o crime – é importante a correta tipificação. Se houver umamudança de tipificação na stç, vc tem que colocar no item 2.3)
Ação penal
: é importante para descobrir a minha peça e a minhatese. Ex.: se eu tenho uma ão privada ou blica condicionada arepresentaçao aí eu posso ter uma tese de nulidade – ex.: legitimidade departe. OU ainda condiçoes de procedibilidade.=> Pode-se pensar tb em causas de extinção da punibilidade (4):decadência, perempção, renúncia e perdão do ofendido. É preciso checarisso se for ação ação privada.
 
4)
Rito Processual:
importante para definir a competência. Sesumaríssimo JECRIM (ex.: assédio sexual, ação privada, rito JECRIM). Temtb os processos de juri – rito de juri. Rito ordinário e sumário- juízo comum,sem grandes problemas. Cada rito tem uma sequencia lógica, aí vc sabe opróximo passo. Saber qual é o rito tb faz vc perceber novas teses.
Ex.: Tício caloniou o Mévio que ofereceu queixa-crime. O juiz aceitou a queixa-crime ecitou imediatamente Tício.- Crime: art. 138 c/c art. 141 (6m a 2ª +1/3)- Ação penal: privada- Rito processual: especial de crime de honra (CPP): nesse antes da citação deve serfeita uma audiência, e aí estava a tese da questão: está no imediatamente o erro do juiz.
5)
Momento processual
: é preciso identificar o momento processual.Ex.: era caso de apelação e a pessoa fez uma revisão criminal. Não é pq apessoa o sabia a diferea entre as duas pessas. Foi uma falha deidentificação do momento: não viu que já havia transitado em julgado.6)
Peça:
conjugação do cliente, do rito e do momento (1+ 4+ 5).7)
Competência:
conjugação entre a peça e o rito.8)
Tese
: não tem uma regra padronizada.9)
Pedido
: decorre da tese.
- Identificação da Peça:
1)
Cliente:
a-
 
verificar se deve patrocinar os interesses do autor ou davítima do crime. (verificar se um ou mais de um).b- verificar também a parte contrária. Ex.: pode ser o MP emação pública, mas pode ser outra pessoa no de ação privada (ex:Mévio). É importante verificar se é um só ou mais de um, msmpq isso poderia gerar uma extinção por renúncia para o juiz vcnão denunciar os dois autores.2)
Crime/pena
:a- verificar o crime que está sendo imputado.
 
b- verificar, se for o caso, o crime efetivamente praticado(desclassificação.Ex.: no caso de roubo para furto vc tem q pedir adesclassificação e a anulação do processo pela diferença de rito, pq nofurto por exemplo causa sursis processual. Por isso é preciso checar secom a mudança da imputação não houve uma mudança de rito).3)
Ação penal:
 a- classificação subjetiva:a.1 - Pública (denúncia): incondicionadacondicionada: representaçãorequisiçãoa.2 – Privada (queixa-crime): propriamente ditapersonalíssimasubsidiária da pública=> o advogado criminalista pode fazer representação, HCe revisão criminal, contudo por não serem privativas o Cespe nãocobrava.Segunda parte aula dia 05/10/10:-
Como identificar a ação penal?R:
A ação penal de cada crime, se for do CP, vc vai procurar no CP – parteespecial (e ñ no CPP). Se de lei especial estará nesta lei junto com o crime.Ex.: estupro (art. 213, CP) – art. 225 (
Regra
: pública condicionada arepresentação.
Exceção
: crime contra vulnerável ou menor de 18 anos –pública incondicionada).
Súm. 608, STF: se o crime for cometido com violência real
 
, aação penal é pública incondicionada. 2 posições:
a)ainda vale
b)
o tem mais validade em face da modificação da lei (
posição majoritária
– interpretação mai favorável ao réu):

Activity (124)

You've already reviewed this. Edit your review.
Charyelly Porto liked this
ttlthiago liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Maria Alexsandra liked this
Pri Martinez liked this
Ricardo Silva liked this
seth_fx8231 liked this
Lu Carvalho added this note|
Material excelente pena que não tenho cartão para associar. Parabéns.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->