Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
30Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Serie Professoras 02 -Simplesmente Apaixonados

Serie Professoras 02 -Simplesmente Apaixonados

Ratings: (0)|Views: 900 |Likes:
Published by Lilith Lisa
É a continuação da fascinante história de quatro mulheres notáveis - amigas e professores da Escola da Senhorita Martin para Meninas. No centro deste romance fascinante é Anne Jewell, uma professora atormentada por um passado escandaloso ... Até que ela conhece um homem que lhe ensina a lição mais importante de tudo: nada é simples quando se trata de amor. ...
É a continuação da fascinante história de quatro mulheres notáveis - amigas e professores da Escola da Senhorita Martin para Meninas. No centro deste romance fascinante é Anne Jewell, uma professora atormentada por um passado escandaloso ... Até que ela conhece um homem que lhe ensina a lição mais importante de tudo: nada é simples quando se trata de amor. ...

More info:

Published by: Lilith Lisa on Jun 09, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/15/2013

pdf

text

original

 
Simplesmente ApaixonadosI – Mary Balogh
Simply Love
É a continuação da fascinante história de quatro mulheres notáveis - amigas e professores daEscola da Senhorita Martin para Meninas. No centro deste romance fascinante é Anne Jewell, uma professora atormentada por um passado escandaloso ... Até que ela conhece um homem que lheensina a lição mais importante de tudo: nada é simples quando se trata de amor. ...Quando Anne viu Sydnam pela primeira vez, levou o maior susto de sua vida. De perfil, ele parecia o homem mais bonito do mundo, mas ao vira-se mostrou o lado de seu corpo que a guerratinha deixado terrivelmente desfigurado. Eles eram dois seres marcados: ele, por estilhaçosfranceses, ela, pela rejeição da rígida sociedade vitoriana, que não perdoa uma mulher por ser mãesolteira. Nenhum deles se interessa pelos jogos na mansão dos Bedwyn. Anne só aceita o convite para que seu filho possa estar com outras crianças. Sydnam, o administrador da propriedade, sóespera que os convidados partam logo. Mas quando os dois se encontram, descobrem uma forteatração que culmina em uma noite de paixão. Diante deles se abre agora um futuro de esperança: achance de derrubar o muro da solidão em que se refugiaram, e expor seus segredos mais íntimos ...
 Às vezes, as feridas do coração...
Anne vive centrada em seu trabalho como professora na escola da senhorita Martin e na criaçãode seu filho David, o resultado de um estupro nove anos atrás. Joshua e Freyja, primos do pai deDavid, sentem-se responsáveis por ela e sempre a protegeu. Agora dão um passo mais e aconvencem a ir com seu filho a mansão de verão dos Bedwyn . Anne tenta passar desapercebida,
 
mas seus anfitriões têm outros planos. Planos que tem muito que ver com o homem que cuida damansão, um homem ferido no corpo e, o que é mais grave, em seu espírito. Anne e Sydnam sãoduas almas solitárias a quem o destino quis dar uma última chance ...... se eles souberem aproveitá-la....
São mais profundas que as da carne.
Sydnam Butler, filho do conde de Redfield e ex-soldado de Sua Majestade ferido em combatetinha aprendido a viver sozinho com suas cicatrizes. De vez em quando, emocionado diante da beleza agreste da paisagem de Gales que era seu refúgio e sua prisão, esquecia de sua desgraça.Mas o espelho o recordava sempre que já não podia sustentar um pincel para pintar um quadro, nem podia aspirar que alguma mulher ocupasse sua cama e seu coração... Metade de seu corpo era a deum homem forte e bonito como poucos. A outra metade, a imagem distorcida de um monstro.Quando conhece Anne, descobre uma mulher capaz de ver além do horror de seu corpo e da dor quecorrói sua alma.
* * *
Queridos leitoresQuando estava preste a sair a re-edição de The Secret Pearl em novembro de 2005, eestava aguardando o aparecimento desta obra, pareceu-me que há uma semelhança notávelentre os protagonistas desses dois romances: os dois sofreram graves feridas e lesões nasguerras napoleônicas, que mudaram para sempre sua bela aparência.Sempre me fascinou observar a forma tão distinta como as pessoas reagem aosacontecimentos catastróficos que mudam drasticamente a vida. Alguns homens que sofreramcomo Adam Kent e Sydnam Butler permitem que seus males os diminuam e arruínem suasvida. Mas estes dois não! Para ambos foi difícil adaptar-se, mas finalmente triunfaram sobretodas as adversidades. Afinal são personagens heroicos que devem ser dignos de suas heroínase têm que ganhar o
«felizes para sempre»
.De qualquer forma, a maneira como reconstruiu suas vidas é muito diferente, comoacredito que vocês concordarão. E isto é o que mais me fascina na criação de personagens deficção. Se convertem em pessoas vivas, nenhuma exatamente igual à outra, por maissemelhantes que sejam as circunstâncias nas quais se encontram.Espero que você goste de
Simplesmente apaixonados
, e que decida ler The Secret Pearlquando for publicada nesta mesma coleção.Feliz leitura!Mary Balogh
 
Capítulo 1
Escolares com elegante uniformes azul marinho caminhavam em uma ordenada fila de dois emdois pela Great Pulteney Street em Bath no ritmo apressado imposto por uma de suas professoras, asenhorita Susanna Osbourne, vinham da Escola de Meninas da senhorita Martin, localizada naesquina das Ruas Daniel com a Sutton, e foram em direção da Ponte Pulteney e da cidade situadado outro lado do rio.A fila era constituída por apenas doze as meninas, pois as demais já haviam partido para suascasas no dia anterior com seus pais, tutores ou criados para passar as férias de verão. Estas dozealunas eram as favorecidas com o regime gratuito, mantidas na escola em parte pelo que pagavamas outras e em parte pelas generosas doações de um benfeitor anônimo. Este benfeitor tinha mantidoa escola em momentos difíceis, quando a senhorita Martin se viu obrigada a fechá-la por falta derecursos há alguns anos, e permitiu-lhe realizar seu sonho de proporcionar educação para meninas pobres, além daquelas de famílias ricas. Ao longo dos anos, a escola adquiriu a reputação deoferecer boa e ampla educação acadêmica a meninas e jovens de todas as classes sociais.As meninas em regime gratuito não tinham para onde ir durante as férias, portanto duas ou maisdas professoras residentes eram obrigadas a permanecer na escola para cuidar delas e entretê-las atéque as aulas retornassem Nesse verão eram três as professoras residentes que ficariam na escola: a própria senhoritaMartin, Susanna Osbourne e Anne Jewell.A senhorita Martin e a senhorita Jewell iam atrás da fila de meninas. Normalmente, não eramnecessários três professoras para acompanhar um grupo de doze jovens em uma excursão, pois asalunas eram muito disciplinadas, ou pelo menso eram depois de estar uma ou duas semanas naescola. Mas era o primeiro dia das férias de verão e estavam a caminho do salão de chá Sally Lunn's para comer os famosos pãezinhos que se serviam ali na hora do chá, o muito esperado convite anualque as alunas que pagavam jamais participaram.A senhorita Martin e a senhorita Osbourne iam tomar o chá com as garotas. A senhorita Jewellnão, mas desde que seu destinho estava no percurso, ela caminhava com elas. Seu filho David iaentre duas das garotas, conversando alegremente com elas mesmo que elas sendo vários anos maisvelhas que ele.— Não entendo, Anne, como pode renunciar o chá no abarrotado salão de Sally Lunn's com dozemeninas barulhentas e risonhas para ir respirar o ar requintado de uma sala elegante e espaçosacom pessoas ricas e títulos de nobreza —disse a senhorita Martin irônica.— Convidaram-me especificamente para hoje — repôs Anne rindo—, mas você não quis deixar  para amanhã a visita ao Sally Lunn. Você foi muito injusta, Claudia. —Não, fui muito prática. Eu teria sido pendurada pelos polegares na árvore mais próxima setivesse sugerido qualquer adiamento. E você e Susanna também. Mas a verdade, Anne, uma coisa étomar chá com lady Potford, que foi boa e amável com você no passado, mas tomar o chá com«
aquela mulher»
!Ao dizer 
«aquela mulher»
, ela queria dizer a marquesa de Hallmere, quando solteira foi ladyFreyja Bedwyn, irmã do duque de Bewcastle. Antes de abrir a escola, a senhorita Martin foigovernanta de lady Freyja, que já tinha afugentado toda uma sucessão de governantas anteriores.Ela também partiu, embora mais por indignação que por medo; partiu ao meio-dia e a pé,carregando todos os seus pertences, recusado qualquer indenização ,carta de recomendação outransporte do Duque de Bewcastle. De certa forma, figurativamente, zombava de toda a família.Lady Potford tinha convidado Anne para tomar chá em Great Pulteney Street porque seu netoJoshua Moore, o marquês de Hallmere, estava passando uns dias na cidade, hospedado em sua casa,com sua mulher e seus filhos.— Eu fui convidado por causa de Joshua — disse Anne—. Você sabe como sempre foi bomcomigo e com o David, Claudia.Ele foi seu amigo no momento em que todos tinham lhe virado as costas, ou ao menos isso parecia. Inclusive a tinha ajudado economicamente por vários anos, quando ela estava quase na

Activity (30)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Ada Santos Lima liked this
Ada Santos Lima liked this
Rosimari Araujo liked this
Kaline Jordane liked this
Mafalda Filipe liked this
Claudia Ramos liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->