Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
3Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Oxigênio dissolvido em sistemas aquáticos

Oxigênio dissolvido em sistemas aquáticos

Ratings: (0)|Views: 2,752|Likes:
Nos ecossistemas aquáticos, as reações de oxidação e redução exercem papel primordial na manutenção da vida. No
presente artigo, são discutidos: a importância do oxigênio dissolvido como agente oxidante, os fatores que afetam sua
solubilidade, o balanço de oxigênio dissolvido nos sistemas aquáticos e suas variações com a profundidade da coluna
d’água. Essas informações podem ser utilizadas pelo professor do ensino médio na abordagem dos temas estruturadores
“Química e hidrosfera” e “Reconhecimento e caracterização das transformações químicas” descritos nos Parâmetros
Curriculares Nacionais.
Nos ecossistemas aquáticos, as reações de oxidação e redução exercem papel primordial na manutenção da vida. No
presente artigo, são discutidos: a importância do oxigênio dissolvido como agente oxidante, os fatores que afetam sua
solubilidade, o balanço de oxigênio dissolvido nos sistemas aquáticos e suas variações com a profundidade da coluna
d’água. Essas informações podem ser utilizadas pelo professor do ensino médio na abordagem dos temas estruturadores
“Química e hidrosfera” e “Reconhecimento e caracterização das transformações químicas” descritos nos Parâmetros
Curriculares Nacionais.

More info:

categoriesTypes, Reviews
Published by: Aquarismo Ornamental on Jun 10, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/10/2011

pdf

text

original

 
10
QUÍMICA NOVA NA ESCOLAN° 22, NOVEMBRO 2005
Q
UÍMICA
 
E
S
OCIEDADE
A seção “Química e sociedade” apresenta artigos que focalizam diferentes inter-relações entre Ciência e sociedade,procurando analisar o potencial e as limitações da Ciência na tentativa de compreender e solucionar problemas sociais.Neste número a seção apresenta dois artigos.
     L
L
Recebido em 29/4/04, aceito em 9/5/05
Oxigênio dissolvido em sistemas aquáticos
 T
odas as formas de vida exis-tentes na Terra dependem daágua. Apesar da maior parte dasuperfície do nosso planeta ser reco-berta por água, 97,3% da água domundo é água salgada, inadequadapara beber e para a maioria dos usosagrícolas. Os lagos e rios são as prin-cipais fontes de água potável; porém,constituem menos de 0,01% do su-primento total de água (Baird, 2002; Azevedo, 1999). Adicionando aos riose lagos a água subterrânea a menosde 800 m da superfície, a água docefacilmente disponível representa ape-nas 0,3% do volume total na Terra.Diante da disponibilidade restritade águas naturais para consumo hu-mano e da sua crescente poluição, éimportante entender os processosquímicos que nelas ocorrem e comoo uso do conhecimento químico podeser empregado na avaliação da qua-lidade da água. Pretende-se neste ar-tigo, portanto, fornecer alguns subsí-dios teóricos ao professor de Químicado Ensino Médio para a abordagemdo tema “água” numa perspectivaambiental, proposta esta já discutidanesta revista (Silva, 2003).Pode-se considerar a química daságuas naturais dividida em duas cate-gorias de reações mais comuns: asreações ácido-base e as de oxidação-redução (redox). Os fenômenos áci-do-base e de solubilidade controlamo pH e as concentrações de íons inor-gânicos dissolvidos na água, comoo carbonato e o hidrogenocarbonato,enquanto o teor de matéria orgânicae o estado de oxidação de elementoscomo nitrogênio, enxofre e ferro, en-tre outros presentes na água, sãodependentes da presença de oxigê-nio e das reações redox.
Oxigênio dissolvido: propriedades esolubilidade
O agente oxidante mais impor-tante em águas naturais é o oxigêniomolecular dissolvido, O
2
(Baird, 2002).Em uma reação envolvendo transfe-rência de elétrons, cada um dos áto-mos da molécula é reduzido do esta-do de oxidação zero até o estado deoxidação -2, formando H
2
O ou OH
. As semi-reações de redução do O
2
em solução ácida e neutra são, res-pectivamente:O
2
+ 4H
+
+ 4e
 
2H
2
O
E
° = 1,229 V(1)O
2
+ 2H
2
O + 4e
 
4OH
E
° = 0,401 V(2) A concentração de oxigênio dis-solvido (OD) em um corpo d’água
1
qualquer é controlada por vários fato-res, sendo um deles a solubilidade dooxigênio em água. A solubilidade do OD na água, co-mo para outras moléculas de gasesapolares com interação intermolecu-lar fraca com água, é pequena devidoà característica polar da molécula deágua (Tabela 1). A presença do O
2
naágua se deve, em parte, à sua disso-lução do ar atmosférico para a água:O
2
(g) O
2
(aq)(3)cuja constante de equilíbrio apropria-da é a constante da Lei de Henry
2
,
H
. Outra fonte importante de oxigêniopara água é a fotossíntese.Para o processo de dissolução doO
2
,
H
é definida como:
H
= [O
2
(aq)]/ 
 p
O
2
(4)
 Antonio Rogério Fiorucci e Edemar Benedetti Filho
Nos ecossistemas aquáticos, as reações de oxidação e redução exercem papel primordial na manutenção da vida. Nopresente artigo, são discutidos: a importância do oxigênio dissolvido como agente oxidante, os fatores que afetam suasolubilidade, o balanço de oxigênio dissolvido nos sistemas aquáticos e suas variações com a profundidade da colunad’água. Essas informações podem ser utilizadas pelo professor do ensino médio na abordagem dos temas estruturadores“Química e hidrosfera” e “Reconhecimento e caracterização das transformações químicas” descritos nos ParâmetrosCurriculares Nacionais.oxigênio dissolvido, ecossistemas aquáticos, oxidação-redução
 
11
QUÍMICA NOVA NA ESCOLAN° 22, NOVEMBRO 2005
Oxigênio dissolvido em sistemas aquáticos
onde
 p
O
2
é a pressão parcial dooxigênio atmosférico.O valor de
H
para o O
2
a tempe-ratura de 25 °C é de 1,29 x 10
–3
mol L
–1
atm
–1
.Desta forma, como no nível do mara pressão atmosférica é de 1 atm e acomposição média em volume oumolar do ar seco é de 21% de O
2
, po-de-se estimar a pres-são parcial do oxi-gênio como sendo0,21 atm. Substituin-do esse valor depressão na expres-são da constante de equilíbrio deHenry rearranjada, tem-se:[O
2
] =
H
 p
O
2
=1,29 x 10
–3
mol L
–1
atm
–1
x 0,21 atm= 2,7 x 10
–4
mol L
–1
Portanto, estima-se a solubilidadedo O
2
em água, a 25 °C e no nível domar, como sendo 8,6 mg L
–1
. Esse va-lor apresenta uma concordânciarazoavelmente boa com o valor me-dido de 8,11 mg L
–1
mostrado na Ta-bela 1 (Connell, 1997).Como a solubilidade é proporcio-nal à pressão parcial
2
de O
2
([O
2
] =
H
 p
O
2
), pode-se inferir que a umadada temperatura a solubilidade dooxigênio na água decresce com o au-mento da altitude, pois com o aumen-to da altitude há uma diminuição dapressão atmosférica e o oxigênio,sendo um dos componentes do ar,terá sua pressão parcial também re-duzida. Como a composição do ar se-co em termos de O
2
é praticamenteconstante em altitudes modestas,poderíamos dizer que a diminuiçãoda pressão parcial de O
2
será prati-camente proporcional à diminuiçãoda pressão atmosférica.Um fator mais importante que aaltitude no controle da solubilidade doO
2
na água é a temperatura. Como asolubilidade dos gases em água di-minui com a elevação da temperatu-ra
3
, a quantidade de oxigênio que sedissolve a 0 °C (14,2 mg L
–1
) é maisdo que o dobro da que se dissolve a35 °C (7,0 mg L
–1
). A Figura 1 ilustraesse fato. Deste modo, águas de riosou lagos aquecidasartificialmente comoresultado de polui-ção térmica contêmmenos OD. A polui-ção térmica ocorrefreqüentemente como resultado daoperação de usinas geradoras deenergia elétrica, que retiram água friade um rio ou lago e a utilizam pararefrigeração, devolvendo continua-mente água aquecida à sua origem.Baseado na solubilidade do O
2
,fica notório que os organismos aquá-ticos tropicais têm menos oxigêniodisponível do que os de ambientesaquáticos de clima temperado. Essaconstatação assume importânciaquando se considera que nos lagospróximos ao Equador a temperaturapode atingir até 38 °C (Esteves, 1998).Isto não significa que os organismosem um lago próximo do Equador irãoter problemas para sobreviver, poisestão adaptados para essas condi-ções ambientais.Embora insignificante quandocomparada à temperatura, a salini-dade também influencia na capacida-de da água em dissolver oxigênio. Oaumento da salinidade diminui a solu-bilidade do O
2
na água. Assim, aquantidade de minerais ou a presen-ça de elevadas concentrações desais dissolvidos na água em decor-rência de atividades potencialmentepoluidoras podem, mesmo que empequena intensidade, influenciar oteor de OD na água. Desta forma, asalinidade é a principal causa do me-nor valor de OD nas águas salgadas,em relação ao mesmo valor em águasdoces em condições idênticas detemperatura e pressão atmosférica. Além da temperatura, pressão esalinidade que controlam a solubili-dade do oxigênio na água, existemoutros fatores bioquímicos e climáti-cos que também influenciam o teorde OD e que serão discutidos no textoa seguir.
O balanço de oxigênio dissolvidonos sistemas aquáticos
Dentre os gases dissolvidos naágua, o oxigênio é um dos mais im-portantes na dinâmica e caracteriza-ção dos ecossistemas aquáticos (Es-teves, 1998). As principais fontes deoxigênio para a água são a atmosferae a fotossíntese. Por outro lado, asperdas de oxigênio são causadas pe-lo consumo pela decomposição damatéria orgânica (oxidação), por per-das para a atmosfera, respiração deorganismos aquáticos, nitrificação
4
eoxidação química abiótica de subs-tâncias como íons metálicos - ferro(II)e manganês(II) -, por exemplo.Essas diversas transformações doO
2
nos sistemas aquáticos são repre-sentadas esquematicamente na Figu-ra 2.Nas condições naturais de um sis-tema aquático não poluído, o mate-rial mais habitualmente oxidado pelooxigênio dissolvido na água é a maté-ria orgânica de origem biológica, co-mo a procedente de plantas mortase restos de animais. Esse processode oxidação, chamado de degrada-ção aeróbica, ocorre em água ricasem oxigênio, ou seja, que possuemníveis de oxigênio próximos de 100%de saturação
5
, e é mediado por micro-organismos aeróbicos. A reação quí-mica envolvida pode ser expressa deforma simplificada supondo que amatéria orgânica seja em sua totali-dade carboidrato polimerizado
Tabela 1: Solubilidade de alguns gasesem água e constantes da Lei de Henry
a
(adaptado de Connell, 1997).GásSolubilidade
H
mg L
–1
mol L
–1
atm
–1
O
2
8,111,29 x 10
–3
N
2
13,46,21 x 10
–4
CH
4
241,34 x 10
–3a
Valores para pressão atmosférica de 1atm e temperatura de 25 °C.Figura 1: Solubilidade do gás oxigênio emágua a várias temperaturas, na pressãoatmosférica de 1 atm (760 mmHg). Osvalores de solubilidades para construçãodo gráfico foram consultados no seguintesítio na Internet: http://www.tps.com.au/ handbooks/93BFDOv2_1.PDF).
No controle dasolubilidade do O
2
naágua, a temperatura é o fator mais importante
 
12
QUÍMICA NOVA NA ESCOLAN° 22, NOVEMBRO 2005
(Guimarães e Nour, 2001), com umafórmula empírica aproximada deCH
2
O:(CH
2
O)
n
+ nO
2
 
nCO
2
+ nH
2
O(5)Considerando a matéria orgânica(MO) de uma forma mais complexa,pode-se substituir a Eq. 5 pela Eq.6:MO(C,H,N,S) + 5O
2
 
CO
2
+H
2
O+ NO
3
+ SO
42–
(6)O consumo de oxigênio por essesprocessos, em condições naturais, écompensado pelo oxigênio produzidona fotossíntese e pelo “reabastecimen-to” de oxigênio com a aeração da águaatravés do fluxo da água em cursosd’água e rios pouco profundos. Porém,a água estagnada ou a que estásituada próxima ao fundo de um lagode grande profundidade está, com fre-qüência, quase completamente semoxigênio, devido à sua reação com amatéria orgânica e à falta de qualquermecanismo que possibilite sua repo-sição com rapidez, já que a difusão,possível forma de reposição de O
2
, éum processo lento.Substanciais reduções no OD po-dem ocorrer nos ambientes aquáticos,com implicações ambientais severas,se quantidades significativas de maté-ria orgânica forem a eles incorporadas.Essa situação ocorre normalmentecom o lançamento de esgotos domés-ticos e de efluentes industriais ricos emmatéria orgânica nos corpos d’água.O aumento da matéria orgânica resultana maior taxa de respiração de micro-organismos, dando origem à elevaçãodas quantidades de CO
2
e metano (oúltimo produzido apenas por degrada-ção anaeróbica) e, principalmente, emuma demanda de oxigênio, cuja dis-ponibilidade é pequena devido à suasolubilidade bastante limitada na água.Para avaliar a qualidade da águaquanto à concentração de OD e a pre-sença de cargas poluidoras ricas emmaterial orgânico, alguns parâmetroscomo o teor de OD e a DBO (deman-da bioquímica de oxigênio) devem serdeterminados. Uma descrição do sig-nificado químico e biológico dessesparâmetros é apresentada na Tabela2. Os valores de DBO de esgotos ealguns efluentes industriais são mos-trados na Tabela 3.Não é raro que águas poluídascom substâncias orgânicas associa-das a resíduos de animais e de ali-mentos ou a esgoto apresentem umademanda de oxigênio superior à solu-bilidade de equilíbrio máxima de oxi-gênio. Sob tais circunstâncias, a me-nos que a água seja continuamenteaerada, a depleção de oxigênio seráalcançada rapidamente. A construção de represas sobreáreas de florestas também pode re-sultar na formação de lagos com altademanda de oxigênio dissolvido.Nessas represas, a grande quantida-de de fitomassa inundada
6
, ao se de-compor, consome grande quantidadede OD, gerando déficits altos de oxi-gênio. Os primeiros anos após a inun-dação correspondem ao período demaior demanda de oxigênio. Assim,não raramente, toda a coluna d’água
7
pode tornar-se desoxigenada.
Decomposição anaeróbica damatéria orgânica
Em baixa quantidade ou ausênciade OD, microorganismos anaeróbi-cos e facultativos
8
, principalmente asbactérias, desenvolvem a degrada-ção e decomposição da matéria orgâ-nica, através do processo de degra-dação anaeróbica. A reação de de-gradação anaeróbica pode ser ex-pressa de maneira simplificada:(7)Esse processo não requer nenhu-ma demanda por OD presente no cor-po d’água, sendo uma parte docarbono oxidada (para CO
2
) e a parterestante reduzida
9
(para CH
4
). Ometano e o dióxido de carbono pro-duzidos são liberados no interior damassa de água e, posteriormente, naatmosfera, resultando na remoção decarbono orgânico e da demanda deoxigênio do sistema. Esse processoocorre em pântanos, nos sedimentosde fundo enriquecidos com matériaorgânica, assim como em corposd’água impactados pela poluição deresíduos orgânicos. Dado que ometano produzido nesse processo épraticamente insolúvel em água, eleforma bolhas que podem ser obser-vadas em zonas pantanosas. Poresse motivo, o metano já foi conhe-cido como “gás dos pântanos”.
 Variações e perfis verticais de OD
Não é raro encontrar ao mesmotempo condições aeróbicas e anae-róbicas em partes diferentes do mes-mo lago, particularmente no verão,devido à ocorrência de uma estratifi-cação estável em camadas de águadiferenciadas, como representado naFigura 3. A água próxima da superfíciedo lago é aquecida através da absor-ção de luz solar por materiais bioló-gicos, enquanto a parte que estáabaixo do nível de penetração da luzsolar permanece fria. Como a águamorna é menos densa que a água fria(a temperaturas próximas dos 4 °C
10
),a camada superior “flutua” sobre acamada inferior, ocorrendo poucatransferência de massa entre elas. Acamada superior geralmente contém
Figura 2: Balanço de oxigênio dissolvido nos sistemas aquáticos; os processos acele-rados ou aumentados pela descarga de materiais orgânicos são indicados por setasverdes (adaptado de Connell, 1997).
Oxigênio dissolvido em sistemas aquáticos

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->