Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
ABNT_TC

ABNT_TC

Ratings: (0)|Views: 145 |Likes:
Published by rogerioaavelino

More info:

Published by: rogerioaavelino on Jun 12, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/17/2013

pdf

text

original

 
R. Pe Agostinho, 2600
 –
Curitiba
 –
PR. CEP:80710-000
 
VIII Seminário Técnico de Proteção e Controle
28 de Junho a 1
o
de Julho de 2005
Rio de Janeiro
 – 
RJ
 
Artigo: ST-40SATURAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE CORRENTE
 –
UM ESTUDO DE CASOOdemar Solano Klock Jr.(odemar@copel.com)COPEL TRANSMISSÃO SARESUMOEste artigo mostra a análise de umaperturbação que trata da abertura de uma linha detransmissão onde as atuações das proteções foramcorretas porém, pela análise dos oscilogramas foiverificado que houve saturação do transformador decorrente. Para investigar este problema foi utilizadoum programa computacional que foi desenvolvidopara simular o comportamento transitório de umtransformador de corrente e que é apresentado nesteartigo. A conclusão da análise foi de que odimensionamento dos cabos secundários de ligaçãoaos transformadores de corrente impunham umacarga secundária que fazia com que ostransformadores de corrente saturassem.Como a maioria dos relés de proteção quesão aplicados atualmente utilizam tecnologia digital, acarga de seus respectivos transformadores decorrente tende a ser puramente resistiva,evidenciando o fato, muito importante, de que a carganominal de um transformador de corrente agora émenor, tendo em vista que para a maioria dostransformadores de corrente, para serviço deproteção, utilizados atualmente, a carga nominal seráreduzida pela metade (o fator de potência nominal é0,5).PALAVRAS-CHAVE: ANÁLISE; PERTURBAÇÃO;
SATURAÇÃO DE TC’s.
1. FUNDAMENTOS DETRANSFORMADORES DE CORRENTESegundo a ABNT[1], um transformadorpara instrumentos é um transformadordestinado a reproduzir, no seu circuitosecundário, a tensão ou corrente do seucircuito primário, com sua posição fasorialsubstancialmente mantida, em uma proporçãodefinida, conhecida e adequada para o usocom instrumentos de medição, controle eproteção.Os transformadores para instrumentosgarantem um isolamento contra o circuito dealta tensão, fornecendo em seu secundáriovalores proporcionais de corrente ou tensão docircuito ao qual está ligado.Os transformadores de corrente temseu enrolamento primário ligado em série como circuito de alta tensão. A impedância dotransformador, vista do lado primário, édesprezível, comparada com a do sistema aoqual está ligado, mesmo levando em conta acarga em seu secundário. Desta forma, a /corrente que circula no primário dostransformadores de corrente é ditada pelocircuito de potência.Um circuito equivalente aproximadopara um transformador de corrente é mostradona figura 1.
 
2
I
e
1 : nI
s
I
H
/nCarga (Z
B
)R
m
X
m
Z
L
Z
H
n²
 Figura 1 - Circuito equivalente do transformador decorrenteA corrente primária (I
H
) é diminuída emamplitude através da transformação sem perdas(perfeita). A impedância de dispersão primária (Z
H
) émodificada por n², quando referida ao secundário. Aimpedância de dispersão secundária é Z
L
. Oscomponentes de perdas no núcleo e de excitaçãosão representados por R
m
e X
m
. A corrente primária étransformada, sem erros de relação, ou de ângulo defase, na corrente I
H
 /n que é chamada, geralmente, decorrente primária referida ao secundário. Parte destacorrente é consumida na excitação do núcleo, e estacorrente (I
e
) é chamada de corrente de excitaçãosecundária. A diferença entra ambas é a verdadeiracorrente secundária. A corrente de excitaçãosecundária (I
e
), é função da tensão de excitaçãosecundária (V
s
) e da impedância de excitaçãosecundária (Z
m
). A curva que relaciona V
s
com I
e
échamada curva de excitação secundária, um exemplodesta curva é mostrada na figura 2.
11010010000.001 0.01 0.1 1 10 100Am peres
      V    o      l     t    s
 Figura 2 - Curva de Excitação SecundáriaEste circuito generalizado pode ser reduzido.A impedância primária Z
H
pode ser desprezada umavez que não causa influência na correntetransformada idealmente (I
H
 /n), nem na tensãoatravés de Z
m
. Geralmente Z
L
é resistiva. A correntede excitação I
e
é atrasada em relação a V
s
e é aprincipal fonte de erro. Note, então, que o efeito daexistência de I
e
é tornar I
s
menor e adiantada emrelação à corrente transformada idealmente (I
H
 /n).Este circuito fornece um bom meio para se explicar eestimar o desempenho aproximado a ser esperadodeste equipamento.Segundo a ABNT, os transformadores decorrente são enquadrados em uma das seguintesclasses de exatidão:5 (erro percentual até 5%);10 (erro percentual até 10%)Considera-se que um transformador decorrente para serviço de proteção está dentrode sua classe de exatidão quando seu erro derelação percentual não for superior ao valorespecificado, desde a corrente secundárianominal até uma corrente igual a 20 vezes acorrente secundária nominal. O erro de relaçãopercentual pode ser obtido pela seguinteequação
100%
SS H 
 I  I n I  E 
.Segundo a ABNT, as cargas nominaissão designadas por um símbolo formado pelaletra "C", seguida do número de Volt-Amperes,com a corrente secundária de 5A. Variam deC2,5 a C200, correspondendo,respectivamente a 2,5VA (0,1 Ohms) e 200VA(8 Ohms). A tabela I mostra as cargasnominais padronizadas pela norma ABNT.
Designação Resistência IndutânciaPotênciaAparenteFator dePotência ImpedânciaABNT OHM nH VA OHMC2,5 0,09 0,116 2,5 0,90 0,1C5,0 0,18 0,232 5,0 0,90 0,2C12,5 0,45 0,580 12,5 0,90 0,5C25 0,50 2,3 25 0,50 1,0C50 1,0 4,6 50 0,50 2,0C100 2,0 9,2 100 0,50 4,0C200 4,0 18,4 200 0,50 8,0
Tabela I
 –
Cargas Nominais padronizadas2. O PROGRAMA DE SIMULAÇÃOA componente assimétrica dascorrentes de falta em sistemas de potênciacausa, em certas situações, algum grau desaturação nos transformadores de corrente.Após a ocorrência de saturação, a correnteque alimenta os relés de proteção mostraráevidências de distorção e o desempenho dosesquemas de proteção pode ser afetado. Adistorção da corrente secundária que se obtématravés do transformador de corrente começasempre que a densidade de fluxo no núcleoentra na região de saturação.Quando se tem uma corrente primária,com um deslocamento provocado pelapresença de corrente contínua, como mostradona figura 3, ocorrerá um aumento do fluxo nonúcleo muitas vezes maior do que o requeridopara se transformar apenas a componente de60Hz da corrente.
 
3
TEM PO
      C      O      R      R      E      N      T      E
 Figura 3
 –
Corrente primária de faltaA figura 4 mostra o aumento da densidade defluxo no núcleo de um transformador de corrente,quando uma corrente deslocada pela componentecontínua é aplicada a um transformador de correntecom uma carga secundária resistiva. A componentecontínua da corrente introduz um fluxo contínuo nonúcleo do transformador de corrente sobre o qualoscila o fluxo devido a componente alternada dacorrente. Assim, uma corrente assimétrica necessitamais corrente de excitação do que a curva deexcitação secundária indicaria e, como resultado, asaída de um transformador de corrente na presençada componente contínua é menor do que a esperada.A saturação devido à componente contínua éespecialmente importante porque em casos severospode reduzir a saída de um transformador decorrente a quase zero para os primeiros ciclos dafalta. A duração desta condição é determinada pelarelação X/R do sistema.
Te m poFluxo
Fluxo Alternadoø
AC
Fluxo Transitórioø
TC
Fluxo Total øPico FluxoAlternadoFluxoMáximo
 Figura 4
 –
Fluxo no núcleoOs métodos de solução utilizados peloprograma de simulação do comportamento transitóriode transformadores de corrente são os mesmosusados no programa Electromagnetic TransientsProgram
 –
EMTP[3].Para se resolver o circuito equivalente dotransformador de corrente precisamos simular acurva de excitação do transformador de corrente que,geralmente, é dada pela tensão eficaz como umafunção da corrente de excitação eficaz. No EMTPexiste uma subrotina auxiliar (CONVERT) quetransforma a curva de excitação em uma curvafluxo x corrente. Esta rotina foi implementada noprograma e traz uma simplificação poisdesconsidera a histerese e as perdas nonúcleo. A curva é gerada ponto a ponto e ospontos intermediários são obtidos porinterpolação linear.A corrente I
H
 /n é simulada como umafonte de corrente com a seguinte expressão:
)0(sensen
iewt  Z n I 
 L R H 
onde
[Volts] é o módulo da tensão fase terrado sistema;
Z= 
 
+w 
L
[Ohms] é o módulo daimpedância de defeito; é o ângulo da tensãoem que a falta é aplicada; é o ângulo de Z; e
i(0)
é a corrente de carga. Pela expressão dacorrente verifica-se que a maior assimetria éobtida para
- = 90º.
 A janela do programa está mostrada aseguir na figura 5.Figura 5
 –
Janela do programaAssim que sejam fornecidos todos osseguintes dados:Dados do Sistema de PotênciaDados do Transformador de CorrenteDados da Curva de ExcitaçãoAcionando o botão <Executa>, oprograma calcula o comportamento transitóriodo transformador de corrente para os primeirosseis ciclos de falta e apresenta os gráficos dacorrente primária, tensão secundária, fluxo nonúcleo, corrente secundária e corrente deexcitação em valores secundários do ladoesquerdo da janela. Acionando o botão<Espectro>, que é habilitado após a simulação,o programa apresenta o valor eficaz e umaanálise espectral da corrente secundária.3. ANÁLISE DA OCORRÊNCIAO registro oscilográfico do circuitoPinheiros-138kV da subestação Foz doChopim está mostrado na figura 6. Como podeser observado, a corrente de falta está bemdistorcida indicando a existência de saturaçãodo transformador de corrente da fase A.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->