Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
22Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
monografia autista

monografia autista

Ratings: (0)|Views: 3,755 |Likes:
Published by Sussu Ca
Trabalho de especialização na PUC Minas
Trabalho de especialização na PUC Minas

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Sussu Ca on Jun 20, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/05/2013

pdf

text

original

 
 
1 INTRODUÇÃO
 Nossa experiência no atendimento psicomotor a crianças portadoras de síndromesdiversas e de diagstico infantil em Psicologia fez com que algumas escolas nosencaminhassem algumas crianças em que se evidenciava alguma “estranheza” na sala de aula.Durante o Curso de Educação Inclusiva da PUC Virtual, tendo em vista a necessidadede escolha de um tema para monografia, surgiu a idéia de abordar a inclusão de criançasautistas na pré-escola, logo após o estabelecimento de seu diagnóstico, salientando as inter-relações entre o processo educativo e o atendimento em Terapia Psicomotora.Este trabalho busca relacionar os dados coletados na Terapia Psicomotora de umacriança com Transtornos Invasivos do Desenvolvimento que está freqüentando uma escolacomum e fazer a interlocução possível entre o tratamento e a escolarização.A
Terapia Psicomotora
é uma abordagem psicoterápica que é privilegiada para oscasos em que, ao trabalhar em um registro de discurso mais próximo das traduções icônicas eindiciais (PEIRCE, 1977), o terapeuta pode levar o paciente para o registro simbólico. Ele vaiutilizar a expressividade tônico-cinética do diálogo corporal, mímico, postural, por meio do jogo espontâneo, permissivo, desculpabilizante, que está enquadrado por limites de expressãoatravés da ação. O
 setting 
desse jogo exige também a disponibilidade corporal e a contençãoque o terapeuta oferece.As crianças com
Transtornos Invasivos do Desenvolvimento
(TID) têm dificuldadede assimilar os processos simbólicos, de exercer a linguagem e a comunicação, e, além disso,apresentam falhas nas capacidades de fixação de atenção (grande dispero e, paradoxalmente, hiperseleção de determinados estímulos). Mostram-se apegadas ao concreto,com dificuldade de generalização e abstração, e sua conduta extravasa-se em agitação ehiperatividade, ou, ao contrário, há um bloqueio geral e apatia..A criança autista apresenta diversas características que, agrupadas, constituem asíndrome, que pode ser de dois tipos, a descrita por Leo Kanner (1943,
apud 
RIVIÈRE,2004), na qual comumente há atraso mental, e a descrita por Asperger (1944,
apud 
RIVIÈRE,2004), com alto desempenho ou alto funcionamento.Oliver Sacks (1995) mostra que o quadro clássico de autismo é “tervel” naconcepção da maioria das pessoas e dos médicos. O que aparece, em geral, é a imagem deuma criança profundamente incapacitada, com movimentos estereotipados, como osmovimentos de bater com a cabeça e agitar as mãos em
 flapping 
(movimentos estereotipados,3
 
  batendo as mãos), sem linguagem ou com comunicação rudimentar, quase inacessível. “Umacriatura a quem o futuro não reserva muita coisa”. Entretanto, tal concepção difundida pelosenso comum será amplamente debatida e até mesmo descartada pelo presente trabalho demonografia.A
Escola Inclusiva
é o espaço
 
ideal para a escolarização da criança com TranstornosInvasivos do Desenvolvimento, pois nela o olhar diferenciado para o sujeito, ou no caso doautista, para o pré-sujeito no seu vir a ser, consegue abarcar a diversidade e a especificidadenecessária para acolhê-lo.A constrão da inclusão implica um sistema educacional que o é apenasreprodutivo de modelos e dogmas. Necessita de um modelo relativista que acolha aexperiência de uma interação produtiva entre uma pessoa e outra. A professora facilita o processo de intercâmbio e possibilita ao aluno ter acesso a novos conteúdos que ele aindadesconhece.O intuito deste trabalho de pesquisa baseado no atendimento em Terapia Psicomotorae na inclusão de uma aluna autista é comprovar a eficácia de uma abordagem corporal pré-simbólica para ajudar a criança a aceder a seu “eu”, mesmo que existam entraves de uma patologia específica como os Transtorno Invasivos do Desenvolvimento, e, principalmente,conferir os resultados positivos da colaboração entre a escola inclusiva e a TerapeutaPsicomotora que mantêm uma interlocução bem aberta visando ao bem-estar da paciente /aluno.Uma vez levantado o tema da correlação entre a Terapia Psicomotora e a Inclusão dacriança com Transtornos Invasivos do Desenvolvimento, torna-se o objetivo do presentetrabalho a comprovação das possibilidades de cooperação entre o atendimento em TerapiaPsicomotora e a escola. Ressaltamos a compreeno, por parte dos educadores, dascaracterísticas dos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento, que reflete sobre a inclusãoda criança autista, tendo em vista suas peculiaridades de interação com a escola, o professor eo grupo na sala de aula. O psicomotricista pode colaborar com essa compreensão devido aseus conhecimentos teóricos e práticos. Com esse novo olhar, poderemos tentar situar os processos possíveis de aprendizagem e as adaptações curriculares, estratégias e atividadesnecessárias para viabilizar a escolarização da criança.Especificamente, a discussão abrange as estratégias adotadas em sala de aula para ainclusão, o reflexo da Terapia Psicomotora na adaptação social e no aprendizado da criança naescola e os resultados da intervenção e da observação direta da criança em classe, feita pela psicomotricista, além da troca de idéias entre os educadores e a terapeuta.4
 
 O ponto de partida do entendimento teórico sobre este tema apresentado passa pelarevisão bibliográfica dos Transtornos Invasivos do Desenvolvimento, pelas premissas da psicomotricidade e da psicanálise para compreeno do sujeito desejante e peloconstrutivismo, que aborda o sujeito cognoscente em sua relação com o mundo.Construímos algumas hipóteses a partir da experiência com o atendimento a criançasautistas e delimitamos três áreas de investigação para nortear a pesquisa sobre a criança naterapia e na escola que são: a relação com os outros; a interação com os objetos, o mundo e as possibilidades cognitivas; e, por fim, as características da escola que permitem a inclusãodessas crianças especiais
.
5

Activity (22)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Niraildes Prado liked this
Idna Maranhao liked this
Clivia Passos liked this
Ana Paula Correa liked this
Ana Paula Correa liked this
Edson Araujo liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->