P. 1
Bem-Estar

Bem-Estar

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 112|Likes:
Published by marlucia.severo3006

More info:

Published by: marlucia.severo3006 on Sep 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

 
Recursos para Instrução de Treinadores de Bem-Estar
Este manual é um recurso de instrução para os comitês regionais de bem-estar das estacas edas alas, assim como para os conselhos de bem-estar dos bispos da estaca. As lições ensinamos princípios espirituais e temporais do bem-estar e as responsabilidades dos bispos, líderesdo Sacerdócio de Melquisedeque e líderes da Sociedade de Socorro. De acordo com aorientação do Espírito, os líderes devem planejar e ensinar estas lições para ajudá-los aatender às necessidades espirituais, emocionais e temporais dos membros de sua estaca,distrito, ala ou ramo.Introdução.....................................................................................................................................2
1
 
Introdução
Como Utilizar Este Manual
Este manual é um recurso de instrução para os comitês regionais de bem-estar das estacas edas alas, assim como para os conselhos de bem-estar dos bispos da estaca. As lições ensinamos princípios espirituais e temporais do bem-estar e as responsabilidades dos bispos, líderesdo Sacerdócio de Melquisedeque e líderes da Sociedade de Socorro. De acordo com aorientação do Espírito, os líderes devem planejar e ensinar estas lições para ajudá-los aatender às necessidades espirituais, emocionais e temporais dos membros de sua estaca,distrito, ala ou ramo.O vídeo
Welfare Video 2 
[Vídeo 2 do Bem-Estar] (5x557 059) é adequado para utilização emconjunto com muitas das lições. Esse vídeo poderá ser adquirido através dos serviços dedistribuição da Igreja. Outras orientações de ensino contidas neste manual incluem uma lista demateriais referentes a cada lição, citações de manuais da Igreja, referências das escrituras,perguntas que possam suscitar debates, além de outras sugestões para a participação dosalunos. Sugestões adicionais para o ensino encontram-se no
Guia de Ensino 
(34595 059) e em
Ensino, Não Há Maior Chamado 
(36123 059).
Como Motivar os Alunos a Participar dos Debates
Em vez de apresentar estas lições em forma de palestras, ajude os membros da classe aparticiparem de forma significativa na discussão dos pontos-chave da lição, da leitura dasescrituras e das citações dos Manuais da Igreja. Ao participarem, os alunos aprendem maisefetivamente os pontos-chave da lição e compreendem melhor as formas de aplicar osprincípios do evangelho. Busque a orientação do Espírito para decidir que perguntas fazer,como organizá-las e como debatê-las. Os debates devem centralizar-se em questões queajudem os membros a vir a Cristo e a viver como Seus discípulos. Redirecione aqueles debatesque não atinjam esses propósitos. Para obter mais idéias sobre como ensinar através deperguntas, ver
Ensino, Não Há Maior Chamado,
pp. 68–70.Utilize as seguintes diretrizes para motivar o debate:1. Depois de fazer uma pergunta, dê à turma uma referência escriturística para que consigamencontrar a resposta.2. Faça perguntas que levem os alunos a pensar e debater, em vez de perguntas querequeiram uma resposta como
Sim 
ou
Não 
. Perguntas como: poque? como? o quê?Quando e onde? Geralmente são mais eficazes para incentivar a participação.3. Incentive os alunos a compartilhar seus sentimentos em relação ao que estão aprendendona lição. Incentive-os também a compartilhar experiências que demonstrem como osprincípios de bem-estar podem ser aplicados em seus chamados. Faça comentáriospositivos sobre as participações deles. Entretanto, se for dito algo que seja contrário àdoutrina ou às normas da Igreja, certifique-se de que esse erro seja corrigido. Estesimportantes princípios de bem-estar são divinos e não devem ser diluídos, modificados,nem mal-compreendidos. Redirecione os comentários e discussões que não convidem oEspírito para os princípios corretos, com amor e mansidão. (Ver
Ensino, Não Há Maior Chamado,
pp.84–87.)2
 
4. Seja sensível às necessidades de cada aprendiz. Embora todos os alunos devam serencorajados a participar dos debates em classe, alguns talvez hesitem em fazê-lo. Talvezseja conveniente falar com eles em particular para descobrir como se sentem a respeito dedesignações para ler em voz alta ou de participação no debate. Tenha cuidado para nãodesignar aqueles que possam sentir-se embaraçados nessas solicitações.3

Activity (4)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Valeria Santos liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->