Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
212Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Princípios Constitucionais Fundamentais do Estado Brasileiro

Princípios Constitucionais Fundamentais do Estado Brasileiro

Ratings:

4.73

(11)
|Views: 48,268 |Likes:
Published by Francisco Cauê
O presente trabalho se propõe, de forma sintética, a fazer uma breve análise acerca dos princípios constitucionais fundamentais presentes nos modernos Estados de Direito, dando ênfase aos enumerados na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.
O presente trabalho se propõe, de forma sintética, a fazer uma breve análise acerca dos princípios constitucionais fundamentais presentes nos modernos Estados de Direito, dando ênfase aos enumerados na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

More info:

Published by: Francisco Cauê on Sep 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/23/2014

pdf

text

original

 
 PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS FUNDAMENTAIS 
Ao longo da história do direito no mundo um dos pontos de principaldiscussão doutrinária, com rica fonte de pesquisas e de fundamental importância para a estruturaçãoda moderna idéia de Estado de Direito, são os princípios constitucionais fundamentais.Pom, o que são os princípios? Os prinpios são dotados denormatividade? Os princípios são regras, normas ou algo distinto? Qual a importância do princípiosno direito? Quais suas funções? No Brasil, quais os chamados princípios constitucionaisfundamentais? A presente análise se propõe a responder de forma clara e precisa estes e outrosquestionamentos a respeito da idéia de princípios.
I – Princípio, “mandamento nuclear de um sistema”
A idéia acerca do que atualmente se denomina princípio sofreu ao longo daseras, por diversos movimentos, distintas conceituações. Destacaram-se, entretanto, alguns dessesconceitos frente aos outros, como o do positivismo ortodoxo, que – em contraposição ao defendido pela tese jusnaturalista de que os princípios eram conjuntos de verdades objetivas derivadas da leidivina e humana – afirmara que à fonte dos princípios eram as normas.Entretanto, tais teses (superadas), sofrem por serem constituídas, assimcomo suas correntes fundadoras, de alto teor ideológico e extremista, além de não considerarem ofator marcante e determinante do conceito moderno de princípio: a normatividade. De fato, os princípios são normas generalíssimas de aplicação imediata, se constituindo como o alicerce de umsistema, dando-o racionalidade e harmonia.Os princípios o verdades jurídicas universais, e, assim sendo, oconsideradas normas primárias, pois são o fundamento da ordem jurídica, enquanto que as normasque dele derivam possuem caráter secundário. Ainda, os princípios são normas que, por possuíremalto grau de generalidade se diferem das regras, que também são normas mas não têm nível elevadode generalidade.A partir do exposto acima, percebe-se que as regras e princípios são, de fato,uma subdivisão das normas, sendo que as que possuem grau de abstração mais elevado são os princípios, enquanto as com menor grau são as regras.
 
Ao surgirem, os princípios eram gerais em relação ao direito, mas com aevolução deste, o surgimento da idéia de Estado de Direito e, como marco histórico, o advento da primeira Constituição em sentido formal – pelos Estados Unidos da América, no ano de 1787 – os princípios foram cada vez mais se consolidando e ganhando maior densidade jurídica, ao passo queao ganharem o
 status
de constitucional, passaram a se constituir de fato e de direito como a chavede todo o sistema normativo, suas normas-chaves e supremas, das quais todas as demais normas sefundam e nas quais buscam legitimação.Passaram, portanto, a partir da Constituição dos Estados Unidos de 1787, ase constituírem como Princípios Constitucionais Fundamentais. Tais se dividem, segundo o mestreconstitucionalista José Afonso da Silva, em: princípios político-constitucionais e princípios jurídico-constitucionais.Os princípios político-constitucionais são o que Carl Schimitt denominou de“decisões políticas fundamentais”, normas-princípios normas fundamentais de que derivamlogicamente as demais normas particulares –, determinam a particular forma política de uma nação,são os princípios constitucionais fundamentais. No direito brasileiro tais princípios se encontramenumerados do artigo 1º ao 4º da Constituição Federal de 1988.Por outro lado, os princípios jurídico-constitucionais são os princípios geraisencontrados em uma ordem jurídica, a exemplo do princípio de liberdade, de supremacia daConstituição, entre outros, sendo objeto de estudo da Teoria Geral do Direito Constitucional.Sinteticamente, pode-se definir os princípios constitucionais fundamentaiscomo princípios que visam dar a definição e características ao Estado e à sociedade política,enumerando os principais órgãos político-constitucionais, sendo, portanto, a síntese de todas asdemais normas constitucionais. Na constituição brasileira de 1988 tais princípios se sintetizam,segundo o professor José Afonso, da seguinte forma:
“princípios relativos à existência, forma, estrutura e tipo de Estado (...) princípios relativos à forma de governo e à organização dos poderes (...) princípios relativos à organização da sociedade (...) princípios relativos aoregime político (...) princípios relativos à prestação positiva do Estado (...) princípios relativos à comunidade internacional” (Silva, 2008, p. 94)
 
II – Princípios Constitucionais Fundamentais do Brasil
A Constituição Federal do Brasil de 1988, estabelece em seu Título I – Dos
 
Princípios Fundamentais – os Princípios Constitucionais Fundamentais do ordenamento jurídico brasileiro, os quais serão detalhados abaixo.
a) República Federativa do Brasil 
O artigo 1º da Carta Magna vigente no Brasil afirma,
verbis:
 Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito (...)”
Assim, percebe-se que o Estado brasileiro é Democrático de Direito(analisado no tópico “f”), se constituindo como uma República Federativa. Para que possamosadentrar nas especificações relativas à forma de governo e de Estado do Brasil, faz-se necessáriauma compreensão sintética do que se constituí como Estado.Estado surge com a autodeterminação de um povo, dentro de um território,tendo independência em relação aos demais Estados. Desse conceito sintético podemos extrair alguns dos principais elementos caracterizadores do Estado,
o poder soberano, o povo e oterritório,
estando todos regulados pela constituição vigente.O termo República Federativa, possui dois valores determinantes e que ocaracterizam, o Federalismo, como forma de Estado, e a República, como forma de governo, osquais serão analisados a seguir.
O Federalismo,
surgiu com a Constituição Americana de 1787, sendoadotado no Brasil a partir do ano de 1889, com a proclamação da República. A federação é aunidade organizacional desta forma de Estado, sendo uma união de coletividades regionaisautônomas, os Estados Federados.O Estado Federal brasileiro é composto, como se extrai do
caput 
do art. 1ºda Constituição de 1988, “pela união indissolúvel dos Estados, Municípios e do Distrito Federal”. OFederalismo no Brasil possui um tro distintivo dos demais no restante da comunidadeinternacional, que é sua configuração tripartida, onde se observa a figura da União – único titular dasoberania –, dos Estados e dos Municípios, a introdução do Município como um ente dotado deautonomia representa uma inovação apresentada pela Constituição de 1988.

Activity (212)

You've already reviewed this. Edit your review.
Paola Alessa liked this
1 thousand reads
1 hundred thousand reads
1 hundred reads
Arthur Motta liked this
Felipe Souza liked this
Paula Margotto liked this
Diogo Rodrigues liked this
Sonia Silva liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->