Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
7Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
17

17

Ratings: (0)|Views: 486 |Likes:
Published by waydder

More info:

Published by: waydder on Aug 02, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/17/2013

pdf

text

original

 
Processo Seletivo 1/2007 – Unimontes 
0
NOME:Nº INSCRIÇÃO:CURSO:TURNO:ASSINATURANº DO PRÉDIO:SALA:
Ficha de Identificação
2º PROCESSO SELETIVO
 
EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA - DIURNOMEDICINA - INTEGRALZOOTECNIA (JANAÚBA) - DIURNO
17
17
 
Processo Seletivo – Unimontes 
1
 
ORIENTAÇÕES IMPORTANTES
01 - Este caderno contém questões do tipo múltipla escolha e uma redação.02 - Verifique se o caderno contém falhas: folhas em branco, má impressão, páginas trocadas, numeração errada, etc.Encontrando falhas, levante a mão. O Fiscal o atenderá e trocará o seu caderno.03 - Cada questão do tipo
MÚLTIPLA ESCOLHA
tem 4 (quatro) alternativas (A - B - C - D). Apenas 1 (uma) resposta é correta.Não marque mais de uma resposta para a mesma questão, nem deixe nenhuma delas sem resposta. Se isso acontecer, aquestão será anulada.04 - Para marcar as respostas definitivas na sua Folha de Respostas do tipo
MÚLTIPLA ESCOLHA
, use caneta esferográficacom tinta azul ou preta.
NÃO
utilize caneta com tinta vermelha ou lápis. Assinale a resposta certa, preenchendo toda a áreada bolinha05 - Todos os candidatos
poderão
ser identificados pela impressão digital.06 -
Ao receber as Folhas de Respostas, confira:
Se é a sua Folha (ela está personalizada).
Se os dados do cabeçalho conferem com os seus dados (nome, nº. de identidade, nº. de inscrição, opção de línguaestrangeira, data de nascimento, etc.).07 - Tenha cuidado na marcação da Folha de Respostas, pois ela não será substituída em hipótese alguma.08 - A
REDAÇÃO
deverá ser escrita com caneta esferográfica (tinta azul ou preta), nos espaços reservados. A PROVA FEITA ALÁPIS SERÁ ANULADA E TERÁ NOTA ZERO.09 - Se usar letra de FORMA, deverão ser observadas as normas de acentuação gráfica.10 - O
Caderno de Resposta da REDAÇÃO
 
não
poderá ter qualquer outra identificação do candidato, além da já existente.Aparecendo o nome ou número de inscrição fora da Ficha de Identificação, a Prova será anulada e computada a nota zero.11 - Confira e assine a Folha de Respostas, antes de entregá-la ao Fiscal.
NA FALTA DA ASSINATURA, A SUA PROVA SERÁANULADA
.12 - Não se esqueça de assinar a Lista de Presenças.13 - Preencha corretamente a Ficha de Identificação colocada na capa deste caderno.14 -
DUAS HORAS
após o início das provas, você poderá retirar-se da sala SEM LEVAR ESTE CADERNO.
NÃO
poderá levarnem mesmo a última folha do caderno de provas (folha de rascunho) ou anotações referentes às provas e suas respostas.15 - Em nenhuma hipótese, o candidato poderá levar o Caderno de Provas e/ou as Folhas de Respostas.16 - Somente durante os 30 (trinta) minutos que antecedem o término das provas poderão os candidatos copiar, em formuláriopróprio a ser entregue pelo fiscal, as anotações e/ou marcações feitas na sua Folha de Respostas das Provas de MúltiplaEscolha.17 - No encerramento das provas, há necessidade de pelo menos dois candidatos presentes na sala. Isso faz parte das normaspara transparência na fiscalização do Processo Seletivo.18 - Se o
Cartão de Inscrição
estiver com algum erro (nome, nº. de documento, endereço, etc.), peça ao Fiscal de Sala paraprovidenciar as correções necessárias no
Requerimento de Correções
.
DURAÇÃO DESTAS PROVAS: CINCO HORASOBS
.: Candidatos com cabelos longos deverão deixar as orelhas totalmente descobertas durante a realização das provas. Éproibido o uso de boné.
 
Processo Seletivo – Unimontes 
2
PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRAQuestões numeradas de 01 a 20
INSTRUÇÃO
: Para responder às questões de 01 a 12, leia o texto a seguir.
A FLOR NO ASFALTO
Otto Lara ResendeConheço essa estrada genocida, o começo da Rio-Petrópolis. Duvido que se encontre um trechorodoviário ou urbano mais assassino do que esse. São tantos os acidentes que já nem se abre inquérito.Quem atravessa a avenida Brasil fora da passarela quer morrer. Se morre, ninguém liga. Aparece aquelavelinha acesa, o corpo é coberto por uma folha de jornal e pronto. Não se fala mais nisso.Teria sido o destino de d. Creusa, se não levasse nas entranhas a própria vida. Na pista que vem parao Rio, a vinte metros da passarela de pedestres, d. Creusa foi apanhada por uma Kombi. O motorista tentou parar e não conseguiu. Em seguida veio outro carro, um Apolo, e sobreveio o segundo atropelamento. Amesma vítima. Ferida, o ventre aberto pelas ferragens, deu-se aí o milagre.D. Creusa estava grávida e morreu na hora. Mas no asfalto, expelida com a placenta, apareceu umacriança. Coberta a mãe com um plástico azul, um estudante pegou o bebê e o levou para o acostamento. Nunca tinha visto um parto na sua vida. Entre os curiosos, uma mulher amarrou o umbigo da recém-nascida.Uma menina. Por sorte, vinha vindo uma ambulância. Depois de chorar no asfalto, o bebê foi levado para ohospital de Xerém.D. Creusa, aos quarenta e quatro anos, já era avó, mãe de vários filhos e viúva. Pobre, concentraçãohumana de experiências e de dores, tinha pressa de viver. E era uma pilha carregada de vida. Quem deviaestar ali era sua nora Marizete. Mas d. Creusa se ofereceu para ir no seu lugar porque, grávida, não pagava a passagem. Com o dinheiro do ônibus podia comprar sabão. Levava uma bolsa preta, com um coração decartolina vermelha. No cartão estava escrito: quinta-feira. Foi o dia do atropelamento. Apolo é o nome do segundo carroatropelador. Na mitologia, Apolo é o símbolo da vitória sobre a violência. Diz o poeta Píndaro que é o deusque põe no coração o amor da concórdia. No hospital, sete mães disputaram o privilégio de dar de mamar ao bebê. A vida é forte. E bela, apolínea, apesar de tudo. Por que não?Do livro Bom Dia Para Nascer, Crônicas – Companhia das Letras, 1993.
QUESTÃO 01
O autor escreve, no início do texto, sobre a estrada Rio-Petrópolis. Esse trecho inicial (parágrafo 1)demonstra,
EXCETO
 A) a violência do trânsito naquela avenida.B) uma opinião já de senso comum sobre o referido trecho da rodovia.C) a impotência das autoridades para evitar acidentes na Rio-Petrópolis.D) uma crítica à condição perigosa da estrada.
QUESTÃO 02
O autor do texto nos informa que já são habituais as mortes por atropelamento ocorrerem no anonimato esem apuração de suas causas.Qual dos trechos abaixo demonstra que d. Creusa escapou de ser mais uma a morrer, de forma anônima,numa estrada assassina?A) “D. Creusa (...) já era avó, mãe de vários filhos e viúva.” (linha 14)B) “No cartão estava escrito: quinta-feira.” (linha 19)C) “Levava uma bolsa preta, com um coração de cartolina vermelha.” (linhas 17-18)D) “Teria sido o destino de d. Creusa, se não levasse nas entranhas a própria vida.” (linha 5)15101520

Activity (7)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
David Silva liked this
Jair Júnior liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->