Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
571_ISS - RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA - ATIVIDADES CUJO ISS DEVE SER RETIDO NA FONTE POR TODAS AS PESSOAS JURÍDICAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

571_ISS - RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA - ATIVIDADES CUJO ISS DEVE SER RETIDO NA FONTE POR TODAS AS PESSOAS JURÍDICAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

Ratings: (0)|Views: 169|Likes:
Published by Drica Tavares

More info:

Published by: Drica Tavares on Aug 10, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/10/2011

pdf

text

original

 
ISS: RESPONSABILIDADE TRIBUTÁRIA - ATIVIDADES CUJO ISS DEVE SER RETIDO NAFONTE POR TODAS AS PESSOAS JURÍDICAS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO - ROTEIRO
I - IntroduçãoII - Responsabilidade TributáriaIII - Regras de Retenção na FonteIII.1 - Serviços Prestados sem emissão de Nota Fiscal - Obrigatoriedade de RetençãoIII.2 - Regra Geral e EspecíficaIII.3 - Regra GeralIII.4 - Regra EspecíficaIV - Procedimentos para Recolhimento do ImpostoIV.1 - Base de CálculoIV.2 - Base de Cálculo Construção Civil - DeduçõesIV.3 - Alíquota e Prazo para Recolhimento do ISSV - Hipóteses em que o Contratante Não Deve Reter o ISSVI - Restituição do ISS
I - Introdução
No Município de São Paulo as regras para retenção do ISS na fonte estão dispostas na Lei nº13.701/2003 e a primeira grande alteração ocorreu com a Lei nº 14.042/2005 que trouxe novasobrigações tanto para o prestador quanto para o tomador dos serviços.A Lei 14.042/2005 instituiu obrigações direcionadas especificamente para as pessoas jurídicas que contratam prestadores de serviços que emitem Nota Fiscal autorizada por outroMunicípio. Nesta situação o tomador só não fará a retenção do ISS se o prestador promover asua inscrição no Cadastro da Secretaria de Finanças.A partir do exercício de 2009, com a publicação da Lei nº 14.865/2008, novas regras sobre aResponsabilidade Tributária devem ser obervadas.Neste Roteiro trataremos de cada uma das regras de retenção e de quem está obrigado acumpri-las.
II - Responsabilidade Tributária
A Legislação do Município de São Paulo transferiu a responsabilidade pela retenção do ISS aocontratante dos serviços.
As Pessoas Jurídicas do Município de São Paulo que ficam obrigadas ao pagamento do ISS no lugar doprestador dos serviços passam a ser denominadas pela Lei como Responsáveis Tributários.
Existem hipóteses em que a obrigação de reter o ISS é de todas as pessoas jurídicas doMunicípio. É a chamada regra geral que deve ser observada por todos aqueles que contrataremdeterminados serviços. Nesta regra geral estão incluídas também as novas alteraçõesintroduzidas pela Lei nº 14.042/2005.Além desta regra geral, existem casos em que a Lei Municipal cita expressamente o contratanteou a sua atividade, designando-os como Responsáveis Tributários. Somente os citados na Lei éque devem cumpri-la. Como esta regra não atinge a todos, ela pode ser chamada de regraespecífica.
1) A ausência de recolhimento ou eventuais diferenças apuradas pelo Fisco Municipal serão objeto delançamento em nome do Responsável Tributário.2) O responsável tributário fica obrigado a recolher o imposto integral, multa e demais acréscimos legais,na conformidade da legislação, eximida, neste caso, a responsabilidade do prestador de serviços.
A responsabilidade pela retenção do ISS no Município de São Paulo pode ser resumida daseguinte forma:
1
 
Regras para Retenção na FonteQuem está obrigado a cumprir
Regra Geral
A partir de 1º de julho de 2007, os serviços prestadospelas ME e EPP, optantes pelo Simples Nacionalinstituído pela Lei Complementar nº 123/2006, tambémestão sujeitos à retenção do Imposto Sobre Serviçosde Qualquer Natureza - ISS.
Todas as Pessoas Jurídicas do Município de São Paulo.Regra Geral e Específica1) Instituições Financeiras;2) Sociedades Seguradoras;3) Sociedades de Capitalização;4) Caixa Econômica Federal e o Banco Nossa Caixa;5) Órgãos da administração pública direta da União, dosEstados e do Município de São Paulo, bem como suasautarquias, fundações, empresas públicas, sociedades deeconomia mista e demais entidades controladas direta ouindiretamente pela União, pelos Estados ou pelo Município;6) Empresas de aviação;7) Sociedades que explorem serviços de planos de medicina degrupo ou individual e convênios ou de outros planos de saúde;8) Empresas administradoras de aeroportos e de terminaisrodoviários;9) Hospitais e prontos-socorros;10) Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos;11) Condomínios edilícios residenciais ou comerciais
 
Os responsáveis tributários não poderão utilizar qualquer tipo de incentivo fiscal previsto na legislaçãomunicipal para recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS relativo aos serviçostomados ou intermediados.
III - Regras de Retenção na Fonte
Antes de iniciarmos o estudo das regras de reteão (geral e espefica), é importantelembramos que também existe a obrigatoriedade de retenção do ISS quando os serviços sãoprestados sem a emissão da Nota Fiscal.Para esses casos aplica-se a seguinte regra:
III.1 - Serviços Prestados sem emissão de Nota Fiscal - Obrigatoriedade de Retenção
Sempre que houver contratação de serviços e o prestador não emitir Nota Fiscal ou outrodocumento autorizado pelo Fisco Municipal, o contratante é responsável pelo ISS e deveráefetuar a sua retenção e o seu recolhimento.
O tomador do serviço deverá exigir Nota Fiscal de Serviços, Nota Fiscal-Fatura de Serviços, ou outrodocumento exigido pela Administração, cuja utilização esteja prevista em regulamento ou autorizada por regime especial.
O tomador do serviço é responsável pelo Imposto, devendo reter e recolher o seu montante,quando o prestador:
2
 
I - obrigado à emissão de Nota Fiscal de Serviços, Nota Fiscal-Fatura de Serviços, ou outrodocumento exigido pela Administração, não o fizer;II - desobrigado da emissão de Nota Fiscal de Serviços, Nota Fiscal-Fatura de Serviços ououtro documento exigido pela Administração, não fornecer recibo de que conste, no mínimo, onome do contribuinte, o número de sua inscrição no Cadastro de Contribuintes Mobiliários -CCM, seu endereço, a descrição do serviço prestado, o nome e número de inscrição noCadastro de Pessoa Física - CPF ou no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ dotomador, e o valor do serviço.
Para retenção do Imposto o tomador do serviço utilizará a base de cálculo e a alíquota prevista naLegislação vigente.
III.2 - Regra Geral e Específica
Para facilitar a identificação de quem recebeu a responsabilidade pelo pagamento do ISS equais são os serviços abrangidos efetuamos uma divisão das regras estabelecidas pela Lei.Na Regra Geral estão os serviços cujo Imposto deve ser retido por todas as Pessoas Jurídicas(contratantes) do Município de São Paulo. Já na Regra Específica estão os serviços cujaretenção será efetuada exclusivamente pelas Pessoas Jurídicas (contratantes) mencionadas naLei.
III.3 - Regra Geral
Inicialmente constavam da regra geral apenas as hipóteses de retenção previstas na LeiComplementar nº 116/2003 e que foram reproduzidas pela Lei nº 13.701/2003.Posteriormente, com a edição da Lei nº 14.042/2005 houve uma ampliação do número deserviços cujo ISS deve ser retido por todas as pessoas jurídicas do Município de São Paulo.As tabelas abaixo foram elaboradas justamente com base em cada uma das referidas LeisMunicipais.Confira o resumo da Regra Geral:
Regra GeralResumo
Tabela 1Quem deve cumprir Tabela 2Quem deve cumprir Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município de São Paulo, incluindo-se as Imunes e asIsentas - Lei nº 13.701/2003.
A partir de 1º de julho de 2007, os serviços prestados pelas ME eEPP, optantes pelo tratamento diferenciado e favorecido instituídopela Lei Complementar nº 123/2006, também estão sujeitos àretenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISS.
Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas noMunicípio de São Paulo, incluindo-se asImunes e as Isentas - Lei nº 14.042/2005.Serviços cujo ISS é devido no LOCAL DA EXECUÇÃO.Serviços cujo ISS é devido no local doESTABELECIMENTO PRESTADOR.
 
Na Tabela nº 1 estão as regras gerais previstas inicialmente pela Lei nº 13.701/2003. Já na Tabela nº 2estão as regras da Lei nº 14.042/2005.
Comecemos então a estudar as duas Tabelas da Regra Geral. Primeiramente a Tabela 1.Vejamos:
TABELA 1 - Quem Deve Cumprir - Todas as Pessoas Jurídicas estabelecidas no Município deSão Paulo, incluindo as Imunes e as Isentas - Lei nº 13.701/2003, alterada pela Lei nº 14.865/2008  
3

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->