Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O DITADOR

O DITADOR

Ratings: (0)|Views: 233|Likes:
Não importa de onde vem a censura, ela retrocede como mal que deprava as bases da democracia. As tentativas de apagar a livre expressão da história e anúncios futuros é um mal irreparável.
Não importa de onde vem a censura, ela retrocede como mal que deprava as bases da democracia. As tentativas de apagar a livre expressão da história e anúncios futuros é um mal irreparável.

More info:

Categories:Types, Research, History
Published by: Rosangela Arregolão on Aug 12, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/12/2011

pdf

text

original

 
O Ditador Por Rosangela Arregolão
A imprensa enfrenou anos de repressão e algumas vezes osilêncio, lutou com bravura, afrontou todo sistema dopoder do cala-a-boca.O poder vem dos governantes - não preico citar nomes - eeles sabem que o conhecimento é poder. Todos essesanos da ditadura, da repressão, fez com que os ideais de liberdade e democraciatornasse mais forte. Isso justifica a foa da imprensa, e da escrita elasrepresentava A Verdade, à opinião pública a necessidade de defender ou exigir direitos, buscar respostas de quem nos representava.A sociedade percebeu que a força e o poder estava ao seu lado. Não demorou muitoiniciava ai os diversos manisfestos, tão significativos que derrubou presidentes devários países.Os legisladores estabeleceram a muito tempo a censura. Todo o tipo de Notíciasque levasse as informações a sério, Correios que não se vendesse, qualquer publicação passaria pela peneira de censores impiedosos, e sempre barrradas sehouvesse A Verdade, se houvesse alguma hostilidade ao governo.Entendo que liberdade de impresa é fazer circular livremente as informaçõesobtidas, que na teoria a lei os ampara. Isso chama-se democracia, no seucontrário é censura. Essa pratica é própria de governos ditos democráticos masditador, que concentra em suas mãos o poder, e esse poder é perecível.Não importa de onde vem a censura, ela retrocede como mal que deprava as basesda democracia. As tentativas de apagar a livre expressão da história e anúnciosfuturos é um mal irreparável.O escritor francês Gustave Flaubert, disse em 1852, há exatamente 159 anos:
acensura seja qual for é uma monstruosidade, algo parecido com homicídio: oatentado contra o pensamento é um crime que lesa-alma.
Na evolão dos registros de informões, o homem incomparável pela suaintelincia, aperfeoou seus experimentos para eternizar a informão,transformou a pele de animais e, dizem que, até de gente pela registência empergaminho. Por isso e por várias bravuras afrontadas pelo sistema cale-a-boca,hoje e sempre, não podemos calar, somos livres! A imprensa deve ser absolutamente livre, só assim, será respeitada pelos leitores que buscam toda equalquer informação séria, confiável e que não se vende.Nunca, a comunicação entre os seres humanos foram proibidas, de alguma formaou maneira era feita, a intenção era mostrar o que se passava, registrar o que serevelasse na própria história. O manuscrito e a ilustração em pedaço de papiroenriqueceu o conhecimento para todos nós. Mas sempre existiu más intenções,tentando apagar os escritos para reescrever no mesmo espaço e dar rumo a outrahistória de nossas vidas. Hoje, não temos repressão, acabou! Acredite! – ninguémcala-a-boca de quem têm a necessidade de defender ou exigir direitos, buscar respostas de quem nos representa; gras as redes sociais por existir, elasalcançaram o horizonte, o mundo – blogs, feceboock, orkut, e-mail, scribd, twitter,msn e muitas outras – elas representam a verdadeira democracia e liberdade de

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->