Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
25Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Estética 03 Necessidade Ou Fim Da Arte

Estética 03 Necessidade Ou Fim Da Arte

Ratings: (0)|Views: 19,392|Likes:

More info:

Published by: Ensino Médio Filosofia on Sep 28, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/10/2013

pdf

text

original

 
306
EstéticaEnsino Médio
 
HAMILTON. O que exatamente torna os laresde hoje tão diferentes, tão atraentes?, 1956.Colagem sobre papel , 26 cm x 125 cm.Kunsthalle, Tübingen, coleção particular.
<
 
307
Necessidade ou fim da Arte?Filosofia
 
Benedito Calisto de Jesus (1853 1927) – Autoretrato, Acervo Museu de Arte Moderna de São Paulo.
<
3
Luciano Ezequiel Kaminski
1
<
NECESSIDADE OUFIM DA ARTE?
 Você já imaginou passar a vida inteira sem ouvir músi-cas, assistir a filmes, desenhar, pintar ou escrever um poe-ma? Nem sequer um assovio ou um sussurro em voz bai- xa do sucesso do momento? Conseguiríamos viver semarte? Seríamos capazes de resumir nossa vida ao traba-lho e às necessidades básicas? Ou será que a arte não éuma delas?
“A gente não quer só comidaa gente quer bebida, diversão e arte...”
Comida” (1987) Interpretação: Titãs. Composição: Marcelo Fromer / Arnaldo Antunes / Sérgio Britto
   h   t   t   p   :    /    /   m   a   s   p .   u   o   l .   c   o   m .   b   r
      <
1
Colégio Estadual Padre Cláudio Morelli - Curitiba - Pr
 
308
EstéticaEnsino Médio
Velocidade Abstrata – OCarrão Passou (1913),50.2 x 65.4 cm, GaleriaTate, Londres, de Giaco-mo Balla (1871-1958).Essa obra futurista marcacomo que a idéia de movi-mento, de projeção, numadinâmica arrojada, estãopresentes na arte do sé-culo XX. As noções de es-pacialidade e tempo estãopresentes nessa pintura,mas numa dimensão di-ferente de qualquer repre-sentação mais natural ourealista. Tempo, espaço,movimento estão fora dalinearidade da lógica, em-bora a cores estejam, dealguma forma delimitadaspelo espaço linear elas semesclam e formam umabela teia na qual a imagi-nação pode se deitar.
 Arte e sociedade
 A arte parece fazer parte da nossa vida. A história da cultura mos-tra que o ser humano não conseguiu se desenvolver apenas produzin-do objetos úteis. Procurou-se algo mais. Produziu-se arte. E produziu-se em sociedade.
Karl Mannheim
O sociólogo alemão
Karl Mannheim
afirma que a arte está intima-mente ligada à história e à cultura. A arte não brota apenas de indiví-duos isolados do mundo. Ela não é algo restrito à vida privada ou nãoé independente do contexto social. Um artista pode até produzir so-litariamente, mas não só para si. O processo de criação pode, e paramuitos deve, ser solitário. Mas o artista estará sempre pensando em suacondição de vida dentro de um mundo, de uma realidade que os cer-ca, que o toca intimamente, que ele sente de um jeito especial e que écapaz de dar uma forma sensível.Isso não quer dizer que o artista, ao expressar sua sensibilidadediante da realidade, não se lança em prol de uma transformação, apon-tando novos caminhos e rumos que se possam seguir. Apontar para umfuturo, um projeto, ainda que utópico, mas possível enquanto um
pro- jeto realizável,
no dizer de Mannheim, é também tarefa da arte. O ar-tista ainda pode retomar propostas e idéias do passado, reformulando-as ao seu modo e atribuindo-lhes novos significados. A arte, portanto,não está completamente presa, amarrada pelas condições sociais, cul-turais ou históricas. Ela guarda consigo essa capacidade de superar es-sas condicionantes, muito embora não consiga existir sem elas.Como aponta a letra da música que abre esse texto: o ser humanotem necessidade de arte. Não vive apenas com coisas frias, com ob-jetos sem sentido existencial ou emocional. O homem é agente signi-ficante
no 
e
do 
mundo. Por isso a arte é uma forma de buscar umacompreensão – que não deve ser apenas pela via do conhecimentocientífico, técnico, racional – mas por meio da imaginação, da criativi-dade, em conteúdos que são inseridos dentro de formas que parecemter vida e consistência própria.Podemos perceber a arte não em paralelo, ao lado ou por fora domundo. E não parece estar no fim de sua linha. Se a arte não está dis-tante da realidade social e histórica que a comporta e se ela não podeabster-se de procurar formas próprias de existir então podemos pensá-la como sempre presente nas maneiras de configurarmos e representar-mos o mundo. É sobre esse fundo, a condição humana, que qualquermanifestação artística se coloca.
zz
      <
http://www.tate.org.uk 
<
Karl Mannheim (1893 – 1947)
<

Activity (25)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Daniel Pires liked this
Janaína Bento liked this
Daniel SF. liked this
ze_n6574 liked this
Debora Andrade liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->