Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
9Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Novos Contos Da Montanha - Miguel Torga - Revisado

Novos Contos Da Montanha - Miguel Torga - Revisado

Ratings: (0)|Views: 2,476 |Likes:
Published by fernando_soares_61
Tentando contribuir com um grão que seja, aí vai mais um livro escrito por um dos maiores autores portugueses.
Querem autores brasileiros? Autores que contem as coisas do Brasil? Eu também queria... Mas não temos, no momento. Só lixo. Até cantor anda escrevendo livro - e descurando de cantar direito.
Não irá fazer grande diferença, mais um livrinho, neste mar de taras religiosas, de autoajuda desonesta e de escapismo baratíssimo que empesta todo e qualquer site de download de livros.
Mas... Não custa nada.
Formatado no tamanho A6 para facilitar a leitura em dispositivos móveis, do tipo Kindle 3, Netbook/Notebook.
Tentando contribuir com um grão que seja, aí vai mais um livro escrito por um dos maiores autores portugueses.
Querem autores brasileiros? Autores que contem as coisas do Brasil? Eu também queria... Mas não temos, no momento. Só lixo. Até cantor anda escrevendo livro - e descurando de cantar direito.
Não irá fazer grande diferença, mais um livrinho, neste mar de taras religiosas, de autoajuda desonesta e de escapismo baratíssimo que empesta todo e qualquer site de download de livros.
Mas... Não custa nada.
Formatado no tamanho A6 para facilitar a leitura em dispositivos móveis, do tipo Kindle 3, Netbook/Notebook.

More info:

Published by: fernando_soares_61 on Aug 28, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/22/2013

pdf

text

original

 
 Novos Contos da MontanhaMiguel Torga
Prefácio à Terceira Edição
Leitor amigo:Aqui te apresento, o mais discretamente possível, aterceira edição deste livro. Almas penadas duPortugal nuclear, todas as personagens dele arde
 
nas suas páginas como nas labaredas simbólicas dequalquer nicho dos caminhos. Por isso, de mãoserguidas, imploram de quem passa o piedososilêncio que preceda um acto de respeito e decompreensão. Respeito pela sua medida, que éhumana, e compreensão pelos trâmites das suasacções, que foram terrenas.Dou eu, pois, o exemplo, e digo-te em duas palavrasque se fez mais uma reprodução do painel,acrescentado apenas de algumas figuras que lhefaltavam, e retocado aqui e além, onde a tinta estavaa cair.Painel tosco e montanhês, como sabes. Mas nosso,quer queiramos, quer não, e dos outros, também,quando a curiosidade dos outros der a volta aomundo.Então, embora, sorriam da ingénua pintura doartista, hão-de certamente render-se à penitentegrandeza destes irmãos serranos, que se purificacom sofrimento universal num purgatório dechamas transmontanas.
iguel TorgaCoimbra, Setembro de 1952.
 
Prefácio à Quinta Edição
Acrescentado e com bastantes remendos navestimenta já várias vezes remendada, sainovamente impresso este livro, mais feliz do que oseu irmão gémeo Contos da Montanha, desterradono Brasil. De origem modesta, contra tudo o que erde esperar, a sorte tem-no bafejado. Vai sendo lido ereproduzido, sinais certos de que vive e caminha.Razões? Talvez a evidência de se não tratar de umamera celebração literária para iniciados, mas dumsincero esforço de comunhão universal. Desde rapazque defendo uma arte o mais pura possível nosmeios e o mais larga possível nos fins. Uma super-realidade da realidade, onde todos os homens seencontrem, quer sejam intelectuais quer não. Daíque no meu espírito tenha igual peso o juízo dosleigos e o dos ungidos, e me console tanto o aplausodos simples como o dos complicados. Só quandouns e outros se juntam na mesma curiosidade peloque escrevo sinto uma relativa paz de consciência ealguma certeza. É menos cruciante o medo de meperder nas malhas dum ritual esotérico. No casopresente, parece que, de facto, tal não sucedeu. Amissa é campal, aberta a todos os horizontes. Equem a reza é um pobre cristão que soletra

Activity (9)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Vera Faria liked this
Pedro Matos liked this
vstrega liked this
Susana Mateus liked this
CMCNeves liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->