Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
8Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Fichamento Antropologia – Stuart Hall

Fichamento Antropologia – Stuart Hall

Ratings: (0)|Views: 318 |Likes:
Published by Pagu Senna
Trabalho acadêmico.

Fichamento Antropologia: Stuart Hall “A identidade em Questão”
Trabalho acadêmico.

Fichamento Antropologia: Stuart Hall “A identidade em Questão”

More info:

Published by: Pagu Senna on Aug 31, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/12/2014

pdf

text

original

 
Fichamento Antropologia
 – 
 
Stuart Hall “
A identidade em Questão
 Pagu Senna de Moura | 3º semestre - Interface Digital
Citações
Capítulo 1:
“(...)as velhas identidades, que por tanto tempo estabilizaram o mundo social, estão em
declínio, fazendo surgir novas identidades e fragmentando o indivíduo moderno, até aqui
visto como um sujeito unificado”
 
“(...)as identidades modernas estão sendo descentradas, fragmentadas.”
 
“Um tipo diferente de mudança estrutural está transformando as sociedades modernas no
final do século XX. Isso está fragmentando as paisagens culturais(...), que, no passado,
nos tinham fornecido sólidas localizações como indivíduos sociais.”
 
“(...)descentração dos indivíduos tanto do seu lugar no mundo social e cultural quanto de
si mesmos
 – 
 
constitui uma “crise de identidade”(...).”
 
“a identidade somente se torna uma questão quando está em crise(...)”
 
“O sujeito do Iluminismo(...) pessoa humana como um indivíduo totalmente centrado,
unificado, dotado das capacidades de razão, de consciência
e de ação, cujo “centro”
consistia num núcleo interior, que emergia pela primeira vez quando o sujeito nascia ecom ele se desenvolvia, ainda que permanecendo essencialmente o mesmo(...) ao longo
da existência do indivíduo.”
 
“(...)o sujeito sociológico ref 
letia a crescente complexidade do mundo moderno e aconsciência de que este núcleo interior do sujeito não era autônomo e auto-suficiente,
mas era formado na relação com “outras pessoas importantes para ele” que mediavam
(...) valores, sentidos e símbolos
 – 
a cultura
 – 
 
dos mundos que ele/ela habitava.”
 
“(...) a identidade é formada na “interação” entre o eu e a sociedade. O sujeito ainda temum núcleo ou essência interior que é o “eu real”, mas este é formado e modificado num
dialogo contínuo com os mundos
culturais “exteriores” e as identidades que essesmundos oferecem.”
 
“A identidade, então, costura (...)o sujeito à estrutura.”
 
“O sujeito, previamente vivido como tendo uma identidade unificada e estável, está se
tornando fragmentado; composto não de uma única, mas de várias identidades, algumasvezes contraditórias ou não-
resolvidas”
 
“A identidade torna
-
se uma “celebração móvel”: formada e transformada continuamente
em relação às formas pelas quais somos representados ou interpelados nos sistemasculturais
que nos rodeiam.”
 
“(a identidade) É definida historicamente, e não biologicamente.”
 
“O sujeito assume identidades diferentes em diferentes momentos(...)”
 
“As sociedades modernas são sociedades de mudança constante, rápida e permanente.”
 
“(...) as transfor 
mações envolvidas na modernidade são mais profundas do que a maioriadas mudanças características dos períodos anteriores. No plano de extensão, elas servirampara estabelecer formas de interconexão social que cobrem o globo; em termos deintensidade, elas alteram algumas das características mais íntimas e pessoais de nossa
existência cotidiana.”
 
 
“(...)modernidade (...) um rompimento impiedoso com toda e qualquer condição
precedente (...) um processo sem-fim de rupturas e fragmentações internas no seu próprio
interior”
 
“Uma estrutura deslocada é aquela cujo centro é deslocado, não sendo substituído por outro, mas por “uma pluralidade de centros de poder”. As sociedades modernas não tem
nenhum centro (...) e não se desenvolvem de acordo com o desdobramento de uma única
“causa ou “lei”.”
 
“(o deslocamento) desarticula as identidades estáveis do passado, mas também abre possibilidade de novas articulações.”
 
Capítulo 4:
“a “globalização” se refere àqueles processos, atuantes numa escala global, que
atravessam fronteiras nacionais, integrando e conectando comunidades e organizações emnovas combinações de espaço-tempo, tornando, o mundo, em realidade e em experiência,mas interconectado. A globalização implica m movimento de distanciamento da idéiasociológica clás
sica da “sociedade” como um sistema bem delimitado e sua substituição por uma perspectiva que se concentra na “forma como a vida social está ordenada aolongo do tempo e do espaço”.”
 
“a globalização não é um fenômeno recente”.
 (...)se sente que o mundo é menor e as distancias mais curtas, que eventos em umdeterminado lugar tem um impacto imediato sobre pessoas e lugares situados a uma
grande distância”.
 
“Todas as identidades estão localizadas no espaço e no tempo simbólico.”
 
“Os lugares permanecem fixos;Entretanto, o espaço pode ser „cruzado‟ num piscar deolhos”.
 
“Alguns teóricos argumentam que o efeito geral desses processos globais tem sido o deenfraquecer ou solapar formas nacionais de identidade cultural.”
 
“Os fluxos culturais, entre as nações, e o co
nsumismo global criam possibilidade de
“identidades partilhadas”.
 
“À medida em que as culturas nacionais tornam
-se mais expostas a influências externas, édifícil conservar as identidades culturais intactas ou impedir que elas se tornemenfraquecidas atrav
és do bombardeamento e de infiltração cultural”.
 
“Quanto mais a vida social se torna mediada pelo mercado global de estilos, (...) mais as
identidades se tornam desvinculadas, desalojadas de tempo, lugares, histórias e tradiçõesespecíficos, parecem flutua
r livremente”.
 
 
Capítulo 5:
“ao lado da tendência em direção à homogeneização global, há também uma fascinaçãocom a diferença e com a mercantilização e da “alteridade”. Há, juntamente com oimpacto do “global”, um novo interesse pelo “local”.”
 
“(a globalização) explora a diferença local”.
 
“a globalização é muito desigualmente distribuída ao redor do globo”.
 
“o capitalismo global é, na verdade, um processo de ocidentalização.”
 
“A globalização, à medida que dissolve as barreiras da distância, torna
o encontro entre o
centro colonial e a periferia colonizada imediato e intenso”.
 
“A proliferação das escolhas de identidade é mais ampla no “centro” do sistema global
que nas suas periferias. Os padrões desiguais de troca cultural desigual (...) continuam a
existir”.
 
“Globalização caminha em paralelo com um reforçamento das identidades locais, embora
isso ainda esteja dentro da lógica da compreensão espaço-
tempo”.
 
“Esta formação de „enclaves‟ étnicos minoritários no interior dos estados
-nação doOcidente l
evou a uma „pluralização‟ de culturas nacionais e de identidades nacionais”.
 
“O fortalecimento de identidades locais pode ser visto na forte defensiva daqueles
membros dos grupos étnicos dominantes que se sentem ameaçados pela presença de
outras culturas.”
 
“Tradução. Este conceito descreve aquelas formações de identidades que atravessam e
intersectam as fronteiras naturais, compostas por pessoas que foram dispersadas para
sempre da sua terra natal.”
 
“Tradução (...) significa transferir; transportar entre fronteiras”.
 

Activity (8)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Jozimeire Silva liked this
Teresa Esmeraldo liked this
Frank Tamba liked this
Vieira Carlos liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->