Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
TCP-IP_Estudo_Geral

TCP-IP_Estudo_Geral

Ratings: (0)|Views: 6|Likes:
Published by theldo

More info:

Published by: theldo on Sep 06, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/06/2011

pdf

text

original

 
1
TCP/IP
Estudo Geral
TCP/IP
Estudo 1
Introdu
çã
o
:Para "hackear" um sistema ligado a Internet/Intranet ou at
é
mesmo um uma simplesrede que utiliza o tcp/ip, nada melhor do que saber lidar a fundo com o protocolomais usado e mais famoso no mundo inteiro. TCP/IP TCP/IP e o nome que se da atoda a fam
í
lia de protocolos utilizados pela Internet. Esta fam
í
lia de protocolos foidesenvolvida pela DARPA (Defense Advanced Research Project Agency) no DoD(Departamento de Defesa dos Estados Unidos).Este conjunto de protocolos foi desenvolvido p/permitir aos computadorescompartilharem recursos numa rede. Toda a fam
í
lia de protocolos incluem umconjunto de padr
õ
es que especificam os detalhes de como comunicarcomputadores, assim como tamb
é
m conven
çõ
es para interconectar redes e rotear otrafego.Mas ao contrario do que acontece na imprensa, o nome completo raramente
é
usado. O TCP e o IP s
ã
o protocolos individuais que podem ser discutidos de modoisolado, mas eles n
ã
o s
ã
o os
ú
nicos protocolos que comp
õ
em essa fam
í
lia. Podeacontecer de um usu
á
rio do TCP/IP n
ã
o utilizar o protocolo TCP propriamente dito,mas sim alguns protocolos da fam
í
lia. A utiliza
çã
o do TCP/IP nessa situa
çã
o deixade ser apropriada porque o nome se aplica de modo gen
é
rico ao uso de qualquerprotocolo da fam
í
lia TCP/IP.
Familia
ARP Address Resolution ProtocolICMP Internet Control Message ProtocolUDP User Datagram ProtocolRIP Routing Information ProtocolHTTP Hypertext Transfer ProtocolNNTP Network News Transfer ProtocolSMTP Simple Mail Transfer ProtocolSNMP Simple Network Management ProtocolFTP File Transfer ProtocolTFTP Trivial File Transfer ProtocolINET PHONE Telephone Services on InternetIRC Internet Relay ChatRPC Remote Procedure CallNFS Network File SystemDNS Domain Name SystemTalvez seja dif
í
cil lembrar todos esses acr
ô
nimos, ate porque alguns tamb
é
m s
ã
outilizados por outros protocolos (por exemplo o protocolo RIP da fam
í
lia Novell, ou oIPX,
é
diferente do RIP da fam
í
lia TCP/IP). Alem do mais, saber exatamente quais
 
2
s
ã
o os protocolos que comp
õ
em uma determinada fam
í
lia n
ã
o
é
pr
é
-requisito paracompreender o funcionamento b
á
sico da rede.
Uma vis
ã
o resumida do Protocolo
Alguma transfer
ê
ncia se inicia com um pedido de leitura ou escrita de um arquivo, oqual tamb
é
m serve para pedir uma conex
ã
o. Se o servidor reconhece o pedido, aconex
ã
o
é
aberta e o arquivo
é
enviado num bloco de tamanho fixo de 512 bytes.Cada pacote de dados contem um bloco de dados e deve ser reconhecido por umpacote de acknowledgment antes que o pr
ó
ximo pacote possa ser enviado. Umpacote de dados menor que 512 bytes sinaliza a termina
çã
o de uma transferencia.Se um pacote consegue se perder na rede, o receptor indicara time-out e poder
á
retransmitir seu ultimo pacote (o qual pode ser dados ou um reconhecimento ). Istomotiva ao transmissor do pacote perdido a retransmitir o pacote perdido. Otransmissor tem que guardar apenas um pacote para retransmissao, desde cadapasso de reconhecimento garante que todos os pacotes mais anteriores tenham sidorecebidos.Notar que as duas maquinas envolvidas na transferencia s
ã
o consideradastransmissoras e receptoras. Uma envia dados e recebe reconhecimento, a outraenvia reconhecimento e recebe dados.Muitos erros s
ã
o causados pela termina
çã
o da conex
ã
o. Um erro e sinalizadoenviando um pacote de erro. Este pacote n
ã
o e reconhecido nem retransmitido (i.e.,um servidor TFTP ou usu
á
rio pode terminar depois enviando uma mensagem deerro) assim o outro terminal da conex
ã
o n
ã
o deve recebe-lo. Portanto os time-outs
ã
o usados para detectar tais terminais quando o pacote de erro foi perdido.Protocolo IPO protocolo IP define mecanismos de expedi
çã
o de pacotes semconex
ã
o. IP define tr
ê
s pontos importantes:1.- A unidade b
á
sica de dados a ser transferida na Internet.2.- O software de IP executa a fun
çã
o de roteamento, escolhendo um caminho sobreo qual os dados ser
ã
o enviados.3.- Incluir um conjunto de regras que envolvem a id
é
ia da expedi
çã
o de pacotes n
ã
oconfi
á
veis. Estas regras indicam como os hosts ou gateways poderiam processar ospacotes; como e quando as mensagens de erros poderiam ser geradas; e ascondi
çõ
es em que os pacotes podem ser descartados.Dentro do protocolo IP tem os seguintes t
ó
picos:- Endere
ç
os IP- Formato do datagrama IP- Roteamento do datagrama IP- ICMP (Internet Control Message Protocol)Protocolo IP TCP (Transport Control Protocol)TCP e um protocolo da camada detransporte. Este e um protocolo orientado a conex
ã
o, o que indica que neste n
í
velv
ã
o ser solucionados todos os problemas de erros que n
ã
o forem solucionados non
í
vel IP, dado que este ultimo e um protocolo sem conex
ã
o. Alguns dos problemascom os q TCP deve tratar s
ã
o: pacotes perdidos ou destru
í
dos por erros detransmiss
ã
o. expedi
çã
o de pacotes fora de ordem ou duplicados.O TCP especifica o formato dos pacotes de dados e de reconhecimentos que doiscomputadores trocam para realizar uma transfer
ê
ncia confi
á
vel, assim como osprocedimentos que os computadores usam para assegurar que os dados cheguemcorretamente. Entre estes procedimentos est
ã
o:
 
3
Distinguir entre m
ú
ltiplos destinos numa maquina determinada. Fazer recupera
çã
ode erros, tais como pacotes perdidos ou duplicados. Para entender melhor oprotocolo TCP a seguir veremos alguns conceitos, para depois passarmos aoformato TCP.1-) Portas, Conex
õ
es e Endpoints2-) Segmentos, fluxo e Numero de Seq
üê
ncia3-) Formato do Segmento TCPDNS (Domain Name System)O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes,hier
á
rquico e distribu
í
do. O DNS define a sintaxe dos nome s usados na Internet,regras para delega
çã
o de autoridade na defini
çã
o de nomes, um banco de dadosdistribu
í
do que associa nomes a atributos (entre eles o endere
ç
o IP) e um algoritmodistribu
í
do para mapear nomes em endere
ç
os. O DNS e especificado nas RFCs882, 883 e 973.As aplica
çõ
es normalmente utilizam um endere
ç
o IP de 32 bits no sentido de abriruma conex
ã
o ou enviar um datagrama IP. Entretanto, os usu
á
rios preferemidentificar as maquinas atrav
é
s de nomes ao inv
é
s de n
ú
meros. Assim e necess
á
rioum banco de dados que permita a uma aplica
çã
o encontrar um endere
ç
o, dado queela conhece o nome da maquina com a qual se deseja comunicar.Um conjunto de servidores de nomes mant
é
m o banco de dados com os nomes eendere
ç
os das maquinas conectadas a Internet. Na realidade este e apenas um tipode informa
çã
o armazenada no domain system (sistema de dom
í
nios).Note que eusado um conjunto de servidores interconectados, ao inv
é
s de um
ú
nico servidorcentralizado. Existem atualmente tantas institui
çõ
es conectadas a Internet que seriaimpratic
á
vel exigir q elas notificassem uma autoridade central toda vez que umamaquina fosse instalada ou trocasse de lugar. Assim, a autoridade para atribui
çã
ode nomes e delegada a institui
çõ
es individuais. Os servidores de nome formam umaarvore, correspondendo a estrutura institucional. Os nomes tamb
é
m adotam umaestrutura similar.Um exemplo t
í
pico e o nome chupeta.jxh.xyz.br. Para encontrar seu endere
ç
oInternet, pode ser necess
á
rio o acesso a ate quatro servidores de nomes.Inicialmente deve ser consultado um servidor central, denominado servidor raiz, paradescobrir onde esta o servidor br. O servidor br e o respons
á
vel pela ger
ê
ncia dosnomes das institui
çõ
es/empresas brasileiras ligadas a Internet. O servidor raizinforma como resultado da consulta o endere
ç
o IP de v
á
rios servidores de nomepara o n
í
vel br (pode existir mais de um servidor de nomes em cada n
í
vel, paragarantir a continuidade da opera
çã
o quando um deles para de funcionar). Umservidor do n
í
vel br pode ent
ã
o ser consultado, devolvendo o endere
ç
o IP doservidor xyz.De posse do endere
ç
o de um servidor xyz e poss
í
vel solicitar que ele informe oendere
ç
o de um servidor jxh, quando, finalmente, pode-se consultar o servidor jxhsobre o endere
ç
o da maquina chupeta. O resultado final da busca e o endere
ç
oInternet correspondente ao nome chupeta.jxh.xyz.brCada um dos n
í
veis percorridos e referenciado como sendo um dom
í
nio. O nomecompleto chupeta.jxh.xyz.br e um nome de dom
í
nio. Na maioria dos casos, n
ã
o enecess
á
rio ter acesso a todos os dom
í
nios de um nome para encontrar o endere
ç
ocorrespondente, pois os servidores de nome muitas vezes possuem informa
çõ
essobre mais de um n
í
vel de dom
í
nio o que elimina uma ou mais consultas. Al
é
m

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->