Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
O delírio silencioso de Lílian

O delírio silencioso de Lílian

Ratings: (0)|Views: 73|Likes:
Texto Erótico Proibido para Menores de 18 anos
Texto Erótico Proibido para Menores de 18 anos

More info:

Published by: Venerador de Mulheres on Sep 12, 2011
Copyright:Traditional Copyright: All rights reserved

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/06/2013

pdf

text

original

 
O DELÍRIO SILENCIOSO DE LÍLIAN
Tudo começa numa sala de bate-papo; de um lado um homem que há tempos já não visitavaaquele tipo de entretenimento; do outro lado, supostamente várias pessoas se espremendonum vão imaginário a espera de cenas de sexo. No meio da multidão de gente trocandoamenidades nada convencionais, alguém chama a atenção deste homem numa noite fria; eraLílian...!Eles queriam escrever uma história de sexo, cada um com a sua teoria. Eles queriam participarde uma orgia viajando pela escrita erótica; ambos gostavam, mas nenhum admitia claramente;ambos estavam excitados; seus sexos estavam molhados de tanto tesão; um queria a presençado outro em seu ambiente literário, para que a história contada por eles fosse ainda maisrealística e sensual, mas aquilo era impossível; pelo menos até agora!O primeiro contato nada de intimidades; alguns instantes depois, ele nota que ela é umamulher de verdade e que está sedenta por sexo; mais alguns instantes, eles estão sozinhos emoutra sala virtual, desta vez no MSN; ambos relutam para se entregarem aos prazeres dosquais buscavam anteriormente; era como um jogo de gato e rato onde ele imaginava elasendo deliciosamente sensual, apenas de short em sua cama e com os dedos acariciando seusexo.Do outro lado ela mantém-se nua, com a vulva ardendo em brasa querendo apenas umaoportunidade para se acariciar e gozar como uma fêmea no cio; seu computador era a únicatestemunha de todo seu tesão; seus seios já intumescidos faziam marcas numa camisatambém imaginária.
 
Ambos seguiam o papo através da noite e o homem, visivelmente com seu pênis por explodirem desejos, queria aos poucos colher dados da mulher no cio para ter o prazer de gozar.Enquanto falavam coisas normais ele acariciava de leve seu pênis que já estava muito duro,ríspido feito uma rocha e com muita concentração venosa na glande.Lílian se mantinha fiel a não entregar-se para aquele desconhecido, mas seu tesão dava aresde não mais suportar. Lílian já foi casada, é mãe e tem pouco menos de 40 anos, ou seja, éuma mulher na idade mais sexy; cheia de imaginações que durante seu casamento conturbado jamais teve a chance de fazer, entre isso a oportunidade de sexo virtual; ela pensava numpênis grande, grosso e belo lhe arranhando as paredes da vagina; rompendo-lhe de formasensível e atroz e deixando-a delirando com o mais cristalino tesão que lhe saia do interior.Lá estavam os dois, um de cada lado de um computador, tão pertos por fios e tão longe porpresença; ambos estavam cheios de tesão; cada um pensando de uma maneira diferente parasaciar toda aquela excitação; um pensando numa vulva cheirosa para lhe acolher o pênis; e elaimaginando um macho que lhe pegasse firme, a despisse e a fizesse mulher; ambos do mesmolado da história, mas separados pelo destino.Eles não desejavam correrem os riscos naturais de um encontro, portanto, iriam mesmo seguiro mesmo rumo, o de gozarem de lados opostos; ambos estavam como lobos no meio de umamatilha onde todos estavam no cio, mas o papo não fluía para a resolução daquele problema.Havia o medo, principalmente por parte de Lílian.Podia ser percebido pelo silêncio que ora pairava nas teclas do computador que ambos setocavam, que ambos estavam se masturbando; o silêncio era traduzido em um cheiro virtualde um pênis em busca daquela vulva e da vulva da Lílian em busca daquele pênis; ela queriademais que um pênis grande e grosso estivesse consigo naquele momento.Lílian tivera um relacionamento anterior sem muitas surpresas, sem muitos carinhos; ohomem que esteve sempre com ela não lhe proporcionou momentos extraordinários; elaconfessou que jamais tivera oportunidade de receber por trás um pênis gostoso lhepenetrando como uma cadela deliciosa; ela queria muito fazer sexo anal com seu macho, comseu algoz, numa cama confortável, longe de tudo e de todos.Apenas para idealizar a Lílian sedenta de sexo, ela é de estatura pequena, loira, olhos claros,seios médios e sardas espalhadas pelo colo dos seios; embora eu não seja adepto da frase querotula que os melhores perfumes estão nos menores frascos, Lílian pelo visto é uma boa
 
fragrância, a fragrância sexual. Uma mulher que imagina estar esquecida, mas que detémdentro dela um potencial enorme de desejos, fantasias e alucinações na cama.Dava para imaginar a loira deitada com os dedos percorrendo pelos e lábios vaginais, sentindo-se amada por suas falanges e imaginando aquele pênis grande e grosso percorrendo osmesmos caminhos; dava para imaginar a mulher derramando seus líquidos mais íntimos porentre as pernas, lubrificando aquela bucetinha cheirosa que temia e esperava o sexo opostopara lhe penetrar.Dava pra imaginar o clitóris da moça intumescido de tanto desejo, rígido e aflorando entre oveludo de sua vulva; dava pra imaginar quantas fantasias passavam pela cabeça daquelamulher que redescobria depois do 30 anos a magia que envolve uma boa dose de erotismonuma conversa sincera virtual. Não era difícil imaginar a esfalfamento de sua bundinha quesimulava estar sendo penetrada ou a lubricidade, lascívia de sua buceta a espera de seu pênis.Por mais que ela quisesse disfarçar, era notório; ele podia sentir os seios de Lílian roçando-lheo pênis; podia sentir o corpo daquela mulher roçando-lhe o corpo e a textura de sua vulvaamaciando sua pele até chegar a sua boca para ser sugada como um doce lânguido, gostoso.Era seu desejo ver sua língua percorrendo ora a buceta, ora a entrada de seu ânus, para podersentir aquela mulher se contorcendo de tesão e pedindo, implorando para ser penetrada.O pênis daquele homem já não mais cabia dentro de seu pijama, saltou pelo elástico e pôs-separa fora, latejando a cabeça cheia de adrenalina e também imaginando estar dentro de Lílian;ele nem podia acariciá-lo mais, porque corria sérios riscos de gozar e inundar sua mesa. Teveum momento que a ponta de seu polegar tocou-lhe a glande e ele imaginou ser a língua daloira querendo chupar seu néctar que já propulsava em sair.Ambos se mantiveram inertes até que ele resolveu enviar via e-mail algumas fotos; fotos deseu pênis e de uma aventura do passado para Lílian; ela aceitou os arquivos e depois daquilonotou-se ainda mais silêncio; ele queria saber o que se passava do outro lado, mas Lílian nãoadmitia sentir tesão, apenas afirmava que havia gostado de ter recebido tais mimos; depoisdisso ela disse ter quebrado um unha; era o sinal notório de que Lílian estava sim semasturbando, imaginando agora ter o pênis grosso e grande do rapaz todinho dentro dela,imaginando que os testículos lhe batiam a porta da buceta no ato do encontro.Pelo MSN ele diz que adora vulvas com pelinhos; ela responde que depila-se de vez emquando e quando o faz sozinha, sente um tesão exacerbado a ponto de gozar; ele afirma que

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->