Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
2Activity

Table Of Contents

1.1 Introdução
1.2 Conceito
1.3 Desenvolvimento da Automação
1.4 Tipos de Automação
1.4.1 Automação Fixa
1.4.2 Automação Programável
1.4.3 Automação Flexível
2 CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS
2.1. Considerações gerais
2.1.1 Perspectiva Histórica
2.2. Estruturas básicas do Controle Automático
2.2.1 Controle em Malha Fechada
2.2.2 Controle em Malha Aberta
2.2.3 Comparação entre os sistemas em malha fechada e aberta
2.3. Controle Digital
2.4 Exemplos de Sistemas de Controle e Regulação Industrial
2.5 Controladores Automáticos Industriais
2.5.1 Introdução
2.5.2 Ações de Controle Básicas
2.6 Controladores Analógicos
2.7 Reguladores Digitais
2.8 Ajuste Ótimo dos Controladores Industriais
2.8.1 Método baseado na Sensibilidade Crítica (2º Método)
2.9 Exemplo de Aplicação Industrial
2.10.1 Introdução
2.10.2 Realimentação negativa
2.10.3 Controle Cascata
2.11 Controle de Faixa Dividida
2.11.1 Conceito
2.11.2 Aplicações
2.12 Balanço de Cargas
2.13 Controle de malhas redundantes
2.14 Controles chaveados
2.15 Controle Auto-Seletor
2.15.1 Conceito
2.15.2 Exemplos
2.15.3 Características
2.15.4 Cuidado para a não Saturação
2.16.6 Comparação com o Feedback
2.16.7 Desenvolvimento do Controlador
2.16.8 Aplicações
2.16.9 Conclusão
2.17 Controle de Relação (Ratio)
2.17.1 Conceitos
2.17.2 Características
2.17.3 Aplicações
2.18 Conceitos de Projeto do Controle
2.18.1 Critérios Gerais
2.18.2 Controle Global da Planta
2.18.3 Otimização de controle
3 NOÇÕES DE CIRCUITOS LÓGICOS
3.1 Tópicos da Álgebra de Boole
3.2 Conceitos Introdutórios
3.2.1 Grandezas Analógicas e Digitais
3.2.2 Sistemas de Numeração Digital
3.2.3 Representação de Quantidades Binárias
3.2.4 Circuitos Digitais /Circuitos Lógicos
3.2.5 Sistemas de Numeração e Códigos
3.3 Aritmética Digital
3.3.1 Introdução
3.3.2 Adição Binária
3.3.3 Representação de Números com Sinal
3.3.4 Forma do Complemento a 1
3.3.5 Forma do Complemento a 2
3.3.6 Representação de Números com Sinal Usando Complemento a 2
3.3.7 Negação
3.3.8 Faixa de Representação do Complemento a 2
3.3.9 Adição no Sistema de Complemento a 2
3.3.10 Subtração no Sistema de Complemento a 2
3.3.11 Overflow Aritmético
3.3.12 Multiplicação de Números Binários
3.3.13 Divisão Binária
3.3.14 Adição BCD
3.3.15 Aritmética Hexadecimal
3.3.16 Adição em Hexadecimal
3.3.17 Subtração em Hexadecimal
3.4 Portas Lógicas e Álgebra Booleana
3.4.1 Descrevendo Circuitos Lógicos Algebricamente
3.4.2 Portas NOR e NAND
3.4.3 Teoremas da Álgebra de Boole
3.4.4 Universalidade das Portas NAND e NOR
3.4.5 Simplificação de Circuitos Lógicos
3.4.6 Projetando Circuitos Lógicos
3.4.7 Método do Mapa de Karnaugh para Simplificação Circuitos Lógicos
4 SISTEMAS DE SUPERVISÃO E DE CONTROLE
4.1 Sistemas Analógicos com Painéis Mímicos
4.3 Controladores Lógicos Programáveis
4.3.1 Introdução
4.3.3 Componentes básicos de um CLP
4.3.4 Processador
4.3.5 Memória
4.3.6 Circuito de Entrada
4.3.7 Circuito de Saída
4.3.8 Painéis de Programação
4.3.9 Fonte de Alimentação
4.3.10 Endereçamento
4.3.11 Exemplo de um Endereço Indexado
4.3.12 Endereçamento de Instruções de Arquivo
4.3.13 Constantes Numéricas
4.3.14 Instruções Básicas para programação de CLP
4.3.15 Instrução do Tipo Relé
4.3.16 Instrução - Liga a Saída
4.3.19 Instrução Liga em uma varredura (OSR)
4.3.20 Temporizadores
4.3.21 Temporizador TON
4.3.22 Contadores
4.3.23 Contador CTU
4.3.24 Instrução RES
4.4 IEC 61131-3: A Norma para Programação
4.4.2 Linguagens de Programação
4.4.3 Implementações
4.4.4 Conclusão
4.6 Os Sistemas Digitais de Controle Distribuído (SDCD)
4.7 Os SDCDs convencionais
4.8 Configuração geral de um SDCD
4.9 Sistemas Supervisórios Modernos
4.10 Configurações Gerais dos Sistemas Supervisórios
4.11 Computadores utilizados nos sistemas supervisórios
4.12 Portas seriais utilizadas nos sistemas de comunicação
4.13 Sistemas de redes locais usadas em sistemas supervisórios
4.14 Meio de transmissão
4.15 Configurações de rede
4.16 Controle de acesso aos canais
4.17 Padrões de Redes de comunicação
4.18 Rede Ethernet
4.19 Introdução às Redes Industriais
4.19.1 Níveis de uma Rede Industrial
4.19.2 Classificação das redes industriais
4.19.3 Redes de célula
4.19.4 Arquitetura MAP
4.19.5 O Projeto MAP
4.19.6 EPA/MAP
4.19.7 Mini-MAP
4.19.8 Redes de Campo de Baixo Nível
4.19.9 Redes de campo efetivas
4.19.10 A Pirâmide CIM
4.20 Interface AS-I
4.20.1 Características Gerais
4.20.2 Topologia
4.20.3 Componentes Principais
4.21 Rede PROFIBUS
4.21.1 Tecnologia Profibus
4.21.2 Perfis de Comunicação
4.21.3 Perfis Físicos
4.21.4 Perfis de Aplicação
4.21.5 Características básicas
4.21.6 Arquitetura do Protocolo PROFIBUS
4.21.7 Tecnologia de transmissão RS-485
4.21.8 Tecnologia de Transmissão IEC 1158-2
4.21.9 Instruções de instalação para IEC-1158
4.21.10 Protocolo PROFIBUS para o acesso ao meio
4.21.11 Perfil de comunicação DP
4.21.12 Funções básicas
4.21.13 Características básicas
4.21.14 Funções de diagnóstico
4.21.15 Configuração do sistema e tipos de dispositivos
4.21.16 Comportamento do sistema
4.21.18 Modo sync e modo de congestionamento (freeze)
4.21.19 Mecanismos de proteção
4.21.20 Funções DP estendidas
4.21.21 Endereçamento
4.21.24 Perfil de comunicação FMS
4.21.25 Serviços FMS
4.21.26 Lower link interface (LLI)
4.21.28 Perfis de aplicação
4.21.29 Aspectos de aplicação
4.21.31 Automação de edifícios
4.21.32 Perfis de aplicação para tipos especiais de dispositivos
4.22 FOUNDATION Fieldbus
4.22.1 Considerações Iniciais
4.22.2 Definições
4.22.3 Níveis de Protocolo
4.22.4 Níveis de Software
4.22.5 Nível Físico
4.22.6 Distribuição de Energia
4.22.7 Benefícios do Fieldbus
4.22.8 Comparações com as tecnologias anteriores
4.22.9 Detalhando um projeto FIELDBUS
4.22.10 Uso de barreiras de proteção
4.22.11 Componentes de um projeto FIELDBUS e suas características
4.22.12 Cabos
4.22.13 Tipos de Equipamentos
4.22.14 Exemplo de documentação de um projeto
5.1 Componentes de um SAD
5.2 Software dos sistemas de aquisição de dados
5.3 Escolha dos sistemas de aquisição de dados
5.4 Sistemas Supervisórios
5.5 Plataforma de Hardware
5.6 Estrutura dos Sistemas Supervisórios
5.7 Características Gerais de um Software Supervisório
5.8 Configuração dos Sistemas Supervisórios
6 INTERFACE HOMEM-MÁQUINA (IHM)
6.1 Tipos de IHM
6.2 Meios de Comunicação da IHM
7 SISTEMA PIMS
7.1 Apresentação
7.2 Comunicação com Sistemas Externos
7.3 Modelo de Gerenciamento de Dados CST
8 BIBLIOGRAFIA
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Curso Automação

Curso Automação

Ratings: (0)|Views: 482 |Likes:

More info:

Published by: Michael Felipe Ferreira on Sep 12, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/16/2013

pdf

text

original

You're Reading a Free Preview
Pages 7 to 52 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 59 to 77 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 84 to 274 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 281 to 291 are not shown in this preview.
You're Reading a Free Preview
Pages 298 to 333 are not shown in this preview.

Activity (2)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->