Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword or section
Like this
29Activity
×
P. 1
Isaías (Moody)

Isaías (Moody)

Ratings: (0)|Views: 18,003|Likes:
Published by Antonio Gomes

More info:

Published by: Antonio Gomes on Sep 13, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

07/06/2013

pdf

text

original

 
ISAÍAS 
Isaías, o filho de Amós, era ao que parece umcidadão de Jerusalém altamente estimado, que desfrutava do acesso àcorte real, e era um conselheiro de confiança do Rei Ezequias. Seuministério se estendeu do moda morte do Rei Uzias em 740 A.C. (se nãoantes) até o reinado do idólatra Rei Manassés, em cuja perseguição elefoi provavelmente martirizado. A tradição conta que ele foi mortoserrado ao meio (cons. Hb. 11:37). Aparentemente, não pregoupublicamente depois que Manassés subiu ao trono em 698, masconfirmou sua mensagem à forma escrita preservada nos capítulos de 40a 66. O ponto alto de sua influência política foi atingido no ano decisivo
 
Isaías (Comentário Bíblico Moody) 2de 701 A.C., quando a invasão assíria ameaçou destruir o Reino de Judáe remover seus habitantes para a escravidão e o exílio. Através de suaintercessão diante de Deus, o terrível perigo foi milagrosamenteremovido e o remanescente do exército de Senaqueribe fugiuingloriamente para Nínive.
Antecedentes Históricos.
Foi durante o período crítico da últimametade do século oitavo que Israel, o Reino do Norte (as Dez Tribos),sofreu um declínio rápido e catastrófico, depois da morte do temívelJeroboão II. Samaria foi finalmente destruída após um cerco desesperadono ano de 711. A longa sucessão de reis ímpios e a crescente diminuiçãoda fé bíblica causou a derrocada de Israel. Judá, sob o governo docorrupto e degenerado Rei Acaz, parecia pronta a seguir o exemplohorrível da apostasia de Israel, e buscou a proteção e o livramento daAssíria pagã, em vez de buscar a Jeová, o Deus de sua aliança. Contraesta infidelidade Isaias e Miquéias estabeleceram um protesto severo edeterminado. Lá pelo ano de 626 o governo estava sob o controle deEzequias, o filho de Acaz que temia a Deus. Ele eliminou grande partedos "altos" idólatras, até mesmo os que eram dedicados a Jeová(contrariando a Sua Lei), e promoveu o estudo bíblico entre todo o povo.Uma doença quase fatal aprofundou a piedade de Ezequias, e omovimento da reforma continuou. Mas ainda assim Judá aderiu àenganosa política de confiar em aliados pagãos, mesmo quando Isaiasadvertiu veementemente contra as intrigas com o Egito. Como predisse oprofeta, a confiança no poder secular do Egito (e não na proteção deDeus somente) comprovou-se quase fatal. Os exércitos egípciosesfacelaram-se diante da violenta investida da máquina da morte deSenaqueribe, e só a divina intervenção salvou o reino de Ezequias dacompleta ruína. A essa altura da crise o rei completamente arrependidopor ter ignorado as advertências divinas (que lhe foram transmitidas porIsaías) elevou-se a tais alturas de fé e pureza de confiança que o Senhordignou-se ouvir sua oração.
 
Isaías (Comentário Bíblico Moody) 3Ezequias sobreviveu a este momento de glória mas por apenasalguns poucos anos. Então seu jovem e voluntarioso filho Manasséssubiu ao trono. Ele deu ouvidos à nobreza mundana, que há muito seaborrecia sob a pureza religiosa imposta por seu pai, e com espírito de"liberalidade" deu licença à reassunção da idolatria. Passo a passo elemesmo se tomou um convicto adorador de ídolos, e brutalmenteperseguiu aqueles que considera verdadeira a fé de seu pai. A corrupçãodoutrinaria do povo foi acompanhada por uma decadência moralgeneralizada. O rei e os nobres que exploravam O povo com propósitode lucros egoístas, encheram Jerusalém de sangue e rapina. Nestaatmosfera de corrupção e depravação Isaías recebeu uma série demaravilhosas revelações com vistas à futura conquista babilônica noséculo futuro e além do período da Restauração, quando o SegundoEstado Judeu seria estabelecido na Terra Prometida.
Teorias de Crítica da Autoria.
Principalmente presumindo queuma genuína profecia preditiva é impossível, a alta crítica racionalistatem contestado a autenticidade de Isaías 40-66, desde os rins do séculodezoito. O autor destes capítulos parecia saber da queda de Jerusalém(um bom século após a morte de Isaías), e também da restauração daPalestina pelos judeus cativos após a queda da Babilônia para os persasem 539 A.C. Portanto esta seção de "Isaías" deve ter sido escrita por umautor desconhecido – o "Deutero-Isaías" – que viveu pelo menos 130anos depois da morte do profeta do século oito.Para sustentar esta posição, argumenta-se: a) que um ponto de vistafuturista não poderia ser mantido com referência a um tão grandenúmero de capítulos; b) que o verdadeiro nome do conquistador persa,Ciro, que estava destinado a libertar os judeus cativos, não poderia serconhecido século e meio antes do acontecimento. Na realidade, contudo,uma interpretação futurista não se sustenta de maneira nenhuma atravésde todos esses vinte e sete capítulos; muitas passagens tratam dequestões contemporâneas do Isaías histórico. Em segundo lugar, asEscrituras Sagradas não hesitam em predizer nomes específicos quando a

Activity (29)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Ricardo Rodolfo liked this
Felipe Peixoto liked this
Jessica Almeida added this note|
ola como faço para recever estudos assim diarios?
Emerson D'Amato liked this
Emerson D'Amato liked this
Elias Schneider liked this
Thiago Araujo liked this
Emerson D'Amato liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->