Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
P. 1
Isaías (Moody)

Isaías (Moody)

Ratings: (0)|Views: 4,369 |Likes:
Published by Antonio Gomes

More info:

Published by: Antonio Gomes on Sep 13, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/06/2013

pdf

text

original

 
ISAÍAS 
Isaías, o filho de Amós, era ao que parece umcidadão de Jerusalém altamente estimado, que desfrutava do acesso àcorte real, e era um conselheiro de confiança do Rei Ezequias. Seuministério se estendeu do moda morte do Rei Uzias em 740 A.C. (se nãoantes) até o reinado do idólatra Rei Manassés, em cuja perseguição elefoi provavelmente martirizado. A tradição conta que ele foi mortoserrado ao meio (cons. Hb. 11:37). Aparentemente, não pregoupublicamente depois que Manassés subiu ao trono em 698, masconfirmou sua mensagem à forma escrita preservada nos capítulos de 40a 66. O ponto alto de sua influência política foi atingido no ano decisivo
 
Isaías (Comentário Bíblico Moody) 2de 701 A.C., quando a invasão assíria ameaçou destruir o Reino de Judáe remover seus habitantes para a escravidão e o exílio. Através de suaintercessão diante de Deus, o terrível perigo foi milagrosamenteremovido e o remanescente do exército de Senaqueribe fugiuingloriamente para Nínive.
Antecedentes Históricos.
Foi durante o período crítico da últimametade do século oitavo que Israel, o Reino do Norte (as Dez Tribos),sofreu um declínio rápido e catastrófico, depois da morte do temívelJeroboão II. Samaria foi finalmente destruída após um cerco desesperadono ano de 711. A longa sucessão de reis ímpios e a crescente diminuiçãoda fé bíblica causou a derrocada de Israel. Judá, sob o governo docorrupto e degenerado Rei Acaz, parecia pronta a seguir o exemplohorrível da apostasia de Israel, e buscou a proteção e o livramento daAssíria pagã, em vez de buscar a Jeová, o Deus de sua aliança. Contraesta infidelidade Isaias e Miquéias estabeleceram um protesto severo edeterminado. Lá pelo ano de 626 o governo estava sob o controle deEzequias, o filho de Acaz que temia a Deus. Ele eliminou grande partedos "altos" idólatras, até mesmo os que eram dedicados a Jeová(contrariando a Sua Lei), e promoveu o estudo bíblico entre todo o povo.Uma doença quase fatal aprofundou a piedade de Ezequias, e omovimento da reforma continuou. Mas ainda assim Judá aderiu àenganosa política de confiar em aliados pagãos, mesmo quando Isaiasadvertiu veementemente contra as intrigas com o Egito. Como predisse oprofeta, a confiança no poder secular do Egito (e não na proteção deDeus somente) comprovou-se quase fatal. Os exércitos egípciosesfacelaram-se diante da violenta investida da máquina da morte deSenaqueribe, e só a divina intervenção salvou o reino de Ezequias dacompleta ruína. A essa altura da crise o rei completamente arrependidopor ter ignorado as advertências divinas (que lhe foram transmitidas porIsaías) elevou-se a tais alturas de fé e pureza de confiança que o Senhordignou-se ouvir sua oração.
 
Isaías (Comentário Bíblico Moody) 3Ezequias sobreviveu a este momento de glória mas por apenasalguns poucos anos. Então seu jovem e voluntarioso filho Manasséssubiu ao trono. Ele deu ouvidos à nobreza mundana, que há muito seaborrecia sob a pureza religiosa imposta por seu pai, e com espírito de"liberalidade" deu licença à reassunção da idolatria. Passo a passo elemesmo se tomou um convicto adorador de ídolos, e brutalmenteperseguiu aqueles que considera verdadeira a fé de seu pai. A corrupçãodoutrinaria do povo foi acompanhada por uma decadência moralgeneralizada. O rei e os nobres que exploravam O povo com propósitode lucros egoístas, encheram Jerusalém de sangue e rapina. Nestaatmosfera de corrupção e depravação Isaías recebeu uma série demaravilhosas revelações com vistas à futura conquista babilônica noséculo futuro e além do período da Restauração, quando o SegundoEstado Judeu seria estabelecido na Terra Prometida.
Teorias de Crítica da Autoria.
Principalmente presumindo queuma genuína profecia preditiva é impossível, a alta crítica racionalistatem contestado a autenticidade de Isaías 40-66, desde os rins do séculodezoito. O autor destes capítulos parecia saber da queda de Jerusalém(um bom século após a morte de Isaías), e também da restauração daPalestina pelos judeus cativos após a queda da Babilônia para os persasem 539 A.C. Portanto esta seção de "Isaías" deve ter sido escrita por umautor desconhecido – o "Deutero-Isaías" – que viveu pelo menos 130anos depois da morte do profeta do século oito.Para sustentar esta posição, argumenta-se: a) que um ponto de vistafuturista não poderia ser mantido com referência a um tão grandenúmero de capítulos; b) que o verdadeiro nome do conquistador persa,Ciro, que estava destinado a libertar os judeus cativos, não poderia serconhecido século e meio antes do acontecimento. Na realidade, contudo,uma interpretação futurista não se sustenta de maneira nenhuma atravésde todos esses vinte e sete capítulos; muitas passagens tratam dequestões contemporâneas do Isaías histórico. Em segundo lugar, asEscrituras Sagradas não hesitam em predizer nomes específicos quando a

Activity (29)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Ricardo Rodolfo liked this
Felipe Peixoto liked this
Jessica Almeida added this note
ola como faço para recever estudos assim diarios?
Emerson D'Amato liked this
Emerson D'Amato liked this
Elias Schneider liked this
Thiago Araujo liked this
Emerson D'Amato liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->