Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
7Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
TCC - Daiane Hemerich

TCC - Daiane Hemerich

Ratings: (0)|Views: 5,310 |Likes:
Published by Leonardo Foletto
O PAPEL DA WEB NA MUDANÇA DE PARADIGMA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL: A Internet e a Indústria Fonográfica
Daiane Hemerich, Adriano Canabarro Teixeira
O PAPEL DA WEB NA MUDANÇA DE PARADIGMA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL: A Internet e a Indústria Fonográfica
Daiane Hemerich, Adriano Canabarro Teixeira

More info:

Published by: Leonardo Foletto on Sep 13, 2011
Copyright:Attribution Share Alike

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/21/2013

pdf

text

original

 
O PAPEL DA WEB NA MUDANÇA DE PARADIGMA DE PROPRIEDADEINTELECTUAL: A Internet e a Indústria Fonográfica
Daiane Hemerich, Adriano Canabarro TeixeiraCiência da Computação – Universidade de Passo Fundo (UPF)Caixa Postal 611 – 99052-900 – Passo Fundo – RS – Brasil85129@upf.br, teixeira@upf.br 
Resumo:
Este artigo visa esclarecer a ligação entre o advento dastecnologias Web e sua relação com as liceas de pia de obrasintelectuais. O compartilhamento do conhecimento e sua criação coletivasempre estiveram presentes ao logo da evolução da raça humana, até acriação da prensa de impressão e o início da restrição e regulamentaçãode direito de cópia através das leis Copyright. A legislação sofreu váriasmudanças ao longo dos anos, conforme novas tecnologias de produção,cópia e reprodução de obras foram surgindo, mas se tornou muitoconfusa e difícil de ser aplicada. A consolidação da Sociedade em Redecom os ideais contraculturais das décadas de 60/70 retomam a lógica daliberdade de expressão e criatividade coletiva, e questionam o sentido deleis no contexto atual. Surgem propostas de licenças mais adequadas aociberespaço, através da flexibilidade das licenças Creative Commons e aliberdade de restrições em forma de Copyleft. Ainda, são apresentadosexemplos da indústria fonográfica para ilustrar essa transformação.
Palavras-chave:
Copyleft, Creative commons, Copyright, PropriedadeIntelectual.
Abstract:
This article has the purpose of clarify the connection betweenthe advent of Web technologies and their relation with licenses copies of intellectual works. The share of knowledge and its collective creationhave always been present along the human evolution, even the printing press invention and the beginning of the restriction and regulation of copyrights through the Copyright laws. The legislation has injured lots of changes along the years, as new production technology, copy andreproduction of work pieces were coming, but it became very confusingand hard to be applied. The consolidation of the Network Society withcounter-culture ideal of 60s and 70s regain the logic of freedom of expression and group creativity, and question the sense of laws in thecurrent context. New propositions arise from more properly licenses tothe cyberspace, through the flexibility of Creative Commons licensesand freedom from restrictions in the form of Copyleft. Still, it is presented examples of the music industry to illustrate thistransformation.
Key words:
Copyleft, Creative commons, Copyright, IntellectualProperty.
Introdução
Desde os primórdios, ao longo da história da humanidade, o homem criou edisponibilizou o conhecimento como um bem público e faz parte de sua natureza repassá-lo1
 
aos demais. Porém, em certo período, surgiu o conceito de propriedade intelectual. Mas asideias produzidas hoje são frutos de um conhecimento anterior, que se manteve livre atéentão. Isso nos deixa a seguinte pergunta: é possível ou permitido que uma indústria detenha para si o resultado de toda uma criação coletiva, como vem acontecendo ainda hoje na era daconectividade digital?Esses conceitos de criação coletiva e compartilhamento solidário de informações,vistos historicamente ao longo de toda a experiência humana, serão abordados e discutidosneste estudo. Será explorado o papel da contracultura como forma de defesa da liberdade deinformação e cooperação, que podem ser mais propícias à inovação do que a competição e osdireitos de propriedade, bem como o importante papel da tecnologia nesse contexto.Segundo Castells (2003, p.116), movimentos culturais formam-se em torno dossistemas de comunicação e mídia porque é principalmente através deles que se conseguealcançar aqueles capazes de aderir a seus valores e interesses e, a partir daí, atingir aconsciência da sociedade como um todo. Nesse âmbito, a Internet tem papel crucial comoconversora de diversos tipos de mídia e remodeladora do novo tipo de sociedade: a sociedadeem rede, que fez o mundo ficar reduzido a alguns segundos de distância, facilitandoimensamente a troca de informações e a cooperação para novas criações. É nesse contexto queforam aplicados os ideais da contracultura e liberdade de expressão: a Web é uma alavanca natransição para a nova forma de sociedade, conectando as grandes massas e criando novosvalores baseados no compartilhamento e inteligência coletiva. Neste sentido, é possível situar este estudo no interior da linha de pesquisa Estudos daCibercultura do Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão Digital da Universidade de PassoFundo, cujo objetivo é explorar, aprofundar, discutir e teorizar acerca da cibercultura e seusdesdobramentos, especialmente no que se refere à Inclusão Digital. Assim, deseja produzir conhecimento sobre o potencial da inclusão digital no processo de inclusão social dosindivíduos e grupos. Tal conhecimento serve de base para a linha de pesquisa "Tecnologias emetodologias de Inclusão Digital". Ainda, a linha abre a possibilidade de se discutir aspectossociais, econômicos, políticos e culturais das tecnologias de rede. A partir destes elementos,define-se o seguinte problema de pesquisa: qual o papel da tecnologia na evolução dos paradigmas de propriedade intelectual?
Objetivo geral
A partir do problema apresentado, esta pesquisa tem por objetivo analisar o papel datecnologia como base da Sociedade em Rede, e seu impacto na evolução dos conceitos sobre propriedade intelectual, com exemplos focados na indústria fonográfica.
Objetivos específicos
A fim de dar resposta ao objetivo geral da pesquisa, define-se os seguintes objetivosespecíficos:
Analisar os conceitos e o que há por trás das ideias de propriedade intelectual econhecimento coletivo;
Identificar as origens dos ideais de compartilhamento do conhecimento e suainflncia na propagão da tecnologia de Internet, desde o conceito decontracultura até a consolidação da nova sociedade como uma rede, conectando asgrandes massas, com informão cada vez mais acesvel e práticas dedisseminação;
Identificar prós, contras e consequências desta transformação no que diz respeito à propriedade intelectual;
Analisar o impacto da evolução da Internet nos conceitos sobre propriedadeintelectual, considerando que esta transformação afetou consideravelmente a2
 
ordem social e cultural: o Copyright, o Creative Commons e o Copyleft.
Utilizar exemplos focados na indústria fonográfica como ilustração da evoluçãotecnológica, cultural e de multimídia, analisando sua reão às novas possibilidades disponibilizadas pela Web.
1 A sociedade contemporânea
A comunicação é a essência da atividade humana. A produção e disseminação doconhecimento na prática de compartilhamento de informações sempre foi algo natural aolongo da história da humanidade. Porém, em nenhum estágio desta história a informação foitão valorizada como é na sociedade contemporânea.Toffler (1980, p.24) analisa a evolução da civilização como tendo três fases distintas: aagrícola, a industrial e a da informação, cada uma podendo ser vista como uma onda demudanças avançando a uma certa velocidade.O aparecimento da agricultura foi o primeiro ponto decisivo para o desenvolvimentosocial humano. Nesta fase, o homem começa a organizar-se em comunidades, geralmentefixas, com poucas novas experiências, sendo o conhecimento repassado através de fatosvividos ou apenas relatados.A fase seguinte trouxe a segunda grande ruptura: o surgimento da indústria e aconsequente padronização da sociedade, conhecida como massificação social. A mudança daestrutura familiar e a migração dos campos para as fábricas que caracterizavam a fase da produção em massa exigiram uma adoção de padrões que pudesse nivelar as diferenças,eliminando diversidades na linguagem, no lazer e no estilo de vida. Nesta fase emergem osmeios de comunicação em massa: os jornais, rádio e, principalmente, a televisão, granderesponsável pela massificação cultural da sociedade industrial, uma vez que oferecem ideiasorganizadas e sintetizadas, prontas para serem assimiladas de imediato.A propaganda distribuiu amplamente imagens visuais padronizadas, implantando-asassim em milhões de memórias particulares até que se transformassem em ícones. Esta açãoajudou a produzir a padronização de comportamento exigida pelo sistema de produção emmassa. Com a desaceleração do movimento industrial, os veículos de massificação social perderam força, dando espaço a novas correntes de troca de informação propiciados pelarevolução eletrônica.Os computadores passaram a se infiltrar discretamente no mundo comercial, a princípio para fins financeiros. A explosão da eletrônica deu o primeiro passo para a definiçãoda nova sociedade: a Sociedade da Informação. A informação tornou-se o negócio maisimportante e o que mais cresce no mundo. Ocorreu assim o processo inverso da massificaçãosocial, a desmassificação. O surgimento da eletrônica e o fim da era industrial foram aos poucos eliminando o padrão social e formando os valores da liberdade individual ecomunicação aberta. Neste contexto, o surgimento da Internet torna-se fator decisivo para modelagem danova sociedade. De acordo com Castells, “sob essas condições, a Internet, uma tecnologiaobscura sem muita aplicação além dos mundos isolados dos cientistas computacionais, doshackers e das comunidades contraculturais, tornou-se alavanca na transição para uma novaforma de sociedade – a Sociedade de Rede” (2001, p.8). A evolução e disseminação quaseque instantânea da Internet não teria ocorrido sem a distribuição aberta, gratuita, de software eo uso cooperativo de recursos que se tornou o código de conduta dos primeiros hackers. Eessa cultura colaborativa é resultado do contexto da época, com a retomada dos ideaiscontraculturais.Apesar de os precursores da Internet não estarem ligados diretamente à contraculturano sentido dos movimentos sociais ativistas da época, foi nesse contexto que a interconexãode computadores surgiu e foi disseminada. A Internet, numa época em que os ideais de3

Activity (7)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Rafael Pinto liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->