Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
16Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
estudar porquê

estudar porquê

Ratings:

4.33

(3)
|Views: 6,707|Likes:
Published by luiz carvalho
algumas indicações para os alunos sobre o valor do estudo
algumas indicações para os alunos sobre o valor do estudo

More info:

Published by: luiz carvalho on Oct 12, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial Share Alike

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

08/10/2013

pdf

text

original

 
Estudar Porquê?
Cinema, jogos, bares, festas, conversas com amigos... Com tudo isto para fazer, quem é que vai quererestudar?
Cinema, jogos, bares, festas, conversas com amigos... Com tudo isto para fazer, quem é quevai querer estudar?Cinema, jogos, bares, festas, conversas com amigos... Com tudo isto para fazer, quem é que vai querer estudar?
Estudar é uma seca, dá trabalho. Para quê ir às aulas? Os professores não sabem ensinar.
Estas são frases que certamente já terás dito ao longo da tua vida de estudante. Então perguntamos-te: “Para queé que estudas?” Talvez digas que é para teres uma vida melhor, mas já olhaste bem para as estatísticas de desemprego doslicenciados.Pode ser para satisfazer uma exigência dos teus pais. Bom, qualquer dia terás que começar a pensar pela tuacabeça e exercer a tua vontade. Esta é a idade em que se começa a fazê-lo. Fazer o que os pais querem até tãotarde, só pode levar a resistir ao mesmo tempo. A Individualidade e a liberdade são dos valores que mais motivama acção humana.Até pode ser pelo estatuto social. Qualquer que seja a razão, o importante é assumir que foi uma escolha tua,portanto, deves responsabilizar-te por ela (ou seja, assumi-la como tua e fazer o necessário para a concretizar).Falámos de razões que podem até ser importantes, mas são exteriores a ti. Agora olha bem para dentro. No fundode ti encontras ou não a resposta “porque quero aprender”?A curiosidade e a vontade de aprender são motivações comuns e inatas a todos os seres humanos. São estasnecessidades que transformam a potencial frustração da tarefa de estudar, num desafio. E, como em todos osdesafios, o esforço é necessário, mas o prazer também está presente.Esta página tem como objectivo ajudar-te a lidar com algumas dificuldades que frequentemente os estudantessentem. Não pretendemos dar nenhuma receita, nem ter uma solução milagrosa para os problemas.O estudo é uma tarefa pessoal, coloca problemas diferentes para cada um. As soluções são ilimitadas, e as queservem para uns, não servirão para outros.Solucionar problemas de estudo exige trabalho, treino, continuidade, persistência, criatividade, ousadia, etc., etc.,etc.Só existe uma verdade para o estudo:
COMEÇA A ESTUDAR!!!
 
 
 
 
 
 
 
 
Prepara-te para estudar
É que estudar bem pode marcar a diferença entre o aluno médio ou o crânio!
Estudar bem pode marcar a diferença entre o aluno médio ou o crânio!A aprendizagem exige tempo. Não basta decorar meia dúzia de conceitos ou mecanizar umas quantas soluções deexercícios para dizer que se aprendeu. Aprender é sobretudo relacionar conceitos, os que já se aprenderam com osnovos, é levantar questões, é duvidar, é raciocinar, é descobrir soluções.Em suma é adaptar toda a estrutura de conhecimento, integrando a nova informação. Lembras-te quandoaprendeste a andar de bicicleta ou a conduzir? Todas as atrapalhações iniciais foram aos poucos ultrapassadas eintegradas em novos movimentos, que se foram automatizando. Hoje em dia, provavelmente, já não tens quepensar como te vais equilibrar quando andas de bicicleta, nem que tens de carregar na embraiagem ao mesmotempo que a mudança entra. É automático, faz parte de ti.
A aprendizagem é ilimitada.
Pode-se sempre aprender um pouco mais acerca de qualquer assunto. Pode-se
 
sempre melhorar, aperfeiçoar e aprofundar o que já se aprendeu, dependendo do interesse que se tem pelamatéria, a sua importância para a formação geral, o grau de exigência do professor, a relação com matérias deoutras cadeiras, etc. É importante estabelecer objectivos e planear o estudo de acordo com estes factores.
As dificuldades e a frustração são inerentes à aprendizagem.
Quem aprende sem sentir dificuldades, nãoestá a aprender. Provavelmente, só está a assimilar conhecimentos que serão rapidamente esquecidos.A verdadeira aprendizagem ocorre quando se ultrapassam as resistências e dificuldades próprias de algo novo queestá a ser integrado. Errar é ter oportunidade de se aprender com o erro.Como já deves estar a ver, o que te vamos dizer a seguir é prepara-te para estudar com a devida antecedência. Sóna época de exames, não chega. Sentir todas estas frustrações e dificuldades quando está próxima uma avaliaçãosó vai aumentá-las e criar ansiedade e angústia. Aprender é um processo que leva tempo e cada um tem o seuritmo próprio. A ansiedade complica este processo e dispensa-se.No entanto, estudar não precisa de ser um processo doloroso e chato. Estudar com motivação e gosto poraprender, encarando e ultrapassando desafios dá prazer. Aprender a rir das dificuldades e dos erros e lidar comsentimentos de falta de confiança e frustração torna-te mais maduro e capaz de encarar futuros desafios. Por isso,integra o estudo na tua vida.
Planeia actividades de lazer e diversão de modo equilibrado e diversificado.
Não tens de deixar de fazer oque te dá prazer. Pelo contrário, aprendemos tanto melhor, quanto melhor nos sentimos connosco próprios. Oprazer e a diversão são das coisas mais importantes da vida e também fontes de aprendizagem.
Tem em consideração a maneira como aprendes melhor.
Há pessoas que aprendem mais facilmente ouvindo,outras lendo, outras, ainda, experimentando. Há pessoas que gostam de estudar sozinhas e outras que gostam deestudar com colegas, conversando e tirando dúvidas. Há os que aguentam longas horas a estudar e há os queprecisam de fazer muitos intervalos para “digerir” e “arejar.Se não sabes quais são as tuas preferências, descobre o quanto antes. Mas cuidado, não te enganes a ti próprio.Se em grupo só consegues falar de tudo menos de estudo e distrais-te com os outros, então, provavelmente, estása evitar confrontar-te com a tarefa. O que é mais confortável muitas vezes é um evitamento.
Envolve-te activamente no teu processo de aprendizagem.
Planeia actividades que te permitam aplicar ouaprofundar o que aprendeste. Procura pistas que te ajudem a compreender os assuntos que estás a estudar.Coloca e testa hipóteses. Mantém presente e pensa no que estás a aprender.
 
Estudar ou talvez não
Há pessoas que precisam de «marrar» durante 15 dias para tirar um 12, e outras para quem basta começara ler os apontamentos dois dias antes.
A facilidade em aprender varia de pessoa para pessoa. Assim, há pessoas que precisam de «marrar» durante 15dias para tirar um 12, e outras para quem basta começar a ler os apontamentos dois dias antes.O melhor é não arriscares e, em primeiro lugar, ver de quanto tempo precisas para, como gostam de dizer osprofessores, «adquirir os conhecimentos essenciais»!Depois, é uma questão de fazer uns cálculos: ou estudas para tirar 12, ou para seres o crânio da turma.Um outro aspecto importante é a frequência com que vais às aulas. Estar durante duas ou três horas a «aturar» oprofessor mais chato da faculdade não é de certeza aquilo que mais te apetece fazer. Mas pensa se não é melhorires, prestar (alguma...) atenção e tirares apontamentos. Isto pode ajudar-te na altura dramática das frequências:é que quando estiveres a estudar uma matéria vais de certeza lembrar-te de alguma coisa que ouviste.Bom, tanta coisa para te dizer que se queres mesmo tirar o curso, o melhor é seguires algumas regras básicas!
Que tipo de aluno és tu?
Marrão? Baldas? Cábula? Palhaço? Burro? Reprodutor?... Informa-te!!!
Marrão: Só dás por ele se lhe deres um encontrão por acaso. É que o marrão normalmente não é lá muito sociável.É óbvio que ele não pode ir ao cinema, jogar às cartas ou passar o fim-de-semana fora quando tem umafrequência dali a dois meses! O que acaba por acontecer é que de tanto dizer «não posso», os amigos vão deixarde convidá-lo.Assim, não é de estranhar que na Faculdade quase ninguém se lembre dele. Ele nunca foi ao jantar do caloiro, àFesta do Caloiro, à Semana do Caloiro, ao Batismo do caloiro... Enfim, ele nunca foi a lado nenhum e pergunta-secomo é que os que vão passar o ano.Mas o marrão não se importa com isso. Aliás, ele nem sabe bem o que é ter amigos, porque o que tem mais
 
próximo dessa definição são os professores com quem ele se encontra sempre que pode para discutir a verdadeiraimportância dos Mamelucos na Revolução americana.Como é óbvio é sempre o melhor aluno da turma e quando andava no secundário figurava no Quadro de Honra.Dares-te com um marrão podia ter a vantagem de lhe pedires os apontamentos emprestados, mas o que aconteceé que ele acha que cada um só tem o que merece e por isso não gosta lá muito de emprestar uma coisa feita comtanto amor!
Baldas:
Passa a vida no bar, em festas e jantares. Falta a pelo menos 50% das aulas e nunca sabe muito bem queprofessor é que dá o quê. Aliás, muitas vezes nem se consegue lembrar de todas as cadeiras que tem.Os colegas mais certinhos, que vão sempre às aulas, nunca percebem muito bem se o baldas faz mesmo parte daturma ou se está só a fazer algumas disciplinas.Aliás, quando se fala no nome dele eles têm alguma dificuldade em lembrar-se de quem é – a não ser que tambémcostumem ir às festas.Estudar, só nas vésperas das frequências, e é só se não houver mesmo mais nada para fazer.Mas, curiosamente, o baldas acaba sempre por passar de ano. Uma aulita aqui, uma olhadela de alguma coisa ali,um olhito para o teste do lado... Enfim, pode não estar entre os melhores alunos da turma, mas safa-se sempre.Até entrar no mundo do trabalho (se isso algum dia chegar a acontecer!).
Cábula:
Copiar está-lhe no sangue.É um verdadeiro profissional, que não adormece à sombra da bananeira e se preocupa em ir renovandoconhecimentos – por isso mesmo sabe sempre as últimas novidades na arte de bem cabular.Já aprendeu a só pôr nas cábulas o que é verdadeiramente importante, por isso quando está nas frequências perdemuito menos tempo a tentar encontrar o que precisa. Além disso, sabe fazer cábulas com arte: tudo dividido pormatérias e feito a computador.E se é um mestre a fazê-las, também o é na hora de as usar. Não fica nervoso e se o professor olhar para ele fica apensar que ele está super concentrado na prova.A única altura em que pode entrar em pânico é quando apanha a vigiar a prova um daqueles profs lixados quepensa que ainda estamos na época da PIDE. Aí entra em desespero porque, como é óbvio, não estudouabsolutamente nada. E a partir daqui tudo pode acontecer: finge que se está a sentir mal, inventa que estão abombardear a Faculdade, que há uma bomba...
Palhaço:
tem a mania que é esperto, mas só raramente o é de verdade. Nas aulas é ele que faz rir o pessoal, namaior parte das vezes com bocas parvas mas que ajudam a descontrair.Os professores detestam-no porque ele os põe muitas vezes a ridículo e por isso optam por deixá-lo falar e rezarpara que não sobre para eles.Estuda quando o rei faz anos, por isso não é o melhor aluno, mas também não é dos piores: dá para ir passandosem grande ondas...Como é óbvio, gosta de gozar mas não gosta de ser gozado. Por isso, quando alguém lhe tenta fazer o que ele fazaos outros fica com cara de parvo e esforça-se por mudar o rumo da conversa. Não vá aquilo pegar...
Burro:
2+2=4Certo? Pois é, para os burros isto não é assim tão linear. 2+2=4? E provas disso?Os burros não têm culpa de ser assim. Eles até se esforçam mas a cabeça é que não dá para mais.Até nem queriam estudar, mas os pais embirraram que o filho havia de ser doutor nem que para isso tenham quetrabalhar que nem cães para ele perderem oito anos da sua vida (ou mais!) para tirar um curso de quatro.E é assim que quando precisamos dos serviços de um psicólogo, arquitecto, advogado e etc., nos deparamos comexcelentes profissionais!
Reprodutor:
Não conhecem muito bem a palavra raciocínio, mas decoram cinco páginas de texto em menos denada.Nas cadeiras em que basta empinar são capazes de tirar grandes notas. Mas se depois tentares ter uma conversacom eles ficam atrapalhados e só respondem com monossílabos.Como não nunca aprenderam a folhear um jornal, normalmente não sabem nada do que se passa no mundo,excepção feita ao Jet-7. O quê, o Cavaco Silva já não é Primeiro Ministro? Estás a brincar? Quando é que foi isso?!Com tudo isto tu só te podes sentir bem, porque mesmo que não sejas um grande génio ao lado de uma pessoadestas és o máximo!
Normal:
não se mata a estudar mas também não vai para as frequências a zeros, vai às festas mas não todos osdias, faz cábulas mas só da matéria em que está menos à vontade.Enfim, é o mais equilibrado e, sobretudo, o que olha com menos escárnio para os outros todos.Nas aulas não é de falar muito, mas também não se importa de dar umas risadinhas.Não arranca grandes notas mas também não é isso que lhe tira o sono. O único problema é que se for assim tãonormal em tudo corre sérios riscos de morrer de tédio.
Os exames
Os exames são para a maioria dos estudantes fontes de apreensão e ansiedade. Não entres em paranóia!
Os exames são para a maioria dos estudantes fontes de apreensão e ansiedade. A forma como te pensas e o quesentes acerca dos exames pode aumentar ou reduzir os teu níveis de ansiedade.

Activity (16)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
docimnho007 liked this
josoell liked this
elainy23 liked this
melbdanger liked this
remysil liked this
ribeiroc liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->