Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
9Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
90% do Conteúdo de História do Enem

90% do Conteúdo de História do Enem

Ratings: (0)|Views: 1,249 |Likes:
Published by Thyago Vieira
Olá Galera!!
Para aqueles que farão o Enem, segue esse documento que fiz com 90% do conteúdo da prova. Levei um dia pra fazer. rs
Mas consegui. Pesquisei todos os tópicos na internet e passei tudo pra Word.
São textos tirados de sites como UOL, Brasil Escola, Algosobre, Mundo Vestibular, etc...
Façam bom proveito e Estudem!
Desejo Boa Sorte a Todos!!
Olá Galera!!
Para aqueles que farão o Enem, segue esse documento que fiz com 90% do conteúdo da prova. Levei um dia pra fazer. rs
Mas consegui. Pesquisei todos os tópicos na internet e passei tudo pra Word.
São textos tirados de sites como UOL, Brasil Escola, Algosobre, Mundo Vestibular, etc...
Façam bom proveito e Estudem!
Desejo Boa Sorte a Todos!!

More info:

Categories:Types, Research, History
Published by: Thyago Vieira on Sep 20, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/17/2013

pdf

text

original

 
 História para o Enem
Deu trabalho fazer isso aqui ¬¬
 
Crise do Modo de Produção Feudal
 
No século XIV, na Europa Ocidental, a população vivia dentro de determinadas características que vinhamsendo construídas desde o século III, e às quais denominamos
feudalismo.
As relações de produção sebaseavam no trabalho servil prestado fundamentalmente nas terras dos "senhores feudais": os nobres e oselementos da lata hierarquia da Igreja Católica.O crescimento da população, verificando entre os séculos XI e XIV, foi extraordinário. Os nobres aumentaramem número de consumo: isso determinava a necessidade de aumentar suas rendas e para consegui-lo,aumentou-se grandemente o grau de exploração da massa camponesa. Esta superexploração produziuprotestos dos servos, consubstanciados em numerosas revoltas e fugas para as cidades. A repressão a essesmovimentos foi enorme, mas a nobreza e o alto clero tiveram razões para temer por sua sobrevivência.Paralelamente, importantes alterações do quadro natural provocaram sérias conseqüências. Durante o séculoXIII ocorreram uma expansão das áreas agrícolas, devido ao aproveitamento das áreas de pastagens e aderrubada de florestas. O desmatamento provocou alterações climáticas e chuvas torrenciais e contínuas,enquanto o aproveitamento da área de pastagem levou a uma diminuição do adubo animal, o que refletira nabaixa produtividade agrícola.Com as péssimas colheitas que se verificaram, ocorreu uma alta de preços dos produtos agrícolas. Oseuropeus passaram a conviver com a fome. Os índices de mortalidade aumentaram sensivelmente e, o séculoXIV, uma população debilitada pela fome teve que enfrentar uma epidemia de extrema gravidade: a PesteNegra, que chegou a dizimar cerca de 1/3 dos habitantes da Europa.Dificuldades econômicas de toda ordem assolavam a Europa, que passou a conviver com um outro problema:o esgotamento das fontes de minérios preciosos, necessários para a cunhagem de moedas, levando os reis aconstantes desvalorizações da moeda. Isso só fazia agravar a crise.No plano social ao lado dos problemas já levantados, importa verificar o crescimento de um novo grupo: aburguesia comercial, residente em cidades que tendiam para uma expansão cada vez maior pois passaram aatrair os camponeses e os elementos "marginais" da sociedade feudal.Politicamente, a crise que se traduz pelo fortalecimento da autoridade real, considerado necessário pelanobreza, temerosa do alcance das revoltas camponesas. A unificação política, ou surgimento dos EstadosNacionais, aparece, desta forma, como uma solução política para a nobreza manter sua denominação.Finalmente, a crise se manifesta também no plano espiritual-religioso. Tantas desgraças afetaramprofundamente as mentes dos homens europeus, traduzindo-se em novas necessidades espirituais (uma novaconcepção do homem e do mundo) e religiosa (a Igreja Católica não conseguia atingir tão facilmente os fiéis,necessitados de uma teologia mais dinâmica).
 
Fatores responsáveis pela queda do Feudalismo
A fome, a guerra e a peste
 
 
A partir do início do século XIV, uma profunda crise anunciou o final da época medieval. Fome, pestes,guerras e rebeliões de servos atingiram a essência do sistema feudal.Ao final do século XV, as monarquias nacionais estavam consolidadas, a nobreza enfraquecida e asobrigações feudais contestadas pelas constantes rebeliões de servos.
"Dado que uma grande parte do povo, e especialmente dostrabalhadores e servidores, morreu ultimamente da peste, emuitos, vendo as necessidades dos senhores e a grandeescassez de serviçais, não querem servir sem receber salários excessivos, preferindo outros mendiga no ócio aganhar a vida pelo seu trabalho; nós, considerando osgraves incômodos que podem sobrevir especialmente a faltade lavradores de tais trabalhadores, depois de ter deliberadoe tratado com o seu conselho unânime, ordenávamos: Quecada homem e mulher do nosso reino da Inglaterra, dequalquer condição que seja, livre ou servo, apto de corpo ecom menos de 60 anos, que não viva do comércio nemexerça qualquer ofício, nem possua de próprio com que possa viver, nem terra própria em cujo cultivo se possoocupar, nem sirva qualquer outros, se for convocado paratrabalhar num serviço que lhe seja adequado, considerada asua condição, será obrigado a servir aquele que assim oconvoca; e levara apenas o soldo, pagamento, remuneraçãoou salário que era costume serem dados no lugar onde eraobrigado a servir no vigésimo ano do nosso reinado em Inglaterra (isto é, em 1347), ou nos cinco dos seis anoscomuns anteriores... E se qualquer homem ou mulher, sendoassim convocado para servir, não o fizer... Seráimediatamente presto"
 
 Freitas, Gustavo de 900 textos e documentos de História. Lisboa, Plátano, 1977. V.I, p.179
 
O texto acima é do Estatuto Inglês dos Trabalhadores, decretado em 1351, na Inglaterra, pelo rei Eduardo III.Ele revela a escassez de mão-de-obra que assolou a Europa no século XIVV e a reação da nobreza diantedessa situação. A escassez de trabalhadores foi um dos aspectos da chama crise do século XIV".A partir do século XI, transformações econômico-sociais foram dando novas feições à Europa medieval. Osistema feudal conviveu com o Renascimento Comercial, o Renascimento Urbano e o aparecimento de umanova classe social, a burguesia. Essas transformações ocorreram de forma ininterrupta, atingindo seu pontoculminante no século XIII. O sistema feudal parecia assimilar as inovações surgidas no campo econômico,político e social. No entanto, com o início do século XIV, uma profunda crise precipitou a derrocada do mundomedieval. Esse século foi chamado por alguns historiadores de "Outono da Idade Média".
A crise do sistema feudal: crise agrícola, estagnação do comércio, fome, pestes, guerras e rebeliões
 Agravaram-se as contradições entre o campo e a cidade. A produção agrícola não respondia às exigênciasdas cidades em crescimento. Nos séculos XI, XII e primeira metade do século XIII, a utilização de novas terrase as inovações técnicas permitiram uma ampliação da produção. Na última década do século XIII já nãorestavam terras por ocupar, e as utilizadas estavam cansadas, gerando uma baixa produtividade. Asinovações técnicas anteriores já não respondiam às novas necessidades. Além disso, a substituição dotrabalho assalariado ocorria muito lentamente.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->