Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
125Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Proteção de Maquinas 1

Proteção de Maquinas 1

Ratings:

4.67

(3)
|Views: 13,545 |Likes:
Published by api-3695865

More info:

Published by: api-3695865 on Oct 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
Acidentes do trabalhocom máquinas - identificaçãode riscos e prevenção
Rodolfo Andrade Gouveia Vilela
Engenheiro Mecânico e de Segurança do TrabalhoDoutorando em Saúde Coletiva (área Saúde do Trabalhador) pela UNICAMP- SPAssessor em Segurança do Trabalho na SUCEN/SPemembro do Programa de Saúde do Trabalhador de Piracicaba/ SP.
 
Análise de riscos
-4-
INTRODUÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5AS MÁQUINAS E OSACIDENTES DE TRABALHO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .8RISCOS E PREVENÇÃO DEACIDENTES EM MÁQUINAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .10REQUISITOS MÍNIMOSPARAPROTEÇÃO DE MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .13MÉTODOS DE PROTEÇÃODE MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .14MANUTENÇÃO PREVENTIVAE PREDITIVA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .25BASES LEGAIS E NORMAS NACIONAISSOBRE SEGURANÇADE MÁQUINAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .26ROTEIRO PARAAVALIAÇÃODE RISCOS EM MÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .27OUTROS RISCOS NAMÁQUINA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .30REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .33
Índice
 
INTRODUÇÃO
O objetivo desta publicação é auxiliar os tra-balhadores e seus representantes, membros deC I PA, sindicatos, comissões de fábricas eoutros profissionais, a identificar os principaisriscos mecânicos e medidas básicas para pre-venção de acidentes do trabalho com máqui-nas.Com a introdução da robótica e das novastecnologias nas grandes empresas dos paísesindustrializados, os riscos mecânicos vemsendo gradativamente superados e substituí-dos por outros riscos mais diretamente relacio-nados à organização do trabalho. Um grandenúmero de indústrias com utilização de tecnolo-gias e máquinas obsoletas tem sido exportadaspara os países em desenvolvimento. Nos pro-cessos tecnológicos mais avançados, ondeocorre a introdução da robótica, são os traba-lhadores de manutenção os mais expostos aosriscos mecânicos. Estes riscos estão presentesainda em setores de serviço, na indústria dol a ze r, onde a automação tem ainda pequenainfluência, e é nas pequenas empresas e indus-trias mais antigas que permanecem os proble-mas tradicionais de segurança em máquinas.Neste contexto, estes riscos estão ficandomenos visíveis e menos óbvios, reforçando anecessidade de maior atenção e uma melhoridentificação dos mesmos.Para a segurança em máquinas é possíveldescrever risco de acidente como sendo achance de um acidente particular ocorrer emdeterminado período de tempo, associado como grau ou severidade da lesão resultante(RAAFAT, 1989).Infelizmente o termo “acidente” utilizado nanossa língua sugere que este evento ocorre porobra do destino, como algo imprevisível, uma“fatalidade” fora do controle das ações huma-nas. Pior ainda, pois sugere que é um eventoimpossível de ser evitado. Mas sabemos queos acidentes ocorrem devido a uma interaçãode vários fatores que estão presentes noambiente ou na situação de trabalho muitoantes do seu desencadeamento. São, portanto,eventos previsíveis. Uma vez eliminados estesfatores, que dão origem aos acidentes se podeeliminar ou reduzir a ocorrência desses even-tos. São portanto eventos preveníveis.
Os acidentes de trabalhoe a industrialização
No final do século XIX Marx já diagnosti-cava que, nas fábricas que surgem, os traba-lhadores se transformam em um complementovivo de um mecanismo morto. Desde aqueletempo, quando ocorre a Revolução Industrialna Europa, o trabalho na fábrica exaure osnervos ao extremo, suprime o jogo variado dosmúsculos, e confisca toda a atividade livre,física e espiritual do trabalhador. “Amáquina aoinvés de libertar o trabalhador do trabalho, des-poja o trabalho de todo interesse”. Na produçãocapitalista ocorre o fenômeno de subjugação dohomem ao maquinário.1No Brasil, saúde, condições de trabalho eacidentes são preocupações dos trabalhadoresdesde o início do processo de industrialização.Neste período - que tem muita semelhançacom o ocorrido na Europa - verifica-se as péssi-mas condições de trabalho, com jornadas pro-longadas, baixos salários, emprego de criançase alto índice de acidentes do trabalho.Levantamentos efetuados pelo Departa-mento Estadual do Trabalho de S. Paulo2sobre a problemática dos acidentes do trabalho nopaís, indicam que já no início do século XX, a
-5-
1 MARX – Livro 1, “O Capital”2 Boletim do Departamento Estadual do Trabalho, ano VIII, nº 30 , 1919 , citado por FALEIROS(1982)

Activity (125)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Pedro Sousa liked this
Fátima Alves liked this
lacerdamarques64 liked this
Josue Marcelo liked this
vinifalk liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->