Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
80Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANO ENSINO MÉDIO

SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANO ENSINO MÉDIO

Ratings:

3.0

(1)
|Views: 19,027 |Likes:

More info:

Published by: Teresa Cristina Flordecaju on Sep 20, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/30/2013

pdf

text

original

 
SIMULADO DE LÍNGUA PORTUGUESA 3º ANO ENSINO MÉDIOALUNO __________________________________________________________ ____ ESCOLA _________________________________________________________________ 
O Cachorrinho Voador Titico sempre foi um cachorrinho de rabo fino, com um corpo cinza-chumbo e umacapa vermelha nas costas.Costumava subir nas poltronas e, atento ao menino, pulava com latidos alegres: Au-au,au-au! Ficava um som que entra como música na alma, como se tudo fosse apenas abrincadeira dele e do menino.Suspirava-se o ar da casa e vinha um prazer de se ter um cachorrinho amigo. Asmeias rasgadas, os vasos de plantas mexidos era perdoados.Mas por que ele não tirava a capa para dormir...?Os animais da vizinhança perguntavam dos portões fechados: “Ele pensa que vaivoar?” E o menino respondia que cachorro podia sim voar.Então, espalhou-se a notícia de que o cachorrinho subia no vento, nas horas escurasda noite. Uns diziam que o viram perder-se numa sombra confusa de nuvem... Outros juravam que ele desaparecia sem explicação do quintal, da rua, da noite. E logo, logo todospassaram a acreditar. Onde apenas o menino brincava com ele, pois os dois eram figurasinseparáveis e tinham muitas histórias para contar.E de repente, um dia no início do ano, o menino passou sozinho com os pais para aescola. O cachorrinho ficou com seu au-au de gritos frágeis no portão da casa. Ninguémentendeu o porquê daquilo. “Teria o cachorro perdido seus poderes? Viram como o cachorroficou abandonado? Ainda seria o amigo do menino?”Mas o cachorro continuou no portão, quieto, com os olhos na rua, aguardando omenino chegar da escola... Teresa Cristina Cerqueira de Sousa. _____________________________________________________________________________________________  _ 1.No texto, considera-se que o cachorro dormia com a capa(A)para brincar nas poltronas.(B)porque, à noite, usava-a para voar.(C)por ser um cachorro manhoso.(D)porque ficara abandonado.(E)para dormir com o menino. _____________________________________________________________________________________________  _ O ipê-rosaBrincar debaixo de um ipê-rosa é quase impossível! É passear por jardins comvestidos róseos claros, acompanhada de flores onde as pétalas se rindo do frescor do ventocorrem mansas até o chão.Os pássaros, numa algazarra festiva, numa viagem de galho em galho... E umamenina de olhinhos negros – arredondados – num largo sorriso, sentada no capim verderasteiro debaixo do ipê.Ela toda deslumbrada com o movimento das nuvens, salpicando o branco por cima daárvore. O sol, de olho em tudo, passa devagar... Viajando a pé... Realçando as cores do ipê.Então, a cachorrinha late que o sol esquentou. A garotinha olha, olha as flores no alto,com brilhos nos olhos, e com a boneca nas mãos _ Ahn! _ Sobe a calçada da casa e fica navaranda: “Quando o sol se esconde, Pretinha?”A cachorra dócil, ronda a criança, balança o rabo, após, deita o corpo no chão deardósia, assenta a cabeça por cima das patas, sem nada dizer e fica bem quieta.Apenas a menina, com sua boneca, de voz baixa, os olhos no ipê-rosa. E fica ali navaranda, inventando um mundo _ onde flores são fadas, e bonecas são princesas... _ E o solno céu azul caminhando... caminhando...
 
 _____________________________________________________________________________________________  _ 2.A frase “Brincar debaixo de um ipê-rosa é quase impossível!” (l. 1), no texto, tem osentido de(A)desenvolver uma narrativa inverossímil.(B)incitar o leitor a ler o texto.(C)lançar o leitor a um mundo de alegrias.(D)esclarecer que a menina brincava de inventar um mundo quase irreal.(E)apontar uma narrativa que não soube expressar um mundo infantil. _____________________________________________________________________________________________  _ 
O que é escrever bem?Escrever bem é saber usar a palavra certa em determinado caso. É pensar em quem vai ser o leitor do texto e,assim, fazer comunicação.A palavra não precisa ser “difícil” para dar a entender ao leitor que se sabe usar o dicionário. Uma palavracomum pode ter melhor efeito e não isolar o leitor do texto. Digo a meus amigos que não gosto de me sentir “peixefora d’água”, uma palavra complicada pode nos fazer isso.Todavia, a palavra escrita ocupa certo espaço no mundo em que vivemos. Nada então de descuidar da leiturade bons livros – quem lê não se perde nas palavras. Uma pessoa pode conseguir um bom desempenho de escrita sefor um bom leitor.Afinal, os bem sucedidos escritores foram bons leitores. E pensando assim, quem lê bem, a exemplo deles,escreve para seu leitor, sem muito esforço.
 _____________________________________________________________________________________________  _ 3.Pode-se inferir do texto que escrever bem é(A)pensar em primeiro lugar no leitor.(B)saber usar as palavras certas.(C)cuidar do léxico.(D) possuir um bom convívio com a língua.(E)dominar a linguagem. _____________________________________________________________________________________________  _   _____________________________________________________________________________________________  _ 
 
4.O tema do texto é(A) decepção.(B)desilusão.(C)amor.(D)declaração de amor.(E)erotismo. _____________________________________________________________________________________________  _  _____________________________________________________________________________________________  _ 5.A leitura do texto sugere(A)um sentimento de bem com a vida.(B)um entusiasmo pelo trabalho.(C)gratidão por haver luzes no dia.(D)alegria em ver as árvores.(E)interesse de se estender nas areias. _____________________________________________________________________________________________ Era uma vez um vira-lataMuito simplesmente ele parou em frente ao mercado. Durante muitas décadas osossos sem carne eram jogados fora, então o cachorro esperou.Uma porta larga permitia o acesso das pessoas e foi por ela que o magarefe saiusuado e cansado, carregando os ossos.

Activity (80)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Aline Morais liked this
krisjoia liked this
krisjoia liked this
krisjoia liked this
Bianca Estevam liked this
Patrícia Regina liked this
Patrícia Viana liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->