Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
41Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
História Do Brasil - Murilo Mendes - Otimo - Melhor - Excelente

História Do Brasil - Murilo Mendes - Otimo - Melhor - Excelente

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 2,003|Likes:
Published by api-3702965

More info:

Published by: api-3702965 on Oct 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

 
Índicehistória do Brasil - 1º Parte - História do Brasil.....................................................................2história do Brasil - 2º Parte - O Rei do Café........................................................................89história do Brasil - 3º Parte - A República da Espada........................................................224
 
HISTORIA DO BRASILTranscorreram quase quinhentos anos, desde aquele momento em que Cabralresolveu desviar sua esquadra - que seguia ao largo da costa africana emdireção à Índia - e encontrou terras virgens e desconhecidas, até os dias dehoje, quando um congresso constituinte apresentou ao povo e a nação a novaConstituição.É uma longa história, embora seja cuna se a compararmos com a história deoutras nações, que registram acontecimentos em datas anteriores a Cristo. Nesta preparação para o vestibular, vamos apresentar a história do Brasil emquatro livros. No primeiro, começamos com alguns fatos da história dePortugal, a nossa antiga metrópole, para compreendermos melhor os trezentosanos de vida colonial. Naqueles primeiros tempos, Portugal, Espanha, França,Inglaterra e Holanda nomeavam sua política em função de lemas muito simples:mais ouro, mais comércio, mais colônias para explorar. É nesse contexto que oBrasil irá, a partir de 1530, ocupar lugar de destaque na políticamercantilista portuguesa, inicialmente com a cana-de-açúcar e depois com amineração. Embora a economia da colônia fosse totalmente noneada pelosinteresses da metrópole, a vida no Brasil adquire feições próprias: com oscriadores de gado do Norte e do Sul, com os bandeirantes que marcamfronteiras além do Tratado de Tordesilhas, com os negros, transformados emmercadoria-escrava e que criam o primeiro modelo de estado democrático - oQuilombo dos Palmares, e os índios que recuam cada vez mais para o interior diante do poderio do branco colonizador.Em 1822 inicia-se oficialmente o Brasil império, ainda que a data mais precisa devesse ser 1808, com a chegada de D. João VI fugitivo de Napoleão.São mais 80 anos de história. Enquanto as outras nações americanas selibertam do domínio espanhol, nós coroamos um imperador, mas também veneramosaqueles que lutaram nesse período pela república como os mártires de VilaRica, da Conjuração Baiana e da Revolta Pernambucana de 1817. Toda essahistória você verá no segundo livro além das grandes revoltas que abalaram o período regencial e o mais longo período da história brasileira sob o governode um só homem: a era de D. Pedro II. O ano de nossa república, 1889, é omarco inicial do terceiro livro desta série.Nele estudaremos a República Velha, a república das oligarquias, dossenhores do café, do coronelismo, do voto de cabresto, da política dosgovernadores. Mas também é a república das greves operárias de 1917 e 1919,da revolta da Chibata, do levante do Forte de Copacabana, do movimentotenentista, da coluna Prestes e da Revolução de 1930.E assim chegamos ao quarto livro e ao período mais conturbado de nossahistória, de 1930 até os dias atuais. São mais 50 anos que, a grosso modo, podem ser divididos em quatro períodos: a era Vargas, os governos populistas,a ditadura militar e a chamada Nova República.
 
Como a proposta básica deste curso é compreender as peculiaridades docapitalismo num país de industrialização tardia, todos os grandes períodosserão analisados tendo em vista os aspectos econômicos, sociais e culturais,além dos políticos.E ao final de cada capítulo incluímos alguns exemplos típicos de exercíciosque costumam aparecer em vestibulares, com respectivas respostas ecomentários.Cada livro é acompanhado de um caderno com resumos, quadros de referência,cronologia e exercícios de vestibular. Entre os exercícios você encontrarátanto questões de múltipla escolha como outras analítico-expositivas.Feudalismo - apogeu e queda Divisão do período feudal e suas característicasEra crença comum na Idade Média que o mundo acabaria no ano 1000. Sabemosque isso não ocorreu. Na verdade, essa época assinalou o ressurgimento docomércio e o início das transformações gerais pelas quais a Europa passou aolongo do período que se iniciou no século XII e se estendeu até o século XVI(época do descobrimento do Brasil).Para compreendermos mais adequadamente a Idade Média, lembremos que ela édividida em Alta Idade Média e Baixa Idade Médía. A Alta Idade Média -séculos V ao X - caracterizou-se pela formação da sociedade medieval, quemarcou a transição do escravismo ao feudalismo. A Baixa Idade Média - séculosX ao XV - caracterizou-se pela consolidação do feudalismo. O sistema feudalconheceu seu apogeu entre os séculos XII e XIII, quando teve início uma crisegeral e profundamente transformadora que conduziria ao seu declínio, nosséculos XIV e XVFeudo era o local de produção dos bens necessários à sobrevivência da população.Era constituído por castelos e vilas - as unidades de produçãoessencialmente agrícolas. A economia feudal baseava-se na agricultura desubsistência, isto é, todos os bens produzidos destinavam-se à manutenção doshabitantes dos feudos (senhores dos castelos e servos produtores agrários). Naturalmente, numa economia desse tipo, voltada para a terra, o poder econômico estava nas mãos dos grandes senhores feudais.A propriedade da terra constituía a base do poder dos senhores feudais, quealém disso detinham o poder militar, judicial e político, e se reservavam odireito exclusivo de cunhar moedas.O grande proprietário de terras, chamado suserano, doava feudos a outrosenhor de terras, que se tornava vassalo.

Activity (41)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Leonardo Morais liked this
P34g4 liked this
Jose Batista liked this
manoeljg liked this
rfbzi liked this
LisaPatz liked this
camposantunes liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->