Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
81Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Cap-12 Fraturas Luxacoes

Cap-12 Fraturas Luxacoes

Ratings:

4.83

(6)
|Views: 24,012 |Likes:
Published by api-3704607

More info:

Published by: api-3704607 on Oct 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

 
Manual do Atendimento Pré-Hospitalar – SIATE /CBPR 
CAPÍTULO 12
FRATURAS E LUXAÇÕES1. Fraturas
Fratura é a lesão óssea de origem traumáti-ca, produzida por trauma direto ou indireto. O con- junto de fragmentos ósseos produzidos pela fraturae os tecidos lesados em torno da lesão é denomina-do foco de fratura. O osso é o único tecido do nossoorganismo que cicatriza com o mesmo tecido anteri-or à lesão. O processo de cicatrização óssea deno-mina-se consolidação.O risco de surgir uma fratura óssea nas mu-lheres é maior devido a osteoporose, são fraturasresultantes de quedas de baixo impacto, portantonão resultantes de acidentes graves. A massa ós-sea, principalmente das mulheres, começa a dimi-nuir depois da menopausa por inflncia doshormônios.Os homens também podem sofrer de osteoporose, depois dos 65 anos de idade,mas a relação com os hormônios não é tão evidente. A qualidade de vida das pessoasidosas, que sofrem fraturas, geralmente, pioramuito, pois, a cicatrizarão é mais lenta e a recu-peração muscular é mais difícil.Uma das fraturas mais grave no idoso éa do fêmur e para sua imobilização não está in-dicado a utilização aparelho de tração de fê-mur, assim como em fraturas expostas.
1.1. Classificação1.1.1. Quanto ao traço de fratura
Incompleta: ocorre a lesão óssea, masnão rompe a continuidade óssea; tipo de ocor-rência comum em crianças.Completa: os fragmentos ósseos perdema continuidade, ficando desviados ou não. O- 167 -
 
Fig 12.1 –
Exemplo de fratura.
Fig 12.2 –
Tipos de fratura
 
Fraturas e Luxações
manuseio destas fraturas deve ser cuidadoso e técnico, para evitar lesão nos tecidos vizi-nhos
1.1.2. Quanto à exposição do foco de fratura
Fechada: o foco de fratura está protegido por partes moles e com pele íntegra.Aberta ou exposta: o foco de fraturaestá em contato com o meio externo, com oosso exteriorizado ou não. A pele, nestes ca-sos, está sempre lesada. O grau de lesão des-sas partes moles permite classificar as fraturasexpostas. A lesão da pele pode ocorrer pelotrauma, pelos fragmentos ósseos e pelo manu-seio intempestivo da vítima, tornando uma fra-tura fechada em aberta.Devido à comunicação do foco de fratu-ra com o meio externo, as fraturas expostassão sempre contaminadas, variando apenas ograu de contaminação, podendo causar osteo-mielite (infecção óssea), que retarda ou impe-de a consolidação óssea; em casos extremos,causa a perda do membro lesado. Em casosmais graves, a infecção dissemina-se pelo or-ganismo (septicemia) e, em pacientes debilita-dos, leva a óbito. A fratura exposta é uma situ-ação de urgência se não for acompanhada dechoque.
1.1.3. Quanto à presença de lesões associadas1.1.3.1. simples:
A fratura é uma lesão única, sem evidência de lesão associada.
1.1.3.2 complicada
Está acompanhada de lesões associadas. O trauma causador de fratura exposta éde alta energia e velocidade, podendo ocorrer lesões associadas locais, como as muscu-lares, tendinosas, nervosas, vasculares, bem como lesões sistêmicas associadas (traumaabdominal, torácico e craniano).- 168 -
Fig 12.3 –
Fratura exposta
Fig 12.4 –
Fratura fechada
 
Manual do Atendimento Pré-Hospitalar – SIATE /CBPR 
1.2. Sintomas e Sinais1.2.1. Dor 
Devido ao trauma localizado, sempre haverá dor no local da fratura, que varia mui-to de um paciente para outro, sendo aliviada por manobras de tração, alinhamento e imo-bilização.
1.2.2. Aumento de volume
Devido ao trauma, ocorre uma lesão dos tecidos vizinhos à fratura, produzindo san-gramento local, detectado como um aumento de volume, produzindo, com o passar dotempo, edema localizado. Em algumas fraturas, de fêmur e pélvis, por exemplo, o sangra-mento pode causar choque hipovolêmico.
1.2.3. Deformidade
O segmento fraturado apresenta angulações, rotações e encurtamentos evidentesà simples observação da vítima, comparando-se o membro lesado com o não afetado.
1.2.4. Impotência funcional
A fratura impede ou dificulta os movimentos, devido à dor e à alteração músculo-esquelética, no que diz respeito à anatomia.
1.2.5. Crepitação óssea
Sensação audível e palpável causada pelo atrito entre os fragmentos ósseos. Nãodeve ser reproduzida intencionalmente, porque provoca dor e aumenta a lesão entre ostecidos vizinhos à fratura.
1.3. Atendimento1.3.1. Não movimente vítima com fraturas antes de imobilizá-Ia adequadamen-te.
Se há risco real de incêndio, desabamento ou explosão, arraste-a por meio do mai-or eixo do corpo. Se há necessidade de posicionar a vítima para instituir RCP, proceda demodo a manter em alinhamento os segmentos fraturados.
1.3.2. Nas fraturas expostas
Controle o sangramento e proteja o ferimento, ocluindo-o com curativos estéreis ebandagens.- 169 -

Activity (81)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
fernando-moreira liked this
Aline Falco liked this
Afsha Tahibo liked this
ro22_gato2009 liked this
Maria Zeínha liked this
Fábio Fonseca liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->