Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
18Activity

Table Of Contents

0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Ciência e Sustentabilidade: dois estudos de caso de duas professoras de ciências Físicas e Naturais do 3º ciclo do Ensino Básico

Ciência e Sustentabilidade: dois estudos de caso de duas professoras de ciências Físicas e Naturais do 3º ciclo do Ensino Básico

Ratings: (0)|Views: 3,281 |Likes:
Published by Orlando Figueiredo
Muitos afirmam que a crise ambiental é sobretudo uma crise de valores e menos uma crise tecnológica ou económica. É uma crise devi- da à valorização excessiva do lucro monetário, esquecendo a protecção da vida, os direitos humanos e a preservação dos ecossistemas e do mundo natural. O grande problema é que vivemos num mundo finito e com recursos limitados onde o crescimento económico actual é mantido à custa da degradação ambiental e social.
Apesar do desenvolvimento científico associado à mercantilização da ciência estar na base desta crise global, é possível e necessário inver- ter esta situação. A ciência, em colaboração com outras áreas do conhe- cimento como a religião, a arte e a filosofia, deve estar na linha da fren- te da mudança de paradigma que é necessário alcançar. Nesta perspec- tiva, a escola, no geral, e a educação em ciências, em particular, pode- rão ter um papel protagonista. No entanto, se precisamos de uma mudança de paradigma na forma como vemos e interagimos com o mundo, também a escola tem de mudar. A actuação e organização da escola dos nossos dias são inspiradas nos modelos do século XIX. As práticas e metodologias pedagógicas de alguns professores, frequente- mente de inspiração behaviourista, de exposição seguida da resolução de exercícios, são inadequadas na resposta às necessidades actuais da sociedade.
Este trabalho inclui-se, num projecto mais abrangente, Interacção e Conhecimento, em que um dos objectivos principais é a promoção de uma educação inclusiva, onde as diversidades culturais sejam encara- das como um elemento enriquecedor do processo de ensino- aprendizagem e não como um obstáculo.
Este projecto de dissertação de mestrado é constituído por dois estudos de caso de duas professoras de ciências (uma de ciência natu-
xi
rais e outra de ciências físico-químicas) do 3o ciclo do ensino básico de uma escola básica situada na região noroeste da Grande Lisboa. O objectivo principal é compreender as concepções das duas professoras participantes, acerca da natureza da natureza da ciência, do ensino- aprendizagem das ciências, do estado do mundo, da educação para a sustentabilidade, como estes conceitos se relacionam entre si e como se concretizam em ambiente de sala de aula.
O quadro teórico é sustentado por uma perspectiva ecológica dos humanos na Terra, pelas ideias do movimento ecologia profunda, pela Teoria de Gaia de Lovelock e por uma perspectiva da ciência inspirada num cosmopolitismo epistémico, assumindo uma atitude de aprender com a natureza em vez de aprender acerca da natureza, bem como por uma abordagem sociocosntrutivista do processo de ensino aprendiza- gem.
Os instrumentos de recolha de dados utilizados foram: observa- ção não-participante, entrevistas às professoras participantes, reunião do investigador com as participantes para análise e discussão dos dados recolhidos e, como forma de triangulação dos dados, foram apli- cados questionários aos alunos dos 8o e 9o ano da referida escola.
A análise dos dados ilumina que as concepções das professoras acerca da ciência estão próximas das perspectivas empiro-positivistas, concepções atomizadas e estanques das questões relacionadas com a sustentabilidade e, apesar de reconhecerem a importância da adopção de práticas de sala de aula de inspiração socioconstructivista, não nos apercebemos de indícios da sua concretização nas metodologias de sala de aula adoptadas durante a observação efectuada.
Temos esperança de que este trabalho constitua um contributo, ainda que inegavelmente modesto, para a tão desejada mudança de paradigma. Um contributo que promova o desenvolvimento de uma consciência ecológica que ajude a reconhecer que somos parte integran- te da Gaia viva e que necessitamos de a manter sustentada para a nos- sa própria sobrevivência.
Muitos afirmam que a crise ambiental é sobretudo uma crise de valores e menos uma crise tecnológica ou económica. É uma crise devi- da à valorização excessiva do lucro monetário, esquecendo a protecção da vida, os direitos humanos e a preservação dos ecossistemas e do mundo natural. O grande problema é que vivemos num mundo finito e com recursos limitados onde o crescimento económico actual é mantido à custa da degradação ambiental e social.
Apesar do desenvolvimento científico associado à mercantilização da ciência estar na base desta crise global, é possível e necessário inver- ter esta situação. A ciência, em colaboração com outras áreas do conhe- cimento como a religião, a arte e a filosofia, deve estar na linha da fren- te da mudança de paradigma que é necessário alcançar. Nesta perspec- tiva, a escola, no geral, e a educação em ciências, em particular, pode- rão ter um papel protagonista. No entanto, se precisamos de uma mudança de paradigma na forma como vemos e interagimos com o mundo, também a escola tem de mudar. A actuação e organização da escola dos nossos dias são inspiradas nos modelos do século XIX. As práticas e metodologias pedagógicas de alguns professores, frequente- mente de inspiração behaviourista, de exposição seguida da resolução de exercícios, são inadequadas na resposta às necessidades actuais da sociedade.
Este trabalho inclui-se, num projecto mais abrangente, Interacção e Conhecimento, em que um dos objectivos principais é a promoção de uma educação inclusiva, onde as diversidades culturais sejam encara- das como um elemento enriquecedor do processo de ensino- aprendizagem e não como um obstáculo.
Este projecto de dissertação de mestrado é constituído por dois estudos de caso de duas professoras de ciências (uma de ciência natu-
xi
rais e outra de ciências físico-químicas) do 3o ciclo do ensino básico de uma escola básica situada na região noroeste da Grande Lisboa. O objectivo principal é compreender as concepções das duas professoras participantes, acerca da natureza da natureza da ciência, do ensino- aprendizagem das ciências, do estado do mundo, da educação para a sustentabilidade, como estes conceitos se relacionam entre si e como se concretizam em ambiente de sala de aula.
O quadro teórico é sustentado por uma perspectiva ecológica dos humanos na Terra, pelas ideias do movimento ecologia profunda, pela Teoria de Gaia de Lovelock e por uma perspectiva da ciência inspirada num cosmopolitismo epistémico, assumindo uma atitude de aprender com a natureza em vez de aprender acerca da natureza, bem como por uma abordagem sociocosntrutivista do processo de ensino aprendiza- gem.
Os instrumentos de recolha de dados utilizados foram: observa- ção não-participante, entrevistas às professoras participantes, reunião do investigador com as participantes para análise e discussão dos dados recolhidos e, como forma de triangulação dos dados, foram apli- cados questionários aos alunos dos 8o e 9o ano da referida escola.
A análise dos dados ilumina que as concepções das professoras acerca da ciência estão próximas das perspectivas empiro-positivistas, concepções atomizadas e estanques das questões relacionadas com a sustentabilidade e, apesar de reconhecerem a importância da adopção de práticas de sala de aula de inspiração socioconstructivista, não nos apercebemos de indícios da sua concretização nas metodologias de sala de aula adoptadas durante a observação efectuada.
Temos esperança de que este trabalho constitua um contributo, ainda que inegavelmente modesto, para a tão desejada mudança de paradigma. Um contributo que promova o desenvolvimento de uma consciência ecológica que ajude a reconhecer que somos parte integran- te da Gaia viva e que necessitamos de a manter sustentada para a nos- sa própria sobrevivência.

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: Orlando Figueiredo on Sep 22, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

05/27/2013

pdf

 
UNIVERSIDADE DE LISBOA
FACULDADE DE CIÊNCIASDEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃODOIS ESTUDOS DE CASO DE PROFESSORASDE CIÊNCIAS FÍSICAS E NATURAIS DO3º CICLO DO ENSINO BÁSICOORLANDO JOSÉ MARTINS GARGANTA FIGUEIREDOMESTRADO EM EDUCAÇÃOESPECIALIDADE: DIDÁCTICA DAS CIÊNCIAS2005
 
 
 
 

Activity (18)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Ana Pires liked this
JoJoLima liked this
Susana Gomes liked this
Taay Aguiar liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->