Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
74Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Interpretação de Textos

Interpretação de Textos

Ratings:

4.67

(3)
|Views: 7,805 |Likes:
Published by api-3714846

More info:

Published by: api-3714846 on Oct 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
Português para concursos
Interpretação de TextosCRASE
 
Português para concursosInterpretação de textos
2006
TEXTO - Racismo, discriminação, preconceito...Colocando os pingos nos “is”Maria Aparecida da Silva
Recentemente assisti ao programa esportivo Cartão Verde,da TV Cultura, no qual se discutia, de maneira tímida, adiscriminação racial que um jogador branco do Palmeiras(Paulo Nunes) teria praticado contra dois jogadores negros,Rincón (Corinthians) e Wagner (São Paulo), em momentosdistintos.Havia controvérsias quanto à veracidade dos fatos, quantoà sinceridade dos protagonistas, quanto à oportunidade ouoportunismo das denúncias. Mas o que de fato despertouminha atenção foi a relativização do racismo presente nofutebol brasileiro. Os cronistas utilizavam a todo tempo aexpressão
 preconceito
, quando as situões em fococonstituíam, na verdade, práticas de discriminação racial.Depois de feita essa constatação, procurei explicar paramim mesma porque existe tanta confusão em torno daspalavras
 preconceito, discriminação racial
e
racismo
. Épreciso entender exatamente o significado de cada umadessas expressões.
Estabelecendo diferenças
O
 preconceito
é basicamente um sentimento negativo (énecessário que haja alguma possibilidade de comparação),um estado de espírito negativamente determinado comrelação a um grupo ou pessoa. Ele é fruto da ignorância,de opiniões inexatas e de estereótipos. Os preconceitossão muito genéricos e disseminados. Em todas as épocas eem todo o mundo, os grupos humanos alimentarampreconceitos uns em relação aos outros. Diariamente,enfrentamos inúmeros preconceitos. Oracial é um deles.A discriminação é a materialização dos preconceitos. Sãoas atitudes práticas que dão corpo e ação à disposiçãopsicológica dos preconceitos. No caso espefico dadiscriminão racial são as atitudes de vetar, impedir,dificultar, preterir pessoas (predominantemente negras, nocaso brasileiro) em seu processo de desenvolvimentopleno como seres humanos.O racismo. Ah, o racismo... tão presente em nossas vidas,nas instituições, na cultura e nas relações pessoais e tãoausente do rol de preocupações da intelectualidadebrasileira e dos veículos formadores de opino. Adificuldade de defini-lo – e assumir sua existência entrenós – vem do fato de o racismo constituir-se numa práticasocial negativa, cruel, humanamente repreensível, com aqual, ningm, em consciência (afora os racistasdeclarados), deseja se identificar.
Revista Raça Brasil. São Paulo: Símbolo, ano 4, n.39, nov.1999, p. 51.
01 -
A expressão “colocando os pingos nos “is”, queserve de subtítulo ao texto, tem o valor equivalentea:(A) reagindo contra algo ofensivo;(B) dizendo a verdade;(C) esclarecendo uma dúvida;(D) argumentando contrariamente a algo;(E) examinando melhor a questão.
02 -
“Discriminãoe “descriminãooparônimos; a alternativa em que se trocou a formadestacada pelo seu parônimo ou homônimo é:(A) o afastamento do jogador racista é iminente;(B) a injustiça do ato foi flagrante;(C) os negros sofrem discriminação, na Europa, porserem emigrantes;(D) o jogador racista teve sua matrícula cassada;(E) o jogador assistiu a uma sessão espírita.
03 -
O objeto maior do artigo é:(A) distinguir termos que se confundem;(B) combater o racismo;(C) criticar a hipocrisia social;(D) provocar humor;(E) condenar a discriminação no futebol.
04 -
A autora o afirma com seguraa, noprimeiro pagrafo, que o jogador Paulo Nunescometeu um ato discriminatório; o meio lingüísticoempregado para relativizar essa afirmação é:(A) a adjetivação de “tímida”, dada à discussão;(B) o emprego do futuro do pretérito composto “teriapraticado”;(C) o discurso indireto;(D) a inversão dos termos da frase;(E) a utilização dos parênteses.
05 -
“Havia controvérsias quanto à veracidade dosfatos”; a forma abaixo que ALTERA o sentido originaldesse segmento do texto é:(A) quanto à veracidade dos fatos, haviacontrovérsias;(B) em relação à veracidade dos fatos, existiamcontrovérsias;(C) no que diz respeito à veracidade dos fatos, haviacontrovérsias;(D) afora a veracidade dos fatos, haviacontrovérsias;(E) quanto à veracidade dos fatos, controvérsiashavia.
06 -
Segundo o que se pode depreender do textolido, a alternativa que mostra preconceito e nãodiscriminação é:(A) os negros não são tão inteligentes quanto osbrancos;(B) os negros não podem viajar na primeira classe;(C) não se servem negros naquele restaurante;(D) os negros não podem chegar aos altos postos dopoder;(E) os negros só podem estudar em escolas públicas.
07 -
Se trocarmos os substantivos e adjetivos abaixode posição, a alternativa em que há umamodificação de forma e sentido é:(A) jogadores negros;(B) momentos distintos;(C) sentimento negativo;(D) opiniões inexatas;(E) disposição psicológica.
08 -
“um jogador branco do Palmeiras”; a elipse dotermo “time” faz com que se juntem palavras degêneros e números diferentes;o mesmo ocorre em:
2Prof. Ivanildo e Ivana Cajazeira
 
Português para concursos
(A) o celular;(B) o microondas;(C) o caixa;(D) o despertador;(E) o Vasco da Gama.
09 -
“em todas as épocas e em todo o mundo”; aalternativa em que houve troca indevida entre asexpressões “todo mundo” e “todo o mundo” é:(A) o jogador percorreu todo o mundo;(B) o atleta falou com todo mundo para pedirdesculpas;(C) ele conhecia todo o mundo na festa;(D) via todo o mundo em seus filmes;(E) todo o mundo está poluído.
10 -
“O racismo. Ah, o racismo...”; a inclusão dainterjeição “ah” mostra:(A) espanto;(B) alegria;(C) arrependimento;(D) tristeza;(E) surpresa.
11 -
NÃO há críticas no texto:(A) aos órgãos formadores de opinião;(B) à intelectualidade brasileira;(C) aos racistas declarados;(D) aos cronistas do programa aludido;(E) à inconsciência do Governo.
12 -
O nome da revista de onde foi retirado o texto é
Raça Brasil
; esse nome revela:(A) uma atitude preconceituosa da revista;(B) um estereótipo de que os brasileiros são negros;(C) uma adequação com o tema tratado: adiscriminação;(D) uma preocupação em educar os negros;(E) um incentivo a que os brasileiros se unam.
13 -
“o racismo (...) tão ausente do rol depreocupações da intelectualidade brasileira”; nessesegmento, a expressão “intelectualidade brasileira”só NÃO deve referir-se a(à):(A) intelectuais brasileiros alienados;(B) intelectuais brancos, em sua maioria;(C) intelectualidade tradicional, originária da classedominante;(D) todos os intelectuais das regiões maisdesenvolvidas do país;(E) intelectuais sem preocupações político-sociais.Gabarito
Questão01020304050607080910111213Gabarito C C A B D A A B C D E C D
GramáticaCrase
 A palavra crase provém do grego (krâsis) e significamistura.Na língua portuguesa, crase é fusão de duas vogaisidênticas, mas essa denominação visa a especificarprincipalmente a contração ou fusão da preposição acom os artigos definidos femininos (a, as) ou com ospronomes demonstrativos a, as, aquele, aquela,aquilo.
PLANO BÁSICOA + A = ÀA + AQUELA= ÀQUELAA + AQUELE = ÀQUELEA + AQUILO= ÀQUILO
Para saber se ocorre ou não a crase, basta seguirtrês regras básicas:1)ocorre crase diante de palavras femininas,portanto nunca use o acento grave indicativo decrase diante de palavras que não sejamfemininas.Ex. O sol estava a pino. Sem crase, pois pino não épalavra feminina.Ela recorreu a mim. Sem crase, pois mim não épalavra feminina.Estou disposto a ajudar você. Sem crase, pois ajudarnão é palavra feminina.2)Se a preposão a vier de um verbo que indicadestino (ir, vir, voltar, chegar, cair, comparecer,dirigir-se...), troque este verbo outro que indiqueprocedência (vir, voltar, chegar...); se, diante doque indicar procedência, surgir da, diante do queindicar destino, ocorrerá crase; caso contrário,não ocorrerá crase.Ex. Vou a Porto Alegre. Sem crase, pois Venho dePorto Alegre.Vou à Bahia. Com crase, pois Venho da Bahia.Obs.: Não se esqueça do que foi estudado em Artigo.3)Se o houver verbo indicando movimento,troca-se a palavra feminina por outra masculina;se, diante da masculina, surgir ao, diante dafeminina, ocorrecrase; caso contrário, nãoocorrerá crase.Ex. Assisti à peça. Com crase, pois Assisti ao filme.Paguei à cabeleireira. Com crase, pois Paguei aocabeleireiro.Respeito as regras. Sem crase, pois Respeito osregulamentos.
Casos especiais:
1)
Diante das palavras moda e maneira, dasexpressões adverbiais à moda de e à maneirade, mesmo que as palavras moda e maneirafiquem subentendidas, ocorre crase.Ex. Fizemos um churrasco à gaúcha. Comemos bifeà milanesa, frango à passarinho e espaguete àbolonhesa. Joãozinho usa cabelos à Príncipe Valente.
2)
Nos adjuntos adverbiais de modo, de lugar e detempo femininos, ocorre crase.Ex. à tarde, à noite, às pressas, às escondidas, àsescuras, às tontas, à direita, à esquerda, à vontade,à revelia ...
3)
Nas locuções prepositivas e conjuntivasfemininas ocorre crase.Ex. à maneira de, à moda de, às custas de, àprocura de, à espera de, à medida que, à proporçãoque...
4)
Diante da palavra distância, só ocorrerá crase,se houver a formação de locução prepositiva, ou
3Prof. Ivanildo e Ivana Cajazeira

Activity (74)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Maria Lourdes Bauli added this note
Muito bom este material, vou aproveitar p/meus alunos.
Tamires Maria liked this
Ícaro da Mata liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->