Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
11Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A Origem Da Umbanda

A Origem Da Umbanda

Ratings: (0)|Views: 4,931|Likes:
Published by api-3719905

More info:

Published by: api-3719905 on Oct 14, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
UMBANDA - ORIGEMA ORIGEM DA UMBANDA
Por: Eder Longas Garcia, Lucília Guimarães e Sociedade Espiritualista Mata Virgem
"Se é preciso que eu tenha um nome, digam que eu sou o CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS, pois para mim não existirão caminhos fechados.” 
Caboclo das Sete Encruzilhadas – 15/11/1908
A primeira manifestação de Umbanda, com registro histórico é a do "Caboclo das SeteEncruzilhadas" em seu médium Zélio Fernandino de Moraes, dia 15 de Novembro de 1.908.Assim como a "Tenda Nossa Senhora da Piedade” fundada por Zélio é o primeiro templo deUmbanda registrado no Brasil. Por isso os fatos que ali aconteceram são de fundamentalimportância a todos s, como fatos que marcam profundamente o nascimento daUmbanda no plano material. Zélio Fernandino de Moraes nasceu no dia 10 de Abril de 1891,no distrito de Neves, munipio de o Goalo - Rio de Janeiro. Filho de JoaquimFernandino Costa (oficial da Marinha) e Leonor de Moraes. Em 1908, aos 17 anos, Zéliohavia concluído o curso propedêutico (ensino médio) e preparava-se para ingressar naescola Naval, a exemplo de seu pai, foi quando fatos estranhos começaram a acontecer emsua vida. Em alguns momentos Zélio era visto falando em tom manso, com a postura de umvelho, em sotaque diferente de sua região, dizendo coisas aparentemente desconexas,chamando a atenção da família, preocupada com a situação mental do menino que sepreparava para seguir carreira militar, tornando as manifestações cada vez mais freqüentes.Assim Zélio foi encaminhado a seu Tio, Dr. Epaminondas de Moraes, médico psiquiatra ediretor do Hospício da Vargem Grande. Após vários dias de observação, não encontrandoseus sintomas em nenhuma literatura médica, sugeriu a família que o encaminhasse a umpadre, para que fosse feito um ritual de exorcismo, pois desconfiava que seu sobrinhoestivesse endemoniado. Foi chamado um outro parente, tio de Zélio, padre católico querealizou o dito exorcismo para livrá-lo da possível presença do demônio e saná-lo dosataques, não resolvendo o problema. Algum tempo depois Zélio foi tomado por umaparalisia parcial, a qual os médicos não conseguiam entender sua origem.Um belo dia Zélio levantou-se de seu leito e disse: "amanhã estarei curado" e no diaseguinte começou a andar como se nada tivesse acontecido. Nenhum médico soube explicarcomo se deu a sua recuperação. Sua mãe, D. Leonor de Moraes, levou Zélio a umacurandeira chamada D. Cândida, figura conhecida na região onde morava e que incorporavao espírito de um preto velho chamado Tio Antônio. Tio Antônio recebeu o rapaz e fazendo assuas rezas lhe disse que possuía o fenômeno da mediunidade e deveria trabalhar com acaridade.Um amigo sugeriu encaminhá-lo a recém fundada Federação Espírita de Niterói,município vizinho a São Gonçalo onde residia a Família Moraes. A Federação era entãopresidida pelo Sr.José de Sousa, chefe de um departamento da marinha. Zélio Fernandinode Moraes então foi conduzido a esta Federação no dia 15 de Novembro de 1908, napresença do Sr.José de Sousa, foi convidado a sentar-se à mesa logo em seguida levantou-se, contrariando as normas do culto estabelecido pela instituição, afirmando que ali faltavauma flor. Foi até o jardim apanhou uma rosa branca e colocou-a no centro da mesa onde serealizava o trabalho. Tendo-se iniciado uma estranha confusão no local ele incorporou umespírito e simultaneamente diversos médiuns presentes apresentaram incorporações decaboclos e pretos velhos. Sr.José de Sousa, que possuía também a clarividência, verificou apresença de um espírito manifestado através de Zélio e passou ao dialogo a seguir:O espírito: Por que repelem a presença dos citados espíritos, se nem sequer se dignaram aouvir suas mensagens. Seria por causa de suas origens sociais e da cor?Sr.José: Porque o iro fala nestes termos, pretendendo que a direção aceite amanifestação de espíritos que, pelo grau de cultura que tiveram quando encarnados, sãoclaramente atrasados?O espírito: Se julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo dizer que amanhãestarei na casa deste aparelho, para dar início a um culto em que estes pretos e índiospoderão dar sua mensagem e, assim, cumprir a missão que o plano espiritual lhes confiou.
 
Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entretodos os irmãos, encarnados e desencarnados.Sr.José: Quem é você que ocupa o corpo deste jovem?O espírito: Eu? Eu sou apenas um caboclo brasileiro.Sr.José: Você se identifica como caboclo, mas vejo em você restos de vestes clericais.O espírito: O que você vê em mim, são restos de uma existência anterior. Fui padre, meunome era Gabriel Malagrida, acusado de bruxaria fui sacrificado na fogueira da inquisiçãopor haver previsto o terremoto que destruiu Lisboa em 1755. Mas em minha últimaexistência física Deus concedeu-me o privilégio de nascer como um caboclo brasileiro.Sr.José: E qual é seu nome?O espírito: Se é preciso que eu tenha um nome, digam que eu sou o CABOCLO DAS SETEENCRUZILHADAS, pois para mim não existirão caminhos fechados. Venho trazer a Umbandauma religião que harmonizará as famílias e que há de perdurar até o final dos séculos. E nodesenrolar da conversa Sr.José pergunta ainda se já não existem religiões suficientes,fazendo inclusive menção ao espiritismo.O espírito: Deus, em sua infinita bondade, estabeleceu na morte, o grande niveladoruniversal, rico ou pobre, poderoso ou humilde, todos se tornam iguais na morte, mas vocêshomens preconceituosos, não contentes em estabelecer diferenças entre os vivos, procuramlevar estas mesmas diferenças até mesmo além da barreira da morte. Por que não podemnos visitar estes humildes trabalhadores do espaço, se apesar de não haverem sido pessoasimportantes na Terra, também trazem importantes mensagens do além? Porque o não aoscaboclos e pretos-velhos? Acaso não foram eles também filhos do mesmo Deus? Amanhã,na casa onde meu aparelho mora, haverá uma mesa posta a toda e qualquer entidade quequeira ou precise se manifestar, independente daquilo que haja sido em vida, todos serãoouvidos, nós aprenderemos com aqueles espíritos que souberem mais e ensinaremos comaqueles que souberem menos e a nenhum viraremos as costas a nenhum diremos não, poisesta é a vontade do Pai.Sr.José: E que nome darão a esta Igreja?O espírito: Tenda Nossa Senhora da Piedade, pois da mesma forma que Maria ampara nosbraços o filho querido, também serão amparados os que se socorrerem em nossa Tenda.SrJosé: Julga o irmão que alguém irá assistir a seu culto?O espírito: Colocarei uma condessa em cada colina que atuará como porta-voz, anunciandoo culto que amanhã iniciarei.No dia seguinte, na Rua Floriano Peixoto, 30 – Neves – São Gonçalo – RJ, próximo das20:00 horas, estavam presentes membros da federação espírita, parentes, amigos, vizinhose uma multidão de desconhecidos e curiosos. Pontualmente as 20:00 horas o Caboclo dasSete Encruzilhadas incorporou e com as palavras abaixo iniciou seu culto: “Vim para fundara Umbanda no Brasil, aqui inicia-se um novo culto em que os espíritos de pretos velhosafricanos e os índios nativos de nossa terra, poderão trabalhar em benefícios dos seusirmãos encarnados, qualquer que seja a cor, raça, credo ou posição social. A pratica dacaridade no sentido do amor fraterno, será a característica principal deste culto” Apóstrabalhar fazendo previsões, cura a um paralítico, passe e doutrina e responder em latim ealemão a perguntas de sacerdotes presentes, informou que devia se retirar pois outraentidade precisava se manifestar. Após a “subida” do Caboclo incorporou uma entidadereconhecida como “preto-velho”, saindo da mesa se dirigiu a um canto da sala ondepermaneceu agachado. Sendo questionado o porquê de não ficar na mesa respondeu: “_Nego num senta não meu sinhô, nego fica aqui mesmo. Isso é coisa de sinhô branco e negodeve arrespeitá”. Após insistência ainda completou: “_ Num carece preocupa não. Nego ficano toco que é lugar de nego” E assim continuou dizendo outras coisas mostrando asimplicidade, humildade e mansidão daquele que trazendo o estereótipo do preto-velho sefez identificar como Pai Antônio. Logo cativou a todos com seu jeito, ainda lhe perguntaramse ele não aceitava nenhum agrado, ao que respondeu:“_ Minha caximba, nego qué o pitoque deixou no toco. Manda mureque busca”. Surgindo então o primeiro ponto de Umbanda.Todos ficaram perplexos, estavam presenciando a solicitação do primeiro elemento material
 
de trabalho dentro da Umbanda. Na semana seguinte todos trouxeram cachimbos quesobraram diante da necessidade de apenas um para Pai Antônio. Assim o cachimbo foiinstituído na linha de pretos-velhos, sendo também ele a primeira entidade a pedir umaguia (colar) de trabalho; até hoje usadas pelos membros da Tenda e carinhosamentechamada de "Guia de Pai Antonio".O pai de Zélio freqüentemente era abordado por pessoas que queriam saber como eleaceitava tudo isso que vinha acontecendo em sua residência, sua resposta era sempre amesma em tom de brincadeira respondia que preferia um filho médium ao lugar de um filholouco. No outro dia formou-se verdadeira romaria em frente a casa da família Moraes.Cegos, paralíticos e médiuns que eram dados como loucos foram curados. Após algumtempo manifestou-se um esrito com o nome de Orixá Ma, este responsável pordesmanchar trabalhos de baixa magia, espírito que, quando em demanda era agitado esábio destruindo as energias maléficas dos que lhe procuravam. Dez anos depois, em 1918,o Caboclo das Sete Encruzilhadas recebendo ordens do astral fundou sete tendas para apropagação da Umbanda, sendo elas as seguintes: Tenda Espírita Nossa Senhora da Guiade Oxóssi;Tenda Espírita Nossa Senhora da Conceição;Tenda Espírita Santa Bárbara;TendaEspírita São Pedro;Tenda Espírita Oxalá;Tenda Espírita São Jorge;Tenda Espírita SãoJerônimo.As sete linhas que foram ditadas para a formação da Umbanda e utilizadas naTenda Espírita Nossa Senhora da Piedade até hoje foram: Oxalá, Iemanjá, Ogum, Iansã,Xangô, Oxossi e Exu.Foi um trabalho árduo e incessante para o esclarecimento, difusão esedimentação da religião de Umbanda. Enquanto Zélio esteve encarnado foram fundadasmais de 10.000 tendas. Zélio nunca usou como profissão a mediunidade, sempre trabalhoupara sustentar sua família e muitas vezes manter os templos que o Caboclo fundou, alémdas pessoas que se hospedavam em sua casa para os tratamentos espirituais, que segundoo que dizem parecia um albergue. Nunca aceitara ajuda monetária de ninguém era ordemdo seu guia chefe, apesar de inúmeras vezes isto ser oferecido a ele. O ritual sempre foisimples. Não utilizavam atabaques ou quaisquer outros objetos e adereços. Os atabaquescomeçaram a ser usados com o passar do tempo por algumas das Tendas fundadas peloCaboclo das Sete Encruzilhadas, mas a Tenda Nossa Senhora da Piedade não utiliza em seuritual até hoje. As guias usadas eram apenas as determinadas pelas entidades que semanifestavam. A preparação dos médiuns era feita através de banhos de ervas e do ritualdo amaci, isto é, a lavagem de cabeça onde os filhos de Umbanda fazem a ligação com avibração dos seus guias.Após 55 anos de atividade entregou a direção dos trabalhos da Tenda Nossa Senhora daPiedade a suas filhas Zélia de Moraes Lacerda, médium do Caboclo Sete Flechas que járealizou sua passagem também ao mundo espiritual e Zilméia de Moraes Cunha, aparelhodo Caboclo Branca Lua, que com sua fé e perseverança dirige os trabalhos até hoje. Maistarde junto com sua esposa Maria Izabel de Moraes, médium ativa da tenda e aparelho doCaboclo Roxo, fundou a Cabana de Pai Antônio no distrito de Boca do Mato, município deCachoeira do Macau – RJ, dedicando a maior parte das horas de seu dia ao atendimento deportadores de enfermidades psíquicas e de todos os que o procuravam, esta cabanafunciona até hoje tendo seus trabalhos dirigidos por D. Zilméia.Em 1971, a senhora LilianRibeiro, diretora da TULEF (Tenda de Umbanda Luz, Esperança, Fraternidade – RJ) gravouuma mensagem do Caboclo das Sete Encruzilhadas, e que bem espelha a humildade e oalto grau de evolução desta entidade de muita luz. "A Umbanda tem progredido e vaiprogredir. É preciso haver sinceridade, honestidade e eu previno sempre aos companheirosde muitos anos: a vil moeda vai prejudicar a Umbanda; médiuns que irão se vender e queserão, mais tarde, expulsos, como Jesus expulsou os vendilhões do templo. O perigo domédium homem é a consulente mulher; do médium mulher é o consulente homem. Épreciso estar sempre de prevenção, porque os próprios obsessores que procuram atacar asnossas casas fazem com que toque alguma coisa no coração da mulher que fala ao pai deterreiro, como no coração do homem que fala à mãe de terreiro. É preciso haver muitamoral para que a Umbanda progrida, seja forte e coesa.Umbanda é humildade, amor e caridade – esta a nossa bandeira. Neste momento, meusirmãos, me rodeiam diversos espíritos que trabalham na Umbanda do Brasil: Caboclos deOxossi, de Ogum, de Xangô. Eu, porém, sou da falange de Oxossi, meu pai, e não vim poracaso, trouxe uma ordem, uma missão. Meus irmãos: sejam humildes, tenham amor nocoração, amor de irmão para irmão, porque vossas mediunidades ficarão mais puras,

Activity (11)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
katarkivos liked this
Ricarddo Gäloti liked this
pililipedro liked this
rwac666 liked this
jclaudionor liked this
gregorybr liked this
Valdir Junior liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->