Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
13Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Esposa exibicionista

Esposa exibicionista

Ratings:

4.83

(6)
|Views: 35,442 |Likes:
Published by api-3732034
CE
CE

More info:

Published by: api-3732034 on Oct 15, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
Esposa exibicionista.
Meu nome é Marcus e minha esposa Lena, moramos em Belém do Pará. Já escrevemosalguns contos de nossa relação. Somos casados e experimentamos uma liberdade quenos permite viver nossas fantasias e gozar muito com isso. Eu adoro exibi-la e elaadora se exibir e como não poderia deixar de acontecer, alguns felizardos acabam pordevorá-la sempre com minha permissão e aprovação. Vou contar uma experiênciaextremamente excitante. Havia comprado uma saia para ela, sempre sou eu quemcompra as roupas das nossas saídas, Eu a comprei em uma sex shop e é bastantemicro, tem 23cm de largura e feita de lycra meio transparente e preta. Minha mulhertem uma bunda bem grande e arrebitada de modo que a saia ficava assim no limite deaparecer às polpas da bunda, uma loucura, e por ser de lycra cada passo deveria seracompanhado de uma puxadinha, se não..., Uma loucura. Precisei me controlarquando a vi vestida, fiquei com ereção permanente, porque como ela sempre faz,dispensa a calcinha. Era uma quinta feira e decidimos ir à pororoca para um show depagode e axé, ela adora. Como sempre fazemos pegamos um táxi e ai, já começou umpouco da nossa festinha, nesta situação abro a porta de trás pra ela entrar e que aofazer aproveita pra arreganhar as pernas e com a boceta toda a mostra o taxista deuaquela olhada e ficou até meio bobo quando eu entrei. Notei que ele sempre disfarçavapra dar uma olhadinha pra trás, ela ficou entre os bancos com suas pernas meioabertas. Dei uma olhada também e pude ver claramente sua bocetinha. Quandochegamos pedi pra ele acender a luz interna e o paguei e ela ao sair fez a festa deleacho, pois novamente se arreganhou toda, eu disse que assim ela ia acabar matandoum e ela apenas sorriu e disse que se eu queria que ela mostrasse que euagüentasse... Ficamos dando um tempo em um bar que fica ao lado da pororoca etomando umas cervejas pra esquentar. Quando ela sentou pôs a mão entre suaspernas que mesmo fechadinha não tinha com cobrirem seus pelos que teimavam emaparecer, na verdade não havia pano pra cobrir nada. Tanto o garçom como os doiscaras que estavam em uma mesa em frente a nossa não paravam de olhar para aspernas dela, depois da segunda cerveja e após alguns dengos, minha mulher já nãocolocava mais a mão, mas creio que eles pensavam que o que estavam vendo eraapenas sua calcinha preta, minha mulher deixa um pouco de pelos sobre os grandeslábios de sua boceta e o resto fica bem raspadinho. Em dado momento o garçom veiotrocar a cerveja e ela abriu as pernas e sua boceta ficou claramente visível pra ele,notei que ele nem se importava comigo que pra facilitar fingia que não a percebia comas pernas abertas, assim que ele saiu foi chamado pela mesa dos caras e apenas oescutei dizendo... - ela ta sem calcinha a safada. A partir daí os caras secavam aspernas dela e toda a abertura que ela dava. O legal ai é que eu finjo não perceber,olho pro outro lado e fico só com o rabo de olho, ela sorri e diz que eles ficavammexendo nos paus, Quando ela estava já bem turbinada e percebo isso quando eladeixa as pernas bem abertas pedi a conta e saímos pra pororoca. Ela chamava aatenção quando passava, pois estava um escândalo, entramos e fomos procura umlugar legal pra sentar, como sempre a levei para o fundo em uma mesa que possuemuma iluminação até bem acentuada, tudo com a intenção de deixá-la bem exposta.Assim que nos acomodamos ela começou a dançar os pagodes e chamou a atenção dealguns caras, pois sua micro subia e ela tinha que puxar, eu sentei e fiquei admirandominha mulher com as polpas da bunda aparecendo e fazendo cara de puta.Começamos a beber novamente e ela cada vez mais solta. Houve um momento queela disse que estava ficando de pilequinho e que estava muito excitada, eu perguntei oporquê e ela disse que tinha alguns caras secando-a e que ela queria mostrar e pediupara tocá-la e eu bem discretamente meti a mão entre suas pernas e ela estava bemmolhadinha, pedi então que ela sentasse ao meu lado e de frente para os caras e areação de um deles que estava bem de frente para nós foi algo muito engraçado, ele
 
até piscou várias vezes como que não acreditando no que estava vendo..., Minhaesposinha com a boceta aparecendo, e olha que ela estava com as pernas até que bemfechadas. Fique observando as ações dele que instantaneamente chamou a atençãodos outros dois caras e comentou o que tinha visto, e pelo visto o fez com tantoímpeto, que todos olharam ao mesmo tempo na nossa direção. Minha esposa já estavabem alegrinha com nossa farra, mas ai ela começou seu show particular. Minha esposanão é só uma exibicionista pelo fato de gostar de mostrar suas partes íntimas àestranhos, ela sente prazer de faltar pouco para orgasmo, eu que ficou observandonoto que ela chega a tremer quando percebe os homens olhando-a e ai meus amigosela arreganha as pernas, ela fica totalmente exposta, fica cruzando as pernas, olhapara um lado e abre bem as pernas, assim como se fosse sem querer. E foi o acorreunesse dia, ela se arreganhava para os caras e eles babavam e eu com cara de cornofingindo não perceber ela se abrindo. Ficamos assim por um tempo considerável, osrapazes ficaram até mais próximos de nós em pé para poder ver melhor. Minha esposacomeçou a dançar uns axés e rebolava e a saia subia, às vezes ficava inclinada pra mebeijar e arrebitava o rabão na direção dos caras e a visão de sua boceta por trás deviaser o máximo. Resolvemos que já era a hora de irmos, mas antes ficamos em pépróximo à pista de dança, eu por trás dela com o pau duro no meio da bunda dela.Ficamos vendo as pessoas dançando e em uma mesa mais a frente tinha outros carasque quando viram minha esposa com sua micro saia ficaram secando-a, foi ela quempercebeu os caras olhando e comentou comigo que dei uma olhadinha e disse pra elarelaxar. Estava abraçando ela por trás segundo pela barriga, desci minha mão parasuas coxas e fiquei alisando e subia sua micro aos poucos, ela disse se eu estava doidoe apenas falei que estava mostrando minha esposinha gostosa e putinha, que anda deminissaia e sem calcinha pra mostrar a boceta pros caras. Ela disse: sobe logo estasaia e mostra minha boceta vai seu corninho. Eu ia subindo a saia dela como se euestivesse apenas interessado em tirar um sarro com ela e ficava vendo a reação deles,eu ia subindo e abaixando até que ganhei a atenção deles, ai foi o show, primeirolevantei até uma altura que sabia daria pra vê a boceta dela e abaixava, eles ficavamconversando e eu ia subindo até um momento que a deixei com a mini totalmentelevantada e eles grudados nela, mantive nesta posição e comecei a passar a mão naboceta dela e ia levando seu pelos, que como disse ficam sobre os grandes lábios e elapra facilitar abriu as pernas, de modo que eu literalmente enchia minha mão na bocetadela e os caras babando, quando senti que ela estava bastante excitada, falei pra ela:Vamos amor quero ver você fudendo com mais um taxista, vamos? Ela só gemia,abaixou a saia e saímos. No lado de fora fica uma fila de taxista, ficamos um tempoescolhendo nossa vitima e sortudo, ela fitou um cara até normal, meio moreno, umpouco mais baixo que eu, só que estava de jeans surrado e apertado fazendo umamala. Fomos em direção do táxi e ela já estava tremendo. Fiz sinal pra ele que logoentrou no carro e notei que ele esperava ela entrar, como faço, a fiz entrar atrás e foidaquele jeito, colocando uma perna e depois a outra se arreganhando toda e seposicionando no meio dos bancos. O taxista logo percebeu e ficou olhando a boceta daminha esposa, eu ainda demorei a entrar e pedi pra ele nós levar em um motel edebrucei meio de lado o que o deixo mais a vontade para dar umas olhadinhas, eufingi adormecer e só ouvia uns gemidinhos dela, olhei de canto de olho e ele tava como braço um pouco pra trás tacando na sua boceta e ela já tinha puxado toda a mini pracima e tava com a boceta aberta. Eu disse: Caramba amor se não bastasse ficarmostrando essa boceta ainda tem que deixa o cara pegar nela? Ela sorriu e disse: Oraamorzinho não é você que gosta da sua mulherzinha assim toda arreganhada e doidapra levar ferro, então agora agüenta mais um chifre. Só olhei pro taxista e sorri e disseé amigo é foda ter mulher gostosa, ele disse fica tranqüilo, dou um jeito nisso.Chegamos ao motel e fomos direto pra cama ele não deixou nem ela tirar a roupa, jácomeçou a chupar sua boceta que estava totalmente molhada. Eu dei meu pau pra ela

Activity (13)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Fernando Zuglian liked this
Karol Vinícius liked this
victor_romão_8 liked this
ppessanha liked this
IvonePR liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->