Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
221Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Raciocinio Logico - Exercícios 01

Raciocinio Logico - Exercícios 01

Ratings:

4.83

(12)
|Views: 70,157|Likes:
Published by api-3784985

More info:

Published by: api-3784985 on Oct 16, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
 
TJ - 2006
1
Concursos
MATEMÁTICA – MÓDULO 2Prof. FÁBIO SOARES(PIAUÍ)NOÇÕES DE LÓGICAPrincípios Fundamentais da Lógica
 
Princípio da contradição: uma proposição não pode ser falsae verdadeira, simultaneamente.
 
Princípio do terceiro excluído: qualquer proposição ou éverdadeira ou é falsa.
 
Valor Lógico:
verdade (V) falsa (F)
Conectivos lógicos
Os usuais são:
não, e, ou, se...então..., e se e somente se...
 
O conectivo NÂO e a NEGAÇÂO
A negação de uma proposição p é uma nova proposição cujovalo lógico é V quando p é falsa e é F quando p é verdadeira.A negação de p é representada pelo símbolo
~ p
que se lê não p etem a seguinte tabela-verdade:
p ~pV FF V
 
Obs:
 A negação de “O menino é honesto” é “O menino não éhonesto ” ou “não é verdade que o menino é honesto”.
O CONECTIVO e E A CONJUNÇÃO
A conjunção é representada pelo símbolo p ^ q que se lê p e q etem a seguinte tabela-verdade:
p q p^qV V VV F FF V FF F FConceito ou e a DISJUNÇÃO
 A disjunção de duas proposições p e q é seguinte tabela-verdade:
p q P v qV V VV F VF V VF F FObservação
: O conectivo ou, representado pelo símbolo
v
, éinclusivo e significa pelo menos um. Pode-se, entretanto atribuir aoconectivo ou o sentido de exclusão. Neste caso o símboloutilizado é
v
e significa
um só
.
O conectivo se...então..e a condicional
 É representada pelo símbolo p
q e tem a seguinte tabela-verdade:
p q p
qV V VV F FF V VF F V
As seguintes expressões podem se empregar como
equivalentes
de "
Se A, então B
":
Se 
A, B.
 
B,
se 
A.
Quando 
A, B.
Todo 
A é B. A
implica 
B. A é
suficiente 
para B.B é
necessário 
para A. A
somente se 
B.
Teorema contra-recíproco
p
q é equivalente a (~q)
(~p)Exemplo:“ Se um número inteiro é par então o seu quadrado também épar” é o mesmo que “ se o quadrado de um número inteiro não épar então o número inteiro não é par”.
se e somente se e a Bicondicional
 É representada pelo símbolo p
q e tem a seguinte tabela-verdade:
p qp
qV V V
V F F
F V FF F V
Podem-se empregar também como
equivalentes
de "
A se esomente se B
" as seguintes expressões:
A
se e só se
.Todo
A
é
e todo
é
A
.Todo
A
é
e reciprocamente.Se
A
então
e se
então
A
.
A
somente se
e
somente se
A
.
A
é suficiente para
e
é suficiente para
A
.
é necessário para
A
e
A
é necessário para
.
 
Equivalência lógica
DefiniçãoA proposição P é equivalente à proposição Q se, e somente se, abicondicional P
Q for uma tautologia ou que P e Q tem amesma tabela-verdade. Representa-se por P
Q e lê-se P éequivalente a QExemplo: Dizer: “Não vai não” ,é equivalente a dizer : “vai ”
 
 
TJ - 2006
2
Concursos
Exemplo:Hoje choveu então fiquei em casa é equivalente a hoje não choveuou fiquei em casa.
Propriedades
p ^ q
 q ^ pp v q
 q v pp ^ (q ^ r)
 (p ^ q) ^ r p v (q v r)
 (p v q) v r p ^ (q v r)
 (p ^ q) v (p ^ r)p v (q ^ r)
 (p v q) ^ (p v r)~ ( p ^ q)
 (~p) v (~q)~ (~p)
 P(p
q)
 (~q)
(~p)
PROPOSIÇÕES CATEGÓRICAS
 Alguns argumentos válidos nem sempre dependem unicamentedas operações lógicas com os conectivos antes lembrados paraprovar a sua validade. Tais argumentos não podem ser justificadossomente através da lógica proposicional.
Quantificadores
 
Todo”, “Algum”, e “Nenhum”
 As proposições categóricas podem apresentar-se de quatroformas distintas:Todo S é P Proposição universal afirmativaNenhum S é P Proposição universal negativaAlgum S é P Proposição particular afirmativaAlgum S não é P Proposição particular negativaExemplo:Todo baiano gosta de
axé music.
Sendo assim: Todo aquele quenão gosta de
axé music
não é baiano.Obs: “ Para negar todos, basta um.”Ex: Pedro e Fábio olham para um grupo de mulheres. Pedro diz:Todas são loiras. Fábio diz: Pedro você está errado, pois uma nãoé.Obs: Uma boa maneira de resolver os problemas de proposiçõescategóricas é com o uso do diagrama de Euler/Venn nas relaçõesentre conjuntos.
ARGUMENTO
Denomina-se
argumento
a relação que associa um conjunto deproposições
P
1
,
P
2
, ...
P
n
, chamadas
premissas
do argumento, auma proposição
C
a qual chamamos de
conclusão
do argumento.No lugar dos termos
premissa
e
conclusão
podem ser usados oscorrespondentes
hipótese
e
tese
, respectivamente.Os argumentos que têm somente duas premissas sãodenominados
silogismos
.Assim, são exemplos de silogismos os seguintes argumentos:1.
P
1
:
Todos os artistas são apaixonados.
 
P
2
:
Todos os apaixonados gostam de flores.
C
:
Todos os artistas gostam de flores.
 2.
P
1
:
Todos os apaixonados gostam de flores.
P
2
:
Míriam gosta de flores.
 
C
:
Míriam é uma apaixonada.
 
Argumento Válido
Dizemos que um argumento é
válido
quando a sua conclusão éuma
conseqüência obrigatória
do seu conjunto de premissas.É importante observar que ao discutir a validade de um argumento
é
 
irrelevante
o valor de verdade de cada uma de suas premissas.Em Lógica, o estudo dos argumentos não leva em conta a verdadeou a falsidade das proposições que compõem os argumentos, mastão-somente a
validade
destes.
Exemplo:
O silogismo:"Todos os pardais adoram jogar xadrezNenhum enxadrista gosta de óperas.Portanto, nenhum pardal gosta de óperas."está perfeitamente bem construído, sendo, portanto, umargumento válido, muito embora a validade das premissas sejaquestionável.
Argumento Inválido
Dizemos que um argumento é
inválido
,
sofisma
ou
falacioso
, quando a verdade das premissas
não é
 
suficiente
 para garantir a verdade da conclusão.
Exemplo:
O silogismo:
"Todos os alunos do curso passaram.Maria não é aluna do curso.Portanto, Maria não passou."
é um argumento inválido, falacioso, pois as premissas
nãogarantem
a verdade da conclusão. Maria pode ter passadomesmo sem ser aluna do curso, pois a primeira premissa nãoafirmou que
somente
os alunos do curso haviam passado.
Exercícios de fixação 
01. Assinale a assertiva incorreta.a) A negação de "2 é par e 3 é ímpar" é "2 não é par ou 3 não éímpar" .b) A negação de "5 é primo ou 7 é par" é "5 não é primo e 7 não épar'.c) A negação de 2
5 é 2
5.d) A negação de "existe um número primo par" é "qualquer número primo não é par".02. Se correr o bicho pega . Assim sendo:a)
 
Correr é condição necessária para o bicho pegar.b)
 
O bicho pegar é condição suficiente para correr.c)
 
Correr é condição necessária e suficiente para o bicho pegar.d)
 
Correr é condição suficiente para o bicho pegar.e)
 
O bicho pegar é condição necessária e suficiente para correr.03. “ André vai à missa se, e somente se, Ricardo vai ao cinema.Sabe-se que André não vai à missa, logo:I.
 
Ricardo vai ao cinema.
 
 
TJ - 2006
3
Concursos
II.
 
Nada se pode afirmar sobre Ricardo.III.
 
Ricardo não vai ao cinema.a)
 
Apenas I é verdadeirab)
 
Apenas II é verdadeirac)
 
Apenas III é verdadeirad)
 
I e II são verdadeirasI e III são verdadeiras04.
 
“João é atleta ou Maria é estudante
”. Então:a)
 
Se Maria não é estudante então João não é atleta.b)
 
Se João não é atleta então Maria não é estudante.c)
 
João é atleta e Maria é estudante.d)
 
Se Maria não estudante então João é atleta.05. Chama-se tautologia a toda proposição que é sempreverdadeira, independentemente da verdade dos termos que acompõem. Um exemplo de tautologia é:a)
 
se Pedro é bonito, então Pedro é bonito e o céu é azulb)
 
se Pedro é bonito, então Pedro é bonito ou o céu é azulc)
 
se Pedro é bonito ou o céu é azul, então o céu é azuld)
 
se Pedro é bonito ou o céu é azul, então Pedro é bonito e océu é azul06. Se Ana for à escola, então, Pétrus será tenista. Ou Carla ébrasileira, ou Rafaela será médica, ou Pétrus será tenista SeRafaela é médica, então, Ana irá à escola. Ora, Pétrus não serátenista. Então:a)
 
Carla é brasileira e Rafaela não será médicab)
 
Carla não é brasileira e Ana não irá à escolac)
 
Rafaela não é médica e Ana irá à escolad)
 
Rafaela é médica ou Ana irá à escolae)
 
Rafaela é médica e Pétrus não será tenista07.Se Fábio é professor, então Caio não é rico. Maria é linda ouBento é grego. Se Bento é grego, então Caio é rico. Ora, Fábio éprofessor. Logo:a)
 
Maria não é linda e Bento é grego.b)
 
Maria é linda e Bento não é grego.c)
 
Bento é grego ou Caio é rico.d)
 
Fábio é professor e Caio é rico .e)
 
Caio é rico e Maria é linda.08. A maré alta é condição necessária e suficiente para o surfistafestejar e é condição necessária para o cachorro latir. O céu estar nublado é condição necessária para o gato ficar em casa, e écondição suficiente para o cachorro latir. O surfista não festejou,Logo:a)
 
O céu estar nublado e o cachorro não latiu.b)
 
O cachorro latiu ou a maré está alta.c)
 
O gato ficou em casa e o céu não está nubladod)
 
Se o gato não ficou em casa, então a maré está altae)
 
O céu não está nublado e a maré não está alta.09. (MPU - 2004) Quando não vejo Carlos, não passeio ou ficodeprimida. Quando chove, não passeio e fico deprimida. Quandonão faz calor e passeio, não vejo Carlos. Quando não chove eestou deprimida, não passeio. Hoje, passeio. Portanto, hojea) vejo Carlos, e não estou deprimida, e chove, e faz calor.b) não vejo Carlos, e estou deprimida, e chove, e faz calor.c) vejo Carlos, e não estou deprimida, e não chove, e faz calor.d) não vejo Carlos, e estou deprimida, e não chove, e não fazcalor.e) vejo Carlos, e estou deprimida, e não chove, e faz calor.10.Sabe-se que “nenhum amigo meu é amigo seu” e que “algunsamigos dele são seus amigos”. Assim, pode-se afirmar,corretamente:a) alguns de meus amigos são amigos deleb) alguns amigos dele são meus amigosc) nenhum amigo meu é amigo deled) alguns amigos dele não são meus amigose) nenhum amigo dele é meu amigo11.Considerando “todo livro é instrutivo” como uma proposiçãoverdadeira, é correto inferir que:a)
 
“Nenhum livro é instrutivo” é uma proposiçãonecessariamente verdadeira.b)
 
“Algum livro é instrutivo” é uma proposição necessariamenteverdadeira.c)
 
“Algum livro não é instrutivo” é uma proposição verdadeiraou falsa.d)
 
“Algum livro é instrutivo” é uma proposição verdadeira oufalsa.e)
 
“Algum livro não é instrutivo” é uma proposiçãonecessariamente verdadeira.12. Todos os aprovados foram alunos do SUPER LÓGICO, todosos alunos do SUPER LÓGICO são inteligentes, pessoasinteligentes não ficam desempregadas, logo:a)
 
Pelo menos uma pessoa que fez o SUPER LOGICO estádesempregada.b)
 
Alguns desempregados estudaram no SUPER LÓGICO.c)
 
As pessoas empregadas foram aprovadas.d)
 
Pessoas aprovadas não estão desempregadase)
 
Nem todos os inteligentes estão empregados13.(BNB 2002 FCC) Considerando-se que todos os Gringles sãoJirnes e que nenhum Jirnes é Trumps, a afirmação de quenenhum Trumps pode ser Gringles é:a) Necessariamente verdadeira.b) Verdadeira, mas não necessariamente.c) Necessariamente falsa.d) Falsa, mas não necessariamente.e) Indeterminada.14. Considere as premissas:
P1. Os bebês são ilógicos.P2. Pessoas ilógicas são desprezadas.P3. Quem sabe amestrar um crocodilo não é desprezado.
Assinale a única alternativa que
não
é uma conseqüência lógicadas três premissas apresentadas.a) Bebês não sabem amestrar crocodilos.

Activity (221)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Otacio Candido liked this
Maria Bastos liked this
Vanessa Caltran liked this
Vanessa Caltran liked this
P110780 liked this
Joao G. Alves liked this
Shun Alex liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->