Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
320Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Derivadas e Integrais

Derivadas e Integrais

Ratings:

5.0

(3)
|Views: 87,692|Likes:
Published by api-3818122

More info:

Published by: api-3818122 on Oct 17, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/23/2014

pdf

text

original

 
DERIVADAS
Prof. Dr. Luis Felipe Dias Lopes
ORIGEM DO CONCEITO DEDERIVADA DE UMA FUNÇÃO
 
O conceito de função que hoje pode parecer simples é o resultado de uma lenta elonga evolução histórica iniciada na Antiguidade quando, por exemplo, os matemáticosBabilónios utilizaram tabelas de quadrados e de raízes quadradas e cúbicas ou quando osPitagóricos tentaram relacionar a altura do som emitido por cordas submetidas à mesmatensão com o seu comprimento. Nesta época o conceito de função não estava claramentedefinido: as relações entre as variáveis surgiam de forma implícita e eram descritasverbalmente ou por um gráfico.
 
Só no séc. XVII, quando
Descartes 
e
Pierre Fermat 
introduziram as coordenadascartesianas, se tornou possível transformar problemas geométricos em problemas algébricos eestudar analiticamente funções. A Matemática recebe assim um grande impulso,nomeadamente na sua aplicabilidade a outras ciências - os cientistas passam, a partir deobservações ou experiências realizadas, a procurar determinar a fórmula ou função querelaciona as variáveis em estudo. A partir daqui todo o estudo se desenvolve em torno daspropriedades de tais funções. Por outro lado, a introdução de coordenadas, além de facilitar oestudo de curvas já conhecidas permitiu a criação de novas curvas, imagens geométricas defunções definidas por relações entre variáveis.
 
Foi enquanto se dedicava ao estudo de algumas destas funções que Fermat deuconta das limitações do conceito clássico de reta tangente a uma curva como sendo aquelaque encontrava a curva num único ponto. Tornou-se assim importante reformular tal conceito eencontrar um processo de traçar uma tangente a um gráfico num dado ponto - esta dificuldadeficou conhecida na História da Matemática como o “Problema da Tangente”.
Fermat 
resolveuesta dificuldade de uma maneira muito simples: para determinar uma tangente a uma curvanum ponto P considerou outro ponto Q sobre a curva; considerou a reta PQ secante à curva.Seguidamente fez deslizar Q ao longo da curva em direção a P, obtendo deste modo retas PQque se aproximavam duma reta t a que
Fermat 
chamou a reta tangente à curva no ponto P.
 
Fermat notou que para certas funções, nos pontos onde a curva assumia valoresextremos, a tangente ao gráfico devia ser uma reta horizontal, já que ao comparar o valorassumido pela função num desses pontos P(x, f(x)) com o valor assumido no outro pontoQ(x+E, f(x+E)) próximo de P, a diferença entre f(x+E) e f(x) era muito pequena, quase nula,quando comparada com o valor de E, diferença das abscissas de Q e P. Assim, o problema dedeterminar extremos e de determinar tangentes a curvas passam a estar intimamenterelacionados.Estas idéias constituíram o embrião do conceito de
DERIVADA
e levou
Laplace 
aconsiderar
Fermat 
"o verdadeiro inventor do Cálculo Diferencial", contudo,
Fermat 
nãodispunha de notação apropriada e o conceito de limite não estava ainda claramente definido.
 
No séc .XVII,
Leibniz 
algebriza o Cálculo Infinitésimal, introduzindo os conceitos devariável, constante e parâmetro, bem como a notação dx e dy para designar "a menor possíveldas diferenças em x e em y”. Desta notação surge o nome do ramo da Matemática conhecidohoje como "
Cálculo Diferencial
".
 
Assim, embora só no século XIX
Cauchy 
introduzia formalmente o conceito de limitee o conceito de derivada, a partir do séc. XVII, com
Leibniz 
e
Newton 
, o Cálculo Diferencialtorna-se um instrumento cada vez mais indispensável pela sua aplicabilidade aos maisdiversos campos da Ciência.
 
DEFINIÇÃO
A derivada de uma função
y = f(x)
num ponto
x = x
0
 
, é igual ao valor da tangentetrigonométrica do ângulo formado pela tangente geométrica à curva representativa de
y=f(x)
, no ponto
x = x
0
, ou seja, a derivada é o coeficiente angular da reta tangente aográfico da função no ponto
x
0
.
 
A derivada de uma funçãoy = f(x), pode ser representada também pelos símbolos:
y '
,
dxdy
ou
f ' (x)
.A derivada de uma função f(x) no ponto x
0
é dada por:
 
h x f h x f   x x x f  x f   x f  xdxdf 
o xoo x xoo
o
)()( lim)()( lim)(')(
0
+===
 
Algumas derivadas básicas
 
Nas fórmulas abaixo,
u
e
v
são funções da variável
.
a
,
b
,
c
e
n
são constantes.
 
Derivada de uma constante
 
0)(
=
cdx
 
Ex.: f(x) = 2 f’(x) = 0
Derivada da potência
 
( )
1
..
=
nn
 xn xdx
 
Ex.: f(x) = x
3
f’(x) = 2x
2
 
Portanto:
 
( )
1
=
 xdx
 
 
Soma / Subtração
 
( )
dxdvdxduvudx
±=±
 
Ex.: f(x) = x
2
- y
3
f’(x) = 2x – 3y
2
 
Produto por uma constante
 
( )
dxduccvdx
=
 
Ex.: f(x) = 2x
3
f’(x) = 2 . 2x
2
= 4x
2
 
Derivada do produto
( )
dxduvdxdvuuvdx
+=
 
Ex.: f(x) = x
3
. x
4
f’(x) = x
3
. 4x
3
+ x
4
. 3x
2
= 7x
6
 
Derivada da divisão
 
2
vdxdvudxduvvudx
=     
 
Ex.: f(x) =
43
 x x
f’(x) =
( )
243324
4.3.
 x x x x x
=
86
 x x
=
2
1
 x
 
Potência de uma função
 
( )
dxduunudx
nn
1
..
=
 
Ex.: f(x) =
2
)2(
+
 x
f’(x) =
2
.
)2(
+
 x
. 1 = 2x + 4ou
f(x)
=
2
)2(
+
 x
= x
2
+4x + 4
f’(x)
= 2x
 
+ 4 + 0 = 2x + 4

Activity (320)

You've already reviewed this. Edit your review.
Arthu Pereira liked this
emerdude added this note|
Thanks a lot. This have helped me.
mariliafox liked this
Macaulay Souza liked this
Fernanda Vaz liked this
ludmila001 liked this
Yoshi's Land liked this
Thássia Faccim liked this
Paulo liked this
Nan Ksdkjd liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->