Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
19Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Scan Doc0030

Scan Doc0030

Ratings: (0)|Views: 12,578|Likes:
Published by SociologiaHistFilo

More info:

Published by: SociologiaHistFilo on Nov 05, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/26/2014

pdf

text

original

 
o
diálogo
Diálogodesfeitopelovento
(1927)-RenéMagritte(Colãoparticular).
--------------------~
estaalturavocêjádeveestar convencidodequefilosofarémesmouma maneiraumpouco"diferente"depensarsobre ascoisas.
É
estaraberto
à
dúvida,
à
admiração, aoespanto.
É
estarembuscadeum pensamentoqueéuma"conversadaalmaconsigomesma",comodefiniuPlatão.Masquemfilosofaquerdialogartambémcomoutras"almas",outraspessoas,parachegarcomelas-idealmente-aumacordo.Issoquer dizerquefilosofarébasicamentepraticaro dlogo.Quetipodediálogo?
É
oqueveremoscommaisdetalhenestecatulo.
Questõesfilosóficas
Oqueéumdiálogo? Paraquedialogar? Comosefilosofa? Paraquefilosofar? Conhecemosoqueacreditamosconhecer? Oquepodemosafirmarcomcerteza?
Conceitos-chave
diálogo,conversação,discurso,precio,clareza, conhecer,generalizar,linguagem,todo diagico,dialéticasocrático-platônica
 
Situaçãofilosófica
Umastrônomo,umfísicoeummatemáticoestavampassandofériasnaEscôcia.Olhandopela janeladotremelesavistaramumaovelhapretanomeiodocampo."Queinteressante",observouoastrônomo,"naEscóciatodasasovelhassãopretas."Aoqueofísicorespondeu:"Não,nada disso!Algumasovelhasescocesassãopretas".Omatemáticoolhouparacimaemdesesperoe disse:"NaEscóciaexistepelomenosumcampo,contendopelomenosumaovelha
epelomenosumladodela
é
preto".
(STEWART,
citadoem
SINGH,
O
últimoteoremadeFermat,
p.147).
Analisandoasituação
Quemsãoostrêspersonagensdahistorieta
7
Oqueosaproxima?Oqueossepara? Sãoumastrônomo,umfísicoeummatemá- tico.Demodogeral,podemosdizerqueeles têmemcomumofatodeseremestudiososde trêsdisciplinaspertencentesàschamadasciên-ciasexatas(nasquaissepretendeumconhe- cimentoexato,precisoeobjetivosobreas coisas,combasenomodelomatemático). Aastronomiaeafísicaseaproximameseinter-penetram,poissãociênciasemquepredominaa observaçãodomundoconcreto,sensível,eque podemutilizaraexperimentaçãoparaconfirmar suashiteses(emboranemsempre,comonaastrofísica,cujoobjetodeestudoépraticamente inalcançável),visandoformularleisgerais.Por suavez,amateticapropriamenteditaconsti- tuiumaciêncianãoexperimental,quenãolida, demodogeral,comarealidadeconcreta,poisse baseiaemobjetosabstratos,ideais,eampliaseu conhecimentosobreelespormeiodadedução lógica,conduzidacomtodoorigor. Ondeestavam?Passavamporumasituaçãoro- tineira?EstavamnaEscócia,passandorias.Porisso,e pelodiálogoquelevaram,podemossupor,mes- mosendoessaumahistóriafictícia,queerames- trangeirospasseandoporesseps.Dequalquerforma,teriamsaídodesuarotina,desuavida cotidianaeencontravam-seemumasituação maisfavorávelàexperiênciadeestranhamento, deadmiração.Oquechamouaatençãodeles,quebrandoofluir"monótono"daviagem? Foiavisãodeumaovelhanegranomeiodo campoescos.Porqueissochamariaaatenção deles?Provavelmenteporqueasovelhasmaisco- mumenteconhecidassãodecorclaraoubranca. Umaovelhanegraéalgopoucofrequente,oque gerouumaquebra,umestranhamento,umaad- miração.Qualfoioresultadodessaquebra? Aquebralevou-osarefletirsobreoquehaviam vistoeainiciarumdiálogoemquecadaum expressouconcluesdistintas.Ditodemanei- ramaisprecisa:comoeramcientistas-istoé, estudiosos,pessoascomprometidascomoco-nhecimento-,cadaqualpassouaformularumahipóteseouafirmaçãoarespeitodoqueavisão deumaovelhanegraisoladaemumcampoda Escialhepermitiaconhecer"deverdade".Esse diálogoconstituiuma
paródia
domundocientí-fico,fazendoumacaricaturadastrêsciências.
Padia-
imitaçãooucaracterizaçãomica,satíricadealgumacoisa.
Comosepodeminterpretaraspalavrasdoas- trônomo?Interpretaréentenderoquefoidito,aprofun- dando-seemseusignificado.
É
cavoucar,esca-
 
rafuncharasentrelinhas,oqueestáimplícito. Temosqueoastrônomoconcluiu,aoveruma ovelhanegra,quetodasasovelhassãonegrasna Escócia.Essaéuma
inferência
evidentementeequivocada.Nãosepodefazertamanhagenera- lizaçãoapartirdeumúnicocaso.Assim,pode- mosentenderquecertareferênciacaricatu-ral
à
astronomia(ciênciaquetratadeentendereexplicaratotalidadefísicadouniverso),bem comoaumatendênciamuitocomumnaspesso- as:adegeneralizarapartirdemuitopouco.
Infencia-
conclusãoaquesechegasobrealgoapartirdeou- troelementotidocomoverdadeiro,porqualquertipoderaciocínio.
Easpalavrasdofísico?Podemosdizerqueofísiconão
é
tãoexageradoquantooastrônomo,mastambémseprecipita, poissaberqueexisteumcasodeovelhanegrana Escócianãoimplicaaexistênciadeoutras,mes- moquesejamapenasalgumas,comoeleconclui. Essapoderiaseraúnicaovelhanegranessepaís. Portanto,faltourigoremsuaafirmação. Easpalavrasdomatemático
7
Omatemáticotembempresentetudoisso.Fa- zendousodalinguagemprecisaquecaracterizasuaciência,eleformulaumaafirmaçãorigoro-samentelógicaarespeitodetudooqueépossí- velconhecerapartirdaexperiênciaquehaviamtido:"NaEscóciaexistepelomenosumcampo, contendopelomenosumaovelhaepelomenos umladodelaépreto".Defato,tudooquese haviavistoeraumcampo,umaovelhapretae umladodela.Seelanãosevirou,ninguémviu seuoutrolado.Teoricamente,portanto,nãoé impossívelqueooutroladotivesseoutracor.Ao mesmotempo,porém,ousodaexpressão"pelo menos"emsuaproposiçãodeixaabertaapossi- bilidadedequeexistaoutrocampocomoutra ovelhanegra,bemcomoqueooutroladodelasejanegro.Vofariaalgumacrítica
à
mensagemtransmiti- daporessaanedota?Parapodercriticaressaanedota,vocêpreci- sa-depoisdeentenderbemotextoesuasen- trelinhas-iralémdeleeverseusproblemas:o quefalta,ondeeleéparcial,oquetemdemau oudebomete.Vejamosumexemplodisso. pessoasquenãogostammuitodasformula- çõesfeitaspormatemáticos,quandosetratade explicararealidadeconcreta.Elaspoderiamdi- zer,porexemplo,queodiálogoestáincompleto, quedeveriaterprosseguidocomobjeçõesdeou- trosespecialistas.Nessecaso,talvezumbiólogo pudessedizer:"Emboraseuraciocíniosejabas- tantecorretodopontodevistalógico,seconsi- deramososfatos,istoé,aexperiênciaquetodos nóstemosdarealidade,éaltamenteimprovável queessaovelhatenhaumacordistintadooutro lado.Alémdisso,dopontodevistabiológico..." eassimpordiante.Ouseja,aconversaçãopo- deriatercontinuado,enriquecidacomoutros argumentoseconhecimentos,cadapersonagem tentandoencontrarmelhoresfundamentosparasuasopines.Essaéumacaracterísticamarcan- tedodiscursofilosófico.

Activity (19)

You've already reviewed this. Edit your review.
Carolinefuguete added this note
cade? as respostas???
Carolinefuguete liked this
Sakura Shippuden added this note
respostas
1 thousand reads
1 hundred reads
Ruth Feitosa liked this
Tainara Cândida liked this
Marcos Junior Faccin added this note
Respostas porfa
Laercio Pureza Junior added this note
cadê as respostas desse livro?
Gláucia Cris liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->