P. 1
Registos e Notariado

Registos e Notariado

Ratings:

3.75

(4)
|Views: 12,007 |Likes:
Published by api-3840713

More info:

Published by: api-3840713 on Oct 18, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
Registos e Notariado Registos e Notariado Registos e Notariado Registos e Notariado 
Estes, bem como muitos dos apontamentos disponibilizados no blog Direito Lusófono, são de autoria desconhecida, ou foramfeitos sem grandes preciosismos, ou, ainda, podem representar temáticas estudadas em anos diferentes dos actuais e que por issopoderão incorrer em imprecisões normativas ou doutrinais.
http://direito lusófono.blogspot.com
1
Dr. Jorge Perdigão.Matéria mais importante:-
 
Compra e venda com mútuo / hipoteca.-
 
Constituição das sociedades-
 
Habilitação-
 
Partilha.-
 
Perguntas frequentes:1-
 
Quais os documentos necessários para a escritura pública.2-
 
Quem tem legitimidade para outorgar a escritura.3-
 
Que documentos são necessários para o registo do acto.- Quem intervêm no negócio jurídico e na escritura e em que qualidade.- Documentos necessários a instruir a escritura; prazos de validade e entidadesemissoras; documentos relativos ao próprio negócio bem como os de identificação daspartes outorgantes.- Registos – Quais os documentos necessários para instruir o pedido de registo.Manuais:Pratica Notarial – Borges Araújo – Editora Almedina ( principal ).Manual Técnico e Prático de Notariado – José Carlos Gouveia Costa – AlmedinaManual de Direito Notarial – Zulmira Neto Lino da Silva e Fernando NetoFerreirinha - Almedina ou Coimbra Editora?O Registo Comercial é obrigatório ao contrário do Registo Predial.
 Registo Predial:
O registo predial destina-se essencialmente a dar publicidade à situação jurídicados prédios, tendo em vista a segurança do comércio jurídico imobiliário –artigo 1.ºCódigo do Registo Predial.È através do registo que os negócios jurídicos que incidem sobre imóveis têmeficácia “
erga omnes
”.Oobjectodo registo é a publicidade de direitosOartigo 2.ºenumera os factos sujeitos a registo.Nos artigos 2.º e 3.º encontramos expresso o princípio da tipicidade ou seja, sótem acesso ao registo apenas os factos jurídicos enumerados nestes artigos e aqueles quede modo avulso a lei determinar.
Competências.
 
Registos e Notariado Registos e Notariado Registos e Notariado Registos e Notariado 
Estes, bem como muitos dos apontamentos disponibilizados no blog Direito Lusófono, são de autoria desconhecida, ou foramfeitos sem grandes preciosismos, ou, ainda, podem representar temáticas estudadas em anos diferentes dos actuais e que por issopoderão incorrer em imprecisões normativas ou doutrinais.
http://direito lusófono.blogspot.com
2
A competência das conservatórias determina-se pela situação dos prédios artigo19.º n.º 1.Podem haver duas ou mais conservatórias competentes, contudo é necessário queos prédios estejam registados nas duas.Artigo 20.º- alteração da competência.É comum criarem-se novas conservatórias e transferir-se os registos para asmesmas.
Processo de registo:
A solicitação do registo é feita a pedido dos interessados e respeitando o
 princípioda instância
, expresso noartigo 41.º do Código do Registo Predial.Segundo o disposto noartigo 36.º,têm legitimidade para pedir o registo, os sujeitos activos e passivos, da respectiva relação jurídica bem como todos aqueles quetenham interesse no registo.- Tem legitimidade também omandatário, contudo necessita de uma procuraçãoespecial para o efeito nos termos doartigo 39.º.- Os advogados e solicitadores –artigo 39.º n.º 2 alínea b).- O meeiro e o herdeiro no caso de registo de aquisição de bens e direitos quefaçam parte da herança indivisa –artigo 37.º.- Qualquer comproprietário ou compossuidor –artigo 37.º n.º 2.- O Ministério Público –artigo 40.º.- O representante legal do incapaz em relação aos bens adjudicados a este empartilha extrajudicial –artigo 40.º n.º 2.- O doador –artigo 40.º n.º 3.Legitimidade para pedir averbamentos às descrições –artigo 38.º.Adescriçãoé uma identificação física, económica e fiscal do prédio –artigo 79.º. A requisição de registo é feita em impresso, modelo próprio.Este modelo é aprovado oficialmente.Em casos excepcionais a requisição também pode constar de um requerimentosem ser em modelo oficial relativamente a pedidos de rectificação e impugnação.
Elementos da requisição
artigo 42.º.È assinado pelorequisitantee contém aidentificaçãodeste, nomeadamente o nome, estado civil e residência.Estaidentificaçãoé confirmada na respectiva conservatória do registo predial porconhecimento pessoal por parte do funcionário ou como acontece na maioria dos casos,pela exibição do bilhete de identidade ou documento equivalente.Essa identificação pode ainda ser confirmada pela assinatura que conste dedocumento autêntico ou autenticado que instrua o pedido.Pode ainda ser confirmado, quando se trate de advogado ou solicitador pelaapresentação da respectiva cédula profissional.
 
Registos e Notariado Registos e Notariado Registos e Notariado Registos e Notariado 
Estes, bem como muitos dos apontamentos disponibilizados no blog Direito Lusófono, são de autoria desconhecida, ou foramfeitos sem grandes preciosismos, ou, ainda, podem representar temáticas estudadas em anos diferentes dos actuais e que por issopoderão incorrer em imprecisões normativas ou doutrinais.
http://direito lusófono.blogspot.com
3
Finalmente pode ainda ser confirmada quando se trate de entidade oficial pelaaposição do selo branco.Depois da identificação, na requisição do registo tem ainda de constar aidentificação dos factos a registar.Essa indicação é feita com referência aos prédios respectivos pela ordemresultante da sua dependência ou, sendo independentes, pela ordem da sua antiguidade –artigo 42.º n.º 4.Após isto temos aindicação dos prédiosque é feita pelo número da descrição –artigo 42.º n.º 5.Todos os prédios registados têm um número de descrição de uma determinadafreguesia e registados numa determinada conservatória.
Documentos que servem de base ao registo.
Esta enumeração de documentos é normalmente efectuada por alíneas sucessivasque permitem a menção e identificação do original e menção da sua data ou repartiçãoemitente.Os documentos são:-
 
Escritura pública ( maioria dos casos ).-
 
Decisão judicial. Documentos principais-
 
Documento particular.-
 
Declaração perante o conservador-
 
Caderneta predial ou certidãode teor da certidão matricial Documentos complementares-
 
Duplicado da participação na inscriçãoda matriz ou certidão da omissão matricialCasos especiais:Artigo 47.º- registo de aquisição e hipoteca antes da celebração do respectivocontrato, que é feito com base em declaração do proprietário ou titular do direito.È feito com a assinatura reconhecida salvo se for feita do funcionário daconservatória.O registo provisório de aquisição pode também ser feito na maioria dos casos combase em contrato promessa de alienação –artigo 47.º n.º 3.Artigo 48.º- Registo de aquisição por venda judicial – é feito com base emcertidão comprovativa da identificação do adquirente, do objecto e do depósito da partedo preço exigida.Artigo 49.º- Aquisição em comunhão hereditária – Aqui o registo é feito emcomum e sem determinação da parte ou direito. È feito com base em documentocomprovativo da habitação e em declaração que identifique os bens a registar comofazendo parte da herança.

Activity (106)

You've already reviewed this. Edit your review.
Elio Leitao liked this
Julieta Teixeira liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
fercarmin liked this
Gil-mc Nicolique liked this
AlvesPinto liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->