Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
102Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Curso Básico de Metrologia

Curso Básico de Metrologia

Ratings:

4.67

(6)
|Views: 14,321 |Likes:
Published by api-3846415
Apostila revisada para iniciantes.
Apostila revisada para iniciantes.

More info:

Published by: api-3846415 on Oct 18, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
 
CURSO BÁSICO DE CURSO BÁSICO DE CURSO BÁSICO DE CURSO BÁSICO DE METROLOGIA METROLOGIA METROLOGIA METROLOGIA 
Elaborado por Carlos E. Natali Elaborado por Carlos E. Natali Elaborado por Carlos E. Natali Elaborado por Carlos E. Natali 
Nome: ...........................................................................................................
 
 1
CURSO BÁSICO DE METROLOGIA
Conceitos/Terminologia.
Metrologia
: É a ciência da medição. Trata dos conceitos básicos, dos métodos, dos erros e sua propagação, dasunidades e dos padrões envolvidos na quantificação de grandezas físicas, bem como da caracterização docomportamento estático e dinâmico dos sistemas de medição.
Medição:
Indica, de modo genérico, uma seqüência de ações que permitem efetuar a medição propriamente dita. Éaplicável a ensaios, testes, análises ou processo equivalentes. O resultado da medição, em geral numérico, é um valorobservado, medido, lido, registrado, etc.
Medida:
É o resultado em geral numérico que, obtido em medição, será manipulado para que seja um resultado finalou certificável.
Precisão:
Indica a dispersão dos resultados em torno de um valor de referência, medida da variabilidade de umprocesso de medição de qualquer grandeza. É em geral associado ao desvio padrão.
Leitura ou Resolução
: É o valor mínimo que o instrumento pode nos oferecer em frações da unidade, ou seja, amenor subdivisão de uma grandeza que um instrumento permite ler, sem interpolações. Nos sistemas de medição deindicação digital, a resolução corresponde ao incremento digital.
Incerteza
: Indica genericamente a presença de erros nos resultados. Isso significa que o resultado, real ou correto,deve situar-se dentro da faixa delimitada pela incerteza.
Calibração:
Procedimento metrológico que consiste em estabelecer a correspondência entre valores indicados porum instrumentos ou sistema de medição e os valores verdadeiros ou corretos correspondentes à grandeza medida.
Ajuste:
Procedimento metrológico que consiste em eliminar o erro de indicação de um instrumento ou sistema demedição utilizando-se padrões adequados para esse fim.
Rastreabilidade
: Conceito que exprime a idéia de harmonização e compatibilização em relação a um valor dereferência. Uma medição, ou melhor, a sua exatidão dentro de uma cadeia que pode ser rastreada ou acompanhada, aolongo dos vários níveis, até o inicial.
Confiabilidade Metrológica
: Indica o grau de confiança que pode ser associado ao resultado de um processometrológico.
Instrumentação
: É o conjunto de técnicas e instrumentos usados para observar, medir, registrar, controlar e atuarem fenômenos físicos. A instrumentação preocupa-se com o estudo, desenvolvimento, aplicação e operação dosinstrumentos.
Principais Erros de MediçãoVariação de Temperatura:
A temperatura padrão de referência é de 20°C para todos os países industrializados.Se a temperatura muda, a peça se expande ou contrai, afetando o resultado da medição. Quando não é possível trabalharcom a temperatura controlada em 20°C pode-se compensar o erro através de cálculos, bastando apenas conhecer ocoeficiente de dilatação do material em questão. A fórmula é a seguinte:
δ
L = L x
γ 
x
δ
tOnde:
δ
L = Variação de ComprimentoL = Comprimento Original da peça
γ 
= Coeficiente de dilatação
δ
t = Variação da TemperaturaExemplos de alguns coeficientes de dilatação:Aço - 11,5 x 10
-6
Alumínio – 23,8 x 10
-6
Invar - 1,5 x 10
-6
 Níquel - 13,0 x 10
-6
 Ferro - 12,2 x 10
-6
Cerâmica – 3,0 x 10
-6
 
Força de Medição:
O processo de medição exige um contato entre a peça e o instrumento, a força que promoveesse contato deve ser tal que não cause deformações na peça ou no instrumento. Nesse processo existe instrumentos que
 
 2possuem dispositivos para controlar a pressão de medição, como por exemplo a catraca dos micrômetros, porém osque não possuem estes dispositivos dependem da habilidade do operador.
Forma da Peça:
Imperfeições na superfície, retilineidade, cilindricidade e planeza exigem um posicionamentocorreto do instrumento de medição, caso contrário poderá incidir um erro de medição.
Forma de Contato
: Para se obter um medição correta deve-se sempre buscar um contato entre a peça e oinstrumento que gere uma linha ou um ponto.
Paralaxe:
Quando os traços de uma escala principal e secundária estiverem em planos diferentes, dependendo dadireção de observação, pode-se obter valores de leitura diferentes, que implicam em erro. Portanto como regra geral,toda leitura de instrumento deve ser feita sempre no melhor posicionamento perpendicular da vista
Estado de Conservação do Instrumento
: Um instrumento mal conservado e descalibrado pode acarretar umerro no momento de medição.
Habilidade do Operador
: A falta de prática ou desconhecimento do sistema de medição pode ser uma fonteimportante de erros.
Definição de Metro
“ Um metro é a distância percorrida pela luz, no vácuo, no intervalo de tempo de 1
:
299.792.458 de segundo”.
TIPOS DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO
PAQUÍMETRO
O Agrimensor Pierre Vernier ( 1580 – 1637 ) cunhador do Condado de Borgonha publicou no ano de 1630 sobo título de “Quadrant noveau de Mathematiques” sua invenção de subdividir em unidades menores uma determinadadivisão por comparação com uma divisão diferente. Este princípio é chamado Vernier ou Nônio, e é empregado hoje emdia em inúmeros tipos de instrumentos e máquinas. O nome “Nônio” vem do português Pedro Nunes ( 1492 – 1577 )que empregando uma régua auxiliar móvel – o nônio – conseguiu ler frações de divisões numa régua principal fixa.Precisão das divisões: É obtida por métodos especiais de trabalho em vista das escalas serem gravadas em açotemperado de dureza de 56 Rc.O erro admitido para essa gravações é em função da seguinte fórmula:f = ± ( 5 + L )50f é medido em 0,0001mm L é medido em milímetrosEspessura dos Traços: É dada em função da vista humana. Sabe-se que o ângulo mínimo de visão distinta é da ordem de1’. Assim a 200 mm, o limite de visão distinta seria 0,06 mm.A espessura ideal dos traços varia entre 0,08 e 0,12 para paquímetros com leitura de 0,02 mm.Características Gerais: Os paquímetros apresentam-se 150 mm até 2.000 mm de comprimento, quanto ao nônio podemser de 0,1 | 0,05 | 0,02 . Há os paquímetro digitais de resolução de 0,01mm. Quanto ao sistema de polegada ospaquímetros apresentam-se com nônio de 0,001” ou 1/128”.
Leitura:

Activity (102)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Gedeon Pereira liked this
Susete Duarte liked this
danishalomrj liked this
Ellison Matheus liked this
w3meng liked this
Júnior Bezerra liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->