Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
33Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Psicomotricidade na Infância

Psicomotricidade na Infância

Ratings: (0)|Views: 6,152 |Likes:
O que é Psicomotricidade? Introdução

PSICO = COGNIÇÃO MOTRIC = MOVIMENTO IDADE = IDADE

1. Histórico da Psicomotricidade
2.

Conceitos Autores:

da

Psicomotricidade

Segundo

Alguns

Histórico Historicamente o termo "psicomotricidade" aparece a partir do discurso médico, mais precisamente neurológico, quando foi necessário, no início do século XIX, nomear as zonas do córtex cerebral situadas mais além das regiões motoras. Com o desenvolvimento e as descobertas da neurofisiologia, começa a cons
O que é Psicomotricidade? Introdução

PSICO = COGNIÇÃO MOTRIC = MOVIMENTO IDADE = IDADE

1. Histórico da Psicomotricidade
2.

Conceitos Autores:

da

Psicomotricidade

Segundo

Alguns

Histórico Historicamente o termo "psicomotricidade" aparece a partir do discurso médico, mais precisamente neurológico, quando foi necessário, no início do século XIX, nomear as zonas do córtex cerebral situadas mais além das regiões motoras. Com o desenvolvimento e as descobertas da neurofisiologia, começa a cons

More info:

Published by: Fernando Manuel Oliveira on Nov 20, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/23/2013

pdf

text

original

 
O que é Psicomotricidade?Introdução
PSICO = COGNIÇÃOMOTRIC = MOVIMENTOIDADE = IDADE
1.Histórico da Psicomotricidade
2.
Conceitos da Psicomotricidade Segundo AlgunsAutores:
Histórico
Historicamente o termo "psicomotricidade" aparece a partir dodiscurso médico, mais precisamente neurológico, quando foi necessário,no início do século XIX, nomear as zonas do córtex cerebral situadas maisalém das regiões motoras. Com o desenvolvimento e as descobertas daneurofisiologia, começa a constatar-se que diferentes disfuõesgraves sem que o cérebro esteja lesionado ou sem que a lesão estejaclaramente localizada. São descobertos distúrbios da atividade gestual, daatividade práxica.
1
 
Portanto, o "esquema anátomo-clínico" que determinava paracada sintoma sua correspondente lesão focal já não podia explicar algunsfenômenos patológicos. É, justamente, a partir da necessidade médica deencontrar uma área que explique certos femenos clínicos que senomeia, pela primeira vez, o termo Psicomotricidade, no ano de 1870. Asprimeiras pesquisas que dão origem ao campo psicomotor correspondema um enfoque eminentemente neurológico (SBP, 2003).A Psicomotricidade no Brasil foi norteada pela escola francesa.Durante as primeiras décadas do século XX, época da primeira guerramundial, quando as mulheres adentraram firmemente no trabalho formalenquanto suas crianças ficavam nas creches, a escola francesa tambéminfluenciou mundialmente a psiquiatria infantil, a psicologia e a pedagogia.Em 1909, a figura de Dupré, neuropsiquiatra, é defundamental importância para o âmbito psicomotor, já que é ele quemafirma a independência da debilidade motora, antecedente do sintomapsicomotor, de um possível correlato neurológico. Neste período o tônusaxial começava a ser estudado por André Thomas e Saint-Anné Dargassie.Em 1925, Henry Wallon, médico psicólogo, ocupa-se domovimento humano dando-lhe uma categoria fundante como instrumentona construção do psiquismo. Esta diferença permite a Wallon relacionar omovimento ao afeto, à emão, ao meio ambiente e aos bitos doindivíduo, e discursar sobre o tônus e o relaxamento.Em 1935, Edouard Guilmain, neurologista, desenvolve umexame psicomotor para fins de diagnóstico, de indicação da terapêutica ede prognóstico.Em 1947, Julian de Ajuriaguerra, psiquiatra, redefine o conceitode debilidade motora, considerando-a como uma síndrome com suaspróprias particularidades. É ele quem delimita com clareza os transtornospsicomotores que oscilam entre o neurológico e o psiquiátrico.
2
 
Ajuriaguerra
aproveitou os subsídios de Wallon em relaçãoao tônus ao estudar o diálogo tônico. A relaxação psicotônica foi abordadapor Giselle Soubiran (SBP, 2003) e (ISPE-GAE, 2007).
“No Brasil
, Antonio Branco Lefévre buscou junto as obrasde Ajuriaguerra e Ozeretski, influenciado por sua formação em Paris, aorganização da primeira escala de avaliação neuromotora para criançasbrasileiras.
Dra. Helena Antipoff 
, assistente de Claparéde, emGenebra, no Institut Jean-Jacques Rosseau e auxiliar de Binet e Simon emParis, da escola experimental "La Maison de Paris", trouxe ao Brasil suaexperiência em deficiência mental, baseada na Pedagogia do interesse,derivada do conhecimento do sujeito sobre si mesmo, como via deconquista social...
Em 1972
, a argentina, Dra. Dalila de Costallat, estagiária doDr. Ajuriaguerra e da Dra. Soubiran em Paris, é convidada a falar emBrasília às autoridades do Ministério da Educação, sobre seus trabalhosem deficiência mental e inicia contatos e trocas permanentes com a Dra.Antipoff no Brasil” (ISPE-GAE, 2007).Com estas novas contribuições, a psicomotricidade diferencia-se de outras disciplinas, adquirindo sua própria especificidade eautonomia. Na década de 70, diferentes autores definem apsicomotricidade como uma motricidade de relação, enquanto na mesmaépoca, profissionais estrangeiros convidados vinham ao Brasil para aformação de profissionais brasileiros.
Em 1977
é fundado GAE, Grupo de AtividadesEspecializadas, que veio a promover a partir de 1980 vários encontrosnacionais e latino-americanos. O 1° Encontro Nacional de Psicomotricidadefoi realizado em 1979.
O GAE
 
é responsável pela parte clínica e o
ISPE
, InstitutoSuperior de Psicomotricidade e Educão, destinado à formão de
3

Activity (33)

You've already reviewed this. Edit your review.
Sueli Lemos liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Andreia Pinho liked this
Luh Pereira liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->