Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
145Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Historia Do Design

Historia Do Design

Ratings:

4.78

(9)
|Views: 22,063 |Likes:
Published by api-3857014

More info:

Published by: api-3857014 on Oct 19, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

 
no início do século xx, uma frenética série de espetaculares avanços tecnológicoscausava impacto na sociedade. o motor de combustão interna, o motor elétrico eos rudimentos da telecomunicação permitiram que os fabricantes aspirassem aníveis de eficiência outrora inimagináveis. artigos anteriormente fabricados à mãoagora podiam ser feitos de modo mais rápido e barato pela máquina, solapando opapel do artesanato. a máquina também estava revolucionando o mundodoméstico e, com o advento do rádio, do telefone e da televisão, viria a redefinircomplemente o termo comunicação no lar e no trabalho. a linha de montagemacelerou drasticamente a produção de veículos, tornando o carro a motoracessível a um mercado muito mais amplo. em 1903, os irmãos wright realizaramum sonho acalentado há milênios: num biplano a gasolina, voaram a distância de40 metros. apenas seis anos depois, lours blériot voaria 42 quilômetros em seumonoplano, da frança até a inglaterra pelo canal da mancha. em trinta anos,haveria vôos regulares que cruzariam o mundo levando a bordo quem pudessepagar por eles.apesar de produto da era vitoriana, o movimento de artes e ofícios deixou umaherança que se estendeu ao século xx. a preocupação maior de seus principaispersonagens era o fato de que os fabricantes da "era da máquina" eram movidosmais pela quantidade do que pela qualidade. o designer e teórico mais influentedo movimento foi william morris (1834-96). sua empresa, a morris and co.,produziu uma grande variedade de objetos: mobiliário, vitrais, papéis de parede,tecidos, cerâmica, entre outros. para morris, a arte e o artesanato possuíam omesmo valor, e seus designs utilizavam as habilidades conjuntas de artesãos eartistas. essas obras se caracterizam por suas referências medievais e góticas;morris queria a mão do artesão visível no trabalho, diferenciando-o do objetofeito pela máquina. os móveis robustos e de construção simples deixam expostasas junções; nos objetos de metal, a mão do artesão se evidenciava na texturadas marteladas. morris acreditava que o bom design tinha um efeito positivo econtribuía para uma sociedade mais feliz - uma crença compartilhada pelosmodernistas nos anos 20. apesar de o movimento de artes e ofícios ter começadona grã-bretanha, houve equivalentes no resto da europa e nos eua. oficinas - ouguildas, seguindo os preceitos de morris - surgiram em muitos países. enquantoos designers norte-americanos, como gustav stickley, seguiam o modelo britânicode perto, muitos europeus se afastavam dos dogmas fundamentais do movimentode artes e ofícios e abraçavam prontamente a art nouveau e o modernismo.por volta de 1900, já havia se consolidado o movimento dominante da década, aart nouveau, nascida do movimento de artes e ofícios e do movimento estético doséculo xix. seus expoentes estavam muito mais dispostos a aceitar o uso denovos materiais e a produção em massa do que os artistas do movimento deartes e ofícios. embora também se inspirassem no passado, compartilhavam deum entusiasmo pelo futuro que os diferenciava do movimento precedente. onome é derivado da loja do negociante de arte samuel bing, l'art nouveau,inaugurada em paris em 1895. os principais designers da europa foramconvidados a exibir seus trabalhos lá. entre eles, o belga henry van de velde(mobiliário), o norte-americano louis comfort tiffany (cristais) e os francesesemile gallé (cristais) e rené lalique. este último foi um dos principais expoentesda art nouveau. suas jóias refinadas, muitas vezes baseadas em motivos floraisou insetos, eram feitas de cristal, pedras semipreciosas e ouro. embora a artnouveau tenha se desenvolvido de modo idiossincrático em muitos países (era
 
muito próxima do jungendstil na alemanha, da secessão no Áustria e do stileliberty no itália), seu estilo fluido, orgânico, é facilmente reconhecível. suacaracterística dominante é a curva em forma de correia de chicote, que influenciatanto a forma quanta a decoração superficial do objeto. a fluidez orgânica erainspirada pela natureza, sobretudo vegetal. há também referências a tradiçõesantigas, como a arte celta e o rococó. a art nouveau podia ser interpretada tantode forma naturalística quanta abstrata, e seus princípios aplicados a qualquer tipode design, desde a arquitetura até a joalheria. as obras mais importantes eramrealizadas na frança, bélgica, Áustria e escócia.na escócia, a escola de glasgow, um pequeno mas amplamente reconhecidogrupo de designers liderado pelo arquiteto e designer charles rennie mackintosh,produzia obras que combinavam o funcionalismo do artes e ofícios com aexuberância decorativa da art nouveau. as obras fundiam um formato geométricocom um padrão linear fluente baseado em formas orgânicas. josef hoffmann foi um dos líderes do grupo de artistas e arquitetos vienensesconhecidos como a secessão de viena. embora a arte da secessão fossefundamentalmente art nouveau no estilo, seu design é lembrado por um enfoqueornamental mais geométrico. a secessão publicava a sua própria revista, sacrum,e expunha regularmente obras de vários artistas internacionais.em 1903, hoffmann formou a wiener werkstätte com koloman moser. essaassociação de oficinas tinha forte influência das guildas do artes e ofícios. awiener werkstätte foi responsável pela produção de refinadas peças de joalheria,de metal, tecidos, mobiliário e arquitetura. seus designers ocuparam o espaçoentre a decorativa art nouveau e o austero modernismo, que começava ainfluenciar o aspecto dos objetos.À medida que o século avançava, os designers passaram a se preocupar menoscom a estética do artesanato e privilegiar a estética da máquina. em 1917, umgrupo de pintores, arquitetos, designers e filósofos holandeses formou umaassociação denominadade stijl(o estilo). afastando-se da forma natural naarquitetura e no design, o de stijl tentava encontrar uma linguagem visual paraexpressar uma nova estética da máquina, utilizando uma palheta limitada decores e formas e linhas exclusivamente geométricas. de todas as obras, talvez acadeira vermelha e azul de gerrit rietveld de 1918, seja a que mais se aproximedesse ideal. construída com peças de madeira de comprimento padronizado eacabamento industrial, ela prescinde de toda ornamentação desnecessária. ainfluência do de stijl se estendeu por toda a europa, especialmente na rússia e abauhaus na alemanha. na itália, os futuristas, entre os quais o poeta filippomarinetti (1876-1944) e o artista giacomo balla (1871-1958), tambémglorificaram a máquina.o industrial henry ford fundou a ford motor company em 1903, e durante os anosseguintes desenvolveu um sistema de produção em massa que vira a exerceruma influência permanente sobre o processo de design: a padronização de peçasde fácil montagem e, em 1913, a linha de montagem móvel. quando aplicados aoford modelo t, esses princípios foram tão bem sucedidos que na década de 20, decada dois carros que rodavam pelo mundo afora, um era o modelo t. a produção
 
em massa tornou os bens acessíveis a um mercado mais amplo, mas tambémdeixou os operários das fábricas com um sentimento de alienação. seu papel nafabricação se reduzia a uma tarefa anônima, repetitiva. alguns passaram a aceitaro argumento de william morris de que a única escapatória era uma volta aoartesanato; mas não havia como resistir ao impulso da produção em massa, queacabou crescendo no decorrer do século. no entanto, a qualidade de vida dotrabalhador comum começou a melhorar com a introdução de uma multiplicidadede aparelhos que poupavam tempo e trabalho, como máquinas de lavar,secadores de cabelo e ferros de passar roupa.a maioria dessas novidades para o lar, na verdade, não economizava tempo, maspoupava trabalho, tornando as tarefas domésticas menos cansativas. muitosprodutos eram elétricos. como mercadoria relativamente nova no início do século,a eletricidade ainda não era comum no maioria dos lares. todavia, a promessa deuma fonte de energia limpa e inodora, que fazia a luz surgir com um leve toquede interruptor, e a atração dos novas inventos, como o aspirador elétrico de pó,tornavam a eletricidade um investimento tão compensador que logo foi acolhidopor todo o mundo ocidental.nessa época, na alemanha, a empresa de produtos elétricos aeg (allgemeineelektrizitäts-gesellschaft), percebendo a necessidade de unificar seu design,nomeou peter behrens diretor artístico. a padronização e a intercambialidade decomponentes estabelecidos por behrens foram cruciais para o sucesso daempresa. um claro exemplo disto são os designs de chaleiras elaborados por eleem 1909, que permitiram 80 variações baseadas em três modelos básicosapenas. behrens também assegurou que houvesse uma identidade em todos osoutros elementos de produção da empresa, da arquitetura à publicidade. a aegadotara um logotipo - um traço que seria copiado futuramente por outrascompanhias. behrens contratou designers de ultravanguarda, dentre eles, waltergropius, mies van der rohe e le corbusier. suas obras exerceram um poderosoimpacto sobre o design de produtos e influenciaram profundamente o debatesobre arte e tecnologia.em 1919, formou-se na alemanha uma escola de arte conhecida como bauhaus.sob a direção de walter gropius, a bauhaus funcionou até 1933 e foi uma dasescolas mais influentes do século. seu objetivo era simplesmente treinar artistaspara o trabalho ligado à indústria e, embora suas realizações possam facilmenteser superestimadas, deixou uma impressão duradoura sobre o design do séculoxx. utilizando modernos materiais industriais, reduzidos a seus elementos básicose desprovidos de decoração, os designers da bauhaus procuravam fabricarprodutos que evitassem referência histórica. essa aspiração nem sempre foialcançada. a famosa cadeira wassily - de aço tubular e forma geométricadespojada de marcel breuer, possui muitas das características associadas ao estilobauhaus. mesmo assim, sua construção ainda é muito mais próxima doartesanato do que da máquina. o maior sucesso da bauhaus foram os seusmétodos de ensino, copiados em todo o mundo. gropius atraiu pintores altamenterespeitados, como wassily kandinsky (1866-1944), josef albers e paul klee (1879-1940) para a docência no curso fundamental. lecionaram ali também arquitetoscélebres como marcel breuer e mies van der rohe.

Activity (145)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Jujú Hadlich liked this
Luís Pulcinni liked this
Inês Ribeiro liked this
Inês Ribeiro liked this
Renata Zago liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->