Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
45 - VOLUSIANO

45 - VOLUSIANO

Ratings: (0)|Views: 9 |Likes:
Published by Thierrie Magno

More info:

Categories:Topics, Art & Design
Published by: Thierrie Magno on Nov 22, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/22/2011

pdf

text

original

 
VOLUSIANO
PUBLIO LENTULO CORNELIO SURA (63 AEC)
era, parece, padrasto, e pai de criação, de Marco Antônio, era o segundo marido deJúlia, a mãe de Antônio. Em geral a gens romana sucedia por linha colateralna falta de linha directa, portanto, podemos supor parentesco entre Sura XM. Annio. O (sobre) nome ''Julia'' (nome familiar e o prenomeindividual) aponta nesse rumo, pois os Juliani e os Lentuli eram ''parentes''via Corneli a partir de Cornélia (Graco), ancestral do segundo imperador,um Claudius (Julius). Júlia significa uma mulher parente de um Júlio, filha,neta... Algum dos Lentuli depois de Sura, ou alguns dos Antoni, usou o seu
 
nome: Publius Cornelius Lentulus [ou, Lentulus Cornelius]. Contudo osromanos tinham o costume do ''nome de guerra'', César, Otávio, Cipião,Cícero, Germânico, nem sempre sendo evidente o seu ''nome de batismo''Caio, Públio, Marco, Caio Júlio César Germânico...O NOME latino apresenta estrutura peculiar: prenome, nome, cognome. O
 proenominen
latino, parecido com os ''nomes'' de hoje declina, em português, em -o: Públio, Flamínio, Plínio (Pvblivs, Flaminivs, Plinivs). O
nominen
latino, parecido com ''sobrenomes'', em latim declinava em -us:Lentulus, Severus. Do nosso ponto de vista, são todos ''sobrenomes'': oradical nominen denota o NUMES, o esrito dos ancestrais. [nota:numerosos nomes latinos passaram ao portug., p.ex., ''SILVA''].2. O NOME romano se baseia no culto dos ancestrais, ou seja, se baseia nos''espíritos'', os nomes romanos fazem sentido no contexto do culto dosantepassados, que era fortemente baseado em acontecimentos ''mediúnicos''de toda ordem, aparições, materializações. Um ancestral, pre-nome: Publio;outro, cog-nome: Lentulus, outro, de fundamento, nome: Cornelio. Tantoque o -io significa na verdade ''filho de'': filho de Publo, filho de Cornelo,[da parentela] Lentulus. Todos esses um dia foram pessoas reais, quefundaram a ancestralidade da personagem. Supostamente, espíritos laresque o protegem. Agora, como ele, o senador-personagem da Carta, erachamado mesmo? Ignoramos. Sabemos apenas que o nome principal eraesse do meio, Cornelio; mas ao mesmo tempo era usado por todos os seusdescendentes masculinos e femininos; no dia a dia, parece, os romanoseram conhecidos por apelidos, o coxo, o baixinho, o barbadinho...A PALAVRA que entre os antigos designava o culto dos mortos parece bem elucidativa:
 parentare
. ''A prece e a oferenda somente se dirigiam aos pais de cada um'' (Coulanges, pag. 37). Por isso, o ''prenome'' (escolhidonum repertório ancestral) o era o
nosso
''prenome'', um ''nome-de- batismo'' e sim, um sobrenome ancestral, como os outros elementos donome romano.EM Roma era costume todo patricio usar 3 dos
nominis
[= antepassados].''Chamava-se por exemplo Públio Cornélio Cipião'': prenome+nome+agnome.1- Publio era o PROENOMEN, um nomine ''colocado antes [pro] do defamília''.
 
2- Cipiao era o AGNOMEN, um nomine ''acrescido''.3- O verdadeiro nome, NOMEN, ''era Cornelio'' (pag. 111). Ou seja, o''nome'' romano era um panteon de deuses, um altar em forma gráfica.3. PARECE apropriado que os membros de uma mesma
 gens
usassem omesmo nome e isto justamente se deu. O uso dos patronímicos data destaantiguidade e relaciona-se visivelmente com o velho culto.CADA gens transmitia, de idade a idade, o nome do antepassado e perpetuava-o ''com o mesmo cuidado com que perpetuava o seu culto'' (pag.111). A união de nascimento e de culto indica-se na comunhão de nome. ''Oque os romanos chamaram propriamente
nomen
, foi o nome doantepassado'' (pag. 111). Era costume comum do patriciado usar os 3, p.ex.,Publio Cornelio Scipionis - ''o seu verdadeiro nome,
nomen
, era Cornelio,nome esse, ao mesmo tempo, pertencendo a toda a gens''.4. NOME significa ''entidade protetora''. Vinha dos antepassados. Destes, onobre romano usava o prenome, nome de Gente e cognome de família deacordo com ramo e sub-ramo gentílico, todos sobrenomes, p.ex., nomine:Flávio; cognomine: Vespasiano -seja Vespasiano Flávio, da gens flaviana,imperador de 68-79 EC.O AUTOR da Carta de P.Lentulus (ver) nunca pôde ser identificado; são bastante fortes as objecções no sentido de não ter existido jamais umP.Lentulus em Israel. Na verdade, objecções intransponíveis. Mas o Ciclode Pilatos menciona uma personagem que deve chamar a nossa atenção,''Volusiano, familiar de Tibério'', que recebe seu nome de Volúsio, i.e., ocônsul (=''presidente da república'') Lúcio Volúsio Saturnino (3 EC) casadocom Cornelia Scipionum Gentis, filha de Lúcio Cornélio Lêntulo, cônsulem 3 AEC
[a cada ano, havia 2 cônsules titulares].
 5. NO ''Morte de Pilatos'' publicado por Tischendorf a partir de ummanuscrito do tempo de Ambrósio (séc. V), Volusiano (
 suo familiarinomine Volusiano
) afasta Pilatos, que o imperador condena à morte cf.Otero, Los Evangelios Apocrifos pag. 496 ss. Tischendorf cria que o texto''procedia de uma fonte mais antiga''. Circulou bastante, na Idade Média.Um Volusiano aparece no reinado de Constantino, com uma lenda parecida:mensageiro de Const. curado por S.Silvestre, mas esta lenda deve (?)depender e provir do Ciclo de Pilatos; o imperador Volusiano reinou 251-3EC [Tischendorf, 1876, Lipsia, 2 ed., Evangelia Apocrypha].

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->