P. 1
Aula 01 Direito Civil

Aula 01 Direito Civil

Ratings: (0)|Views: 11,281 |Likes:
Published by RevengeFTW

More info:

Published by: RevengeFTW on Nov 22, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/10/2013

pdf

text

original

 
CURSO ON-LINE – DIREITO CIVIL P/ ABINPROFESSOR: LAURO ESCOBAR
1
www.pontodosconcursos.com.br
AULA 01
 
DAS PESSOAS: NATURAIS E JURÍDICAS 
 
(arts. 1
o
ao 78 do Código Civil)
Itens específicos do edital abordados nesta aula: 4) Pessoas naturais e jurídicas:capacidade; começo da personalidade e da existência legal; extinção; domicílio.
Podemos conceituar
PESSOA
como sendo todo ente
físico ou jurídico,
suscetível de direitos e obrigações. É sinônimo de
sujeito dedireitos
. No Brasil temos duas espécies de Pessoas: Naturais e Jurídicas.Ambas possuem aptidão para adquirir direitos e contrair obrigações.
PESSOA NATURAL
PERSONALIDADE
É o conjunto de caracteres próprios da pessoa, reconhecida pela ordem jurídica a alguém, sendo a aptidão para adquirir direitos e contrairobrigações. É atributo da dignidade do homem. Prevê o art. 1
o
do CódigoCivil que:
 Toda pessoa é capaz de direitos e deveres na ordem civil” 
.
 
Assim, o conceito de Pessoa inclui
 
homens, mulheres e crianças; qualquerser humano sem distinção de idade, saúde mental, sexo, cor, raça, credo,nacionalidade, etc. Por outro lado o conceito
exclui
os animais (que gozamde proteção legal, mas não são sujeitos de direito), os seres inanimados, etc.
Concluindo = Pessoa Natural ou Pessoa Física é o próprio serhumano
.
INÍCIO DA PERSONALIDADE
Há muita polêmica doutrinária envolvendo o início da personalidadecivil. São
três
as principais teorias sobre o tema:a) Teoria Concepcionista – a personalidade tem início com a concepção;ou seja, com a própria gravidez.b) Teoria Natalista – a personalidade se inicia a partir do nascimento dacriança com vida.c) Teoria da Viabilidade – que pressupõe a possibilidade de sobrevivênciada criança. Países que adotam esta teoria entendem que se uma criançanasceu com uma doença que a levará a morte em poucos dias, não haverá aaquisição da personalidade.No Brasil a doutrina se manifesta de forma divergente, pois, se por umlado a
lei
estabelece que a personalidade civil tem início com o nascimentocom vida, o mesmo dispositivo a seguir assegura ao nascituro direitos desdesua concepção. Em uma prova objetiva o aluno deve se limitar ao textoexpresso da lei. Porém, em um prova dissertativa, deve citar as três teorias,expondo que no Brasil há ferrenhos defensores da Concepção
e
da
 
CURSO ON-LINE – DIREITO CIVIL P/ ABINPROFESSOR: LAURO ESCOBAR
2
www.pontodosconcursos.com.br
Natalidade, devendo abordar os aspectos mais relevantes de cada uma. Atendência atual é se proteger, cada vez mais, o nascituro e seus direitosdesde a concepção.Analisando o texto legal, podemos afirmar que a personalidade dapessoa natural ou física inicia-se com o
nascimento com vida
, ainda quepor poucos momentos. Esta é a primeira parte do art. 2
o
do CC. Se a criançanascer com vida, ainda que por um instante, já adquire a personalidade.Ocorre o
nascimento
quando a criança é separada do ventre materno(parto natural ou por intervenção cirúrgica), mesmo que ainda não tenhasido cortado o cordão umbilical. Além disso, é necessário que tenha
respirado
. Há nascimento e há parto quando a criança, deixando o úteromaterno, respira. Portanto...
se o recém-nascido respirou... nasceu comvida
. E é nesse momento que a personalidade civil terá início em suaplenitude, com todos os efeitos subsequentes, conforme veremos.
NASCITURO
O termo
nascituro
significa “aquele que há de nascer”. É o ente que jáfoi gerado ou concebido, mas ainda não nasceu, embora tenha vidaintrauterina e natureza humana. Tecnicamente (teoria natalista), ele não tempersonalidade, pois ainda não é pessoa sob o ponto de vista jurídico. Masapesar de não ter personalidade jurídica, a
lei põe a salvo os direitos donascituro desde a concepção
. Trata-se da segunda parte do art. 2
o
, CC.Na realidade o nascituro tem uma expectativa de direito. Ex: o nascituro temo direito de nascer e de viver (o aborto, como regra é considerado comocrime - arts. 124 a 127 do Código Penal).O nascituro também tem direito à filiação, adequada assistência pré-natal, honra, imagem, direito de ser contemplado por doação, portestamento, etc. Além disso, o art. 8
o
do Estatuto da Criança e doAdolescente (Lei n° 8.069/90 – ECA) determina que a gestante temcondições de obter judicialmente os alimentos para garantia do bomdesenvolvimento do feto, consulta médica, remédios, etc.O principal direito do nascituro é o de ter direito à
sucessão
. Aqueleque já foi concebido no momento da abertura da sucessão (morte do
decujus
) legitima-se a suceder de forma legítima (conferir arts. 1.784 e 1.798,CC). Também se legitimam a suceder por testamento “os filhos ainda nãoconcebidos de pessoas indicadas pelo testador, desde que vivas estas aoabrir-se a sucessão” (art. 1.799, I, CC).Por tal motivo, tendo já tantos “direitos”, é que está crescendo a teoriaconcepcionista, considerando o nascituro como sendo uma Pessoa Natural.Justifica-se esta posição porque somente uma pessoa pode ser titular dedireitos... e o art. 2
o
, CC afirma que o nascituro tem direitos... logo, tendodireitos, ele já pode ser considerado como tendo personalidade. A situaçãofica ainda mais definida segundo os seguidores desta teoria com o art. 542,CC que estabelece: “A doação feita ao nascituro valerá, sendo aceita peloseu representante legal”.
 
CURSO ON-LINE – DIREITO CIVIL P/ ABINPROFESSOR: LAURO ESCOBAR
3
www.pontodosconcursos.com.br
Mas o que se pode afirmar, sem medo de errar, é que o nascituro étitular de um
direito eventual
. Ex:
homem falece deixando a esposagrávida. Não se pode concluir o processo de inventário e partilha enquanto acriança não nascer
. O nascituro, nesta hipótese, tem direito ao
resguardo àherança
. Os direitos assegurados ao nascituro estão em estado potencial,sob
condição suspensiva
: só terão eficácia se nascer com vida. Arepresentação do nascituro se dá por intermédio de seus pais. Nascendo comvida, a sua existência, no tocante aos seus interesses,
retroage
aomomento de sua concepção. As expectativas de direito, agora setransformam em direitos subjetivos.Mas há outro problema de ordem filosófica, religiosa e jurídicaenvolvendo o nascituro. Isto devido ao avanço da medicina, com as técnicasde fertilização
in vitro
. Indaga-se: qual o momento em que podemos usar otermo nascituro de uma forma técnica? Uma corrente afirma que a vida teminício legal no momento da penetração do espermatozoide no óvulo, mesmoque fora do corpo da mulher. Para outra corrente a vida somente teria iníciocom a concepção no ventre materno (embora ainda não se possa considerarcomo sendo uma pessoa). Isto porque é com a nidação (fixação do óvulofecundado no útero) que se garante eventual gestação e o nascimento.Portanto somente será considerado como nascituro, o óvulo fecundado quefor implantado no útero materno. Assim, o embrião humano congelado nãopoderia ser tido como nascituro, embora tenha proteção jurídica comopessoa virtual, com uma carga genética própria.Com o objetivo de regulamentar o art. 225, §1
o
, inciso II da CF/88, foieditada inicialmente a Lei n° 8.974/95, proibindo e considerando como crimea manipulação genética de células humanas, a intervenção em materialgenético humano e a produção, guarda e manipulação de embriões humanosdestinados a servir como material biológico disponível. No entanto foiaprovada a Lei n° 11.105/05, dividindo opiniões: trouxe esperança paraalguns e indignação para outros. Pela nova lei é permitida, para fins depesquisa e terapia, a utilização de células-tronco embrionárias, obtidas deembriões humanos produzidos por fertilização
in vitro
, desde que:
a)
sejaminviáveis, ou estejam congelados há três anos ou mais;
b)
hajaconsentimento dos seus genitores.
Importância de se nascer com vida
Como vimos, o nascituro tem apenas
expectativa de vida
e éimportante que nasça vivo, nem que seja por um segundo. Se nascer vivo,adquire personalidade. Será um sujeito de direitos e obrigações. No entanto,caso nasça morto, nenhum direito terá adquirido e/ou transmitido.Observem.
Demonstração Ordem de vocação hereditária
1.
 
Descendente
(em concorrência com ocônjuge sobrevivente) – filho, neto, bisneto,etc.
 
A B
X
Y

Activity (47)

You've already reviewed this. Edit your review.
Ingryd Mendonça liked this
Mateus Martins liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Juliana Salles liked this
Djoicy Louregian liked this
Shun Alex liked this
Shun Alex liked this
Shun Alex liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->