Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
2Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
heckscher-ohlin

heckscher-ohlin

Ratings: (0)|Views: 335|Likes:
Published by neomandrak2446

More info:

Published by: neomandrak2446 on Nov 26, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

01/14/2013

pdf

text

original

 
O Modelo de Heckscher-Ohlin e o Paradoxo de Leontief 
 
O modelo de Heckscher-Ohlin (Teoria Sueca de ComércioInternacional) é também conhecido como a teoria das proporções dosfatores. O que ele significa? Significa que um país se especializará emexportará bens nos quais utiliza seus fatores produtivos mais abundantesde modo intensivo. Assim, se somos abundantes em capital, o teorema nosdiz que nosso país deverá se especializar na exportação de produtos querequeiram bastante capital na sua produção.
 
Perceba o contraste com relação ao modelo original de Ricardo. Lá oque tínhamos era apenas um fator de produção. Naquele caso, asvantagens comparativas eram causadas apenas por diferenças nasprodutividades do trabalho em cada país.
 
No modelo de fatores específicos, a estória não era muito distinta. Adiferença estava apenas em incluir fatores de produção cuja mobilidade eraigual à zero. Naquele caso, os efeitos do comércio sobre a distribuição derenda podiam ser facilmente analisados. A conclusão principal é a de quefatores específicos ao setor exportador ganham e fatores específicos aosetor importador perdem, enquanto os fatores com mobilidade podemganhar ou perder.
 
No modelo de Heckscher-Ohlin, a fonte de comércio entre as naçõesé gerada apenas pelas diferenças nos recursos que cada país possui. Omodelo leva em conta a abundância relativa dos fatores de produção e atecnologia de produção (que diz respeito, aqui, à intensidade relativa com aqual os fatores de produção são utilizados na produção de diferentes bens).
 
Vamos, então ao modelo:
O modelo de uma economia com dois fatores de produção
 
Dois bens (alimentos (a) e roupas (t))
 
Dois insumos (trabalho (L) e terra (T))
 
Considere a seguinte notação:
 
i) aT
t
= acres de terra usados para produzir ummetro de roupa;
 
ii) aL
t
= horas de trabalho usados para produzir um metro de roupa;
 
iii) aT
a
= analogamente para terra-alimentos(este último medido em calorias) e,
 
iv) aL
a
= analogamente para trabalho-alimentos;
 
v) L, T = oferta total, na economia, de trabalho eterra.
 
 
A idéia deste modelo é a de que os fabricantes podem produzir umaunidade de um bem e uma do outro usando diferentes intensidades deinsumos. Assim, não se fala de quantidades do fator 
necessárias
à produçãode um bem, mas sim de quantidades
usadas
na produção do mesmo. Se adiferença ainda não está clara, lembre-se que "necessária" não é sinônimo de"usada (utilizada)".
 
Assim, para se produzir uma caloria de alimentos, tem-se umaisoquanta desenhada nos eixos (aT
a
e aL
a
). A quantidade utilizada de cadainsumo dependerá da razão dos preços dos insumos relativos. Chamando de"r" a renda da terra e "w" o custo da mão-de-obra, a quantidade produzida sedará (se a isoquanta é bem comportada) na tangência entre a reta de custos ea isoquanta. [
veja o gráfico feito em sala
]
 
Uma das implicações do exposto até aqui é que um bem não podeser, ao mesmo tempo, intensivo nos dois fatores de produção.
 
Suponha, por enquanto, que um país produza ambos os bens. Seambos são produzidos em um regime de concorrência perfeita, o preço finaldos bens será igual ao custo de se os produzir (óbvio, pois P = CMg). Se assimo é, então o preço depende do custo dos insumos.
Ceteris paribus
, e.g., quantomaior "r", maior será o preço do produto.
 
Mas, perceba que se a terra (T), com custo "r", é pouco utilizada naprodução do bem, o impacto sobre o preço é muito pequeno. Já, o trabalho (L),que seria o fator mais utilizado na produção do bem, teria um impacto muitomaior, relativamente à terra, sobre o preço final do produto. Isso nos leva a...
 
...concluir que existe uma relação entre w/r e P
t
/P
a
(o relativo dospreços dos produtos desta economia). Essa relação é conhecida como
efeitode Stolper-Samuelson
, pois a estes dois autores devemos a exposição originaldeste fato. [
gráfico feito em aula
].
 
Suponha que, por algum motivo, o P
t
/P
a
aumente. Isso leva a umaumento de w/r gerando maior emprego na produção de roupas e dealimentos. Adicionalmente, existe um aumento na renda dos trabalhadores,relativamente à do dono da terra. Após o aumento de P
t
/P
a
, teremos umaumento da razão T/L na produção de cada bem (afinal, a terra passa a ser relativamente mais barata). Isso nos leva a um aumento da PMgL, o queexplica o w/P
t
e w/P
a
maiores. Por outro lado, a PMgT cai, de forma que arenda dos donos da terra cai.
 
Assim, perceba, neste modelo uma mudança no preço dos bens levaa um ganho para os proprietários de um fator de produção enquanto osproprietários dos outros fatores perdem.
 
 
Dado o preço relativo P
t
/P
a
, é fácil verificar a quantidade empregadade trabalhadores em cada setor. Basta observar a caixa [
ver gráfico dealocação de recursos em aula
] na qual se mede, no eixo horizontal, L e, novertical, T. Do lado esquerdo crescendo para o lado direito (ou para cima, sevocê estiver olhando o eixo vertical) temos L e T empregados na produção deroupas. Vindo de cima para baixo, analogamente para alimentos.
 
Observe as retas que partem da origem inferior e superior. O pontode interseção entre elas mostra a alocação dos recursos na economia.
 
O que acontece se ocorrer um aumento na quantidade de terraofertada? Os eixos verticais crescem, e, portanto, a quantidade de trabalhoempregada na produção de alimentos aumenta. Da mesma forma ocorre com aquantidade de terra usada para a produção de alimentos.
 
A análise está sendo feita
ceteris paribus
!
 
Perceba que a quantidade de terra e trabalho utilizadas na produçãode roupas caem!! Assim, mantidos os preços constantes, um aumento naquantidade de terra ofertada na economia leva a uma queda no produto que étrabalho-intensivo.
 
Os fatores, agora, foram incorporados à produção de alimentos, cujoproduto cresceu mais do que proporcionalmente ao aumento na oferta de terra.Isso quer dizer que a CPP se desloca para cima, só que desproporcionalmente,favoravelmente aos alimentos. Assim, geralmente uma economia tenderá a ser relativamente mais eficiente na produção de bens que são mais intensivos nosfatores nos quais o país é mais bem dotado.
 
Efeitos do Comércio Internacional entre Economias com DoisFatores
 
Convergência dos preços relativos - Verifique você mesmo, com RSe RS
*
(a curva de oferta relativa para o país estrangeiro) que, para uma dadaRD, o preço relativo de equilíbrio tenderá a ficar no meio dos preços relativosde equilíbrio existentes no pré-comércio.
 
Ora, se o preço relativo converge, e se existe uma relação diretaentre os preços relativos e o preço relativo dos fatores, você observa que opreço relativo dos fatores tenderá a ser o mesmo nos dois países!! Esseresultado é conhecido como equalização dos preços dos fatores.
 
Os proprietários dos fatores de produção abundantes (lembre-se:abundância relativa
 
) ganham com o comércio, mas os proprietários dos fatoresrelativamente escassos perdem.
 

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->